Estrangeiros bem-vindos

Vista para a Igreja de São Francisco, a partir da Pousada Villa Bahia - Salvador me surpreende sempre, sempre! - Por quê - Há seis meses, quando lá estive, fiquei muito mal impressionado com a sujeira pelas ruas, as pichações nos muros e paredes,

  
  

Vista para a Igreja de São Francisco, a partir da Pousada Villa Bahia- Salvador me surpreende sempre, sempre!

- Por quê"

- Há seis meses, quando lá estive, fiquei muito mal impressionado com a sujeira pelas ruas, as pichações nos muros e paredes, a poluição sonora e o tráfego intenso nas ruas...

Criativos carrinhos dos vendedores no Pelourinho

A feira de artesanato que ocorre todas as quinta e sextas-feiras reúne uma boa mostra do talento soteropolitano

Mesa de jogo de búzios

A cada esquina uma Igreja, ou duas, ou três

Mesmo com o advento das câmeras digitais, os comerciantes de filmes fotográficos não perderam o seu nicho de mercado

- Então, é melhor esquecer de vez a idéia de passar as férias na capital baiana, é isso"

- Não, não é isso! E é exatamente por esse motivo que estou sempre surpreso! Acabo de voltar e descobrir, mais uma vez, outros segredos desta maravilhosa cidade! O centro histórico, agora, abriga pousadas extremamente sofisticadas, que ostentam um público cada vez mais exigente por lazer cultural.- A burguesia brasileira"!

O movimento pela revitalização do Pelourinho está a todo vapor

- Xiii! Esses preferem ir para Miami, conhecer Las Vegas em uma semana, ou navegar pela costa atlântica em cruzeiros luxuosos. Refiro-me aos europeus – franceses, belgas, italianos... – e negros americanos, que estão ressuscitando esta magnífica porção de histórica arquitetônica brasileira. É espetacular!
- Cara, que legal! E eles contam com o apoio de órgãos municipais e estaduais para investir na cidade"

Varanda de casario de onde o poeta Castro Alves declamava poesias para a sua amada

- Pois sim! Aparentemente, são dois mundos independentes. Os estrangeiros acreditam mais na cultura baiana do que os próprios baianos, ou os seus compatriotas e autoridades. E estes novos habitantes praticamente desconhecem a clientela brasileira, mais propensa a bronzear-se em praias lotadas, e a consumir cervejas geladas em locais barulhentos, do que a apreciar as belezas do barroco ou as heranças coloniais da região.

O terraço da Pousada Villa Bahia proporciona uma das mais belas vistas do Pelourinho

- Certamente, o preço do pernoite nesses estabelecimentos não permite aos brasileiros hospedarem-se ali, permite" Acho que não é um turismo pro nosso bico...

- Não acredito nisso, não! Os resorts vivem repletos de sulistas, nordestinos, nortistas... brasileiros endinheirados de todo canto desse País. Acho que é mais uma questão cultural. Mas acredito, também, que ainda há muito que ser feito para atrair a elite baiana e levar os brasileiros a interessarem-se pelo turismo cultural em nossa terra!
- É um fato!

Na Feira de São Joaquim, a maior da Bahia, é possível comprar de acessórios para candomblé, ate bodes

- O que eu sei, meu caro, é que os estrangeiros estão dando um show de competência, e, em breve, o Pelourinho e os bairros de Santo Antônio e Além-do-Carmo estarão entre os principais roteiros turístico-culturais da América Latina, apesar do descaso das autoridades locais e dos soteropolitanos para com esta jóia da capital baiana!

- Então, que sejam bem-vindos esses novos imigrantes, investidores civilizados, que nos ensinam a valorizar o que é de todos nós: a magnífica, histórica e belíssima Salvador, debruçada na Bahia de Todos os Santos!

- Oxalá!

  
  

Publicado por em