Iluminando o apagão. Final de Ano em Santos

Prefeitura de Santos. Construção dos anos 30. - Como foi para vocês o final do ano de 2006 - Interessante. Como boa parte dos viajantes brasileiros, decidimos evitar o apagão aéreo nos aeroportos e seguir, por terra, para um lugar animado onde

  
  

Prefeitura de Santos. Construção dos anos 30.

- Como foi para vocês o final do ano de 2006"

- Interessante. Como boa parte dos viajantes brasileiros, decidimos evitar o apagão aéreo nos aeroportos e seguir, por terra, para um lugar animado onde festejar o reveillon.

- Qual foi o destino"

- Santos. A maior e mais conhecida cidade portuária brasileira, no estado de São Paulo.

- E onde vocês se hospedaram" Lá mesmo"

O espetáculo propiciado pela queima de 26 toneladas de fogos.

- Não. Em Cubatão, pacata cidade vizinha; uma urbe operária que durante décadas foi considerada o vale da morte.

- Vale da Morte"

- Sim, senhor! Por ser um dos mais dinâmicos pólos industriais na época do ”milagre econômico brasileiro”, nos idos dos anos 60 e 70, a cidade era conhecida como um dos locais mais poluídos do planeta. O índice de doenças e de moléstias advindas do ar maléfico era enorme, e viver em Cubatão era um martírio. Sobreviver, um milagre!

- É, mas hoje em dia tornou-se um exemplo de recuperação ambiental! E a administração local busca marcar uma nova era ilustrada pelo turismo ecológico e por esportes de aventura nas reservas ambientais do entorno.

Imagens de Cubatão, cidade vizinha de Santos.

- Pois é!

- O que fizeram durante essa breve passagem por Santos"

- À tarde, rapidamente, visitamos a Prefeitura, no centro histórico. Sediada em um imóvel imponente da década de 30, em estilo eclético, tornou-se um ponto turístico-cultural a ser visitado. Estávamos acompanhados por um pequeno grupo de curiosos interessados em descobrir a cidade portuária em seus segredos e tesouros arquitetônicos. Nos arredores, alguns imóveis recuperados e restaurados em meio à zona portuária, vazia, em clima de abandono laboral de final de ano. Um passeio ímpar!

O centro histórico de Santos ainda necessita ser recuperado.

Santos, a capital do café, homenageia os trabalhadores.

- O que mais o agradou"

O bonde funicular, inaugurado em 1927, leva os visitantes ao Monte Serrat

A praia acolhe manifestações em homenagem a Yemanjá.

Turismo cultural no último dia do ano.

- A Igreja de Monte Serrat, encravada no alto do morro. Tomamos o bondinho para subir até o topo e, lá de cima, avistamos os manguezais, as ilhas de vegetação rasteira ainda virgem, o Balneário do Guarujá e, ao longe, o perfil dos imóveis que margeiam as praias santistas.

- Havia muita gente para essa última festividade do ano"

- Sim! Os restaurantes estavam repletos de visitantes, de habitantes e de passantes que esperavam pacientemente a virada do ano antes de seguir para a praia onde assistiriam à queima de fogos. Vinte e seis toneladas iriam iluminar os céus do então vindouro 2007.

- E a praia"

- Uma multidão vestida de branco reverenciava o final do ano com oferendas a Yemanjá - a Rainha das Águas -, e alguns acendiam tufos de velas fincadas nas areias, cujas chamas ardentes consumiam as más energias deixadas por aqueles longos últimos meses do período eleitoral.

- Afinal! Como terminou o ano"

A bela vista do alto do Monte Serrat'.

- Para muita gente, sem deixar grandes saudades. O Ano Novo começou com um céu rosado e com reflexos dourados nas águas serenas que pareciam despejar suavemente nas areias os bons fluidos para 2007. Uma sensação de alívio e de paz tomou conta de meu cérebro por alguns segundos. Sentia-me novamente pronto para recomeçar. Feliz Ano Novo para todos nós!

  
  

Publicado por em