Salvador: continuam destruindo a nossa Soterópolus

Os soteropolitanos, os baianos, os migrantes vindos do sertão e os imigrantes já não enxergam o entardecer dourado da Baía de Todos os Santos.

  
  
BrasilZÃO.com

- Voltar a Salvador, à Baía de Todos os Santos, é sempre uma emoção, você concorda?

- Isso é verdade, desde que limite a sua visita aos bairros históricos ou à orla marítima próxima ao Forte de Santo António ou ao Farol da Barra. Os bairros modernos de Salvador são horrendos. As construções novas são de extremo mau gosto, não há nenhum elemento arquitetônico que faça referencia à cultura ou à história locais, à presença secular dos tempos do Brasil-Colônia que emociona os visitantes mais sensíveis ao percorrer as ladeiras tortuosas e elegantes, as ruas com fachadas sóbrias dos casarões antigos, as colinas onde se encontram templos religiosos, testemunhos do esplendor da antiga capital brasileira, Salvador. Entretanto...

- Entretanto?

- Entretanto os soteropolitanos, os baianos, os migrantes vindos do árido e inóspito sertão, os imigrantes (Salvador abriga a maior comunidade de origem espanhola do Brasil) já não enxergam o entardecer dourado da Baía de Todos os Santos, as fachadas sóbrias ou singelas das residências de outrora que adornam o mais autêntico ambiente de uma cidade litorânea sofisticada, colonial, portuguesa, africana e mestiça, de um Brasil prestes a desaparecer. Porque estão destruindo Salvador?

- Tenho que discordar de você. Desde 1991, os sucessivos governos do Estado, em harmonia com o Governo Federal, têm buscado restaurar as edificações históricas as quais, com o passar do tempo, foram abandonadas ou simplesmente esquecidas e ficaram à mercê das intempéries e das invasões dos sem-teto, do envelhecimento sem restauro, reformas ou reparações, por décadas a fio.

BrasilZÃO.com

- É muito pouco o que tem sido realizado para salvar a nossa Soterópolus ,meu amigo. Salvador foi a primeira capital do Brasil. No dia 29 de Março de 1549, duas caravelas e um bergantim, por ordem do Rei de Portugal, trouxeram o Governador Geral do Brasil e os 6000 integrantes para a ocupação lusitana nessa parte do nosso Novo Mundo. Personagens famosos como Diogo Álvares, Catarina Paraguaçu e o Doutor Jorge Valadares (o primeiro médico nomeado para o Brasil) construíram suas histórias em Salvador.

- Iorubanos e nagôs, vindo da longínqua África, como o primeiro jesuíta a pisar em terras brasileiras, o Padre Manoel da Nóbrega, também edificaram os seus caminhos e suas trajetórias na cidade do São Salvador da Baía de Todos os Santos, Capital e sede da Administração Colonial do Brasil até 1763.

- Foram vários os movimentos, sofridos e potentes, que transformaram e levaram a Capital Baiana a ser o terceiro maior colégio eleitoral do País (cerca de 1,8 milhão de eleitores). A Revolta dos Alfaiates, em 1798, a Revolta dos Malês (escravos muçulmanos), em 1835; o bombardeio da cidade em 1912, entre outros acontecimentos, fazem parte da formação do comportamento de cerca de 3 milhões de habitantes espalhados nos 13 municípios que constituem a grande Salvador: -Camaçari, Candeias, Dias D’avila, Itaparica, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Mata de São João, Pojuca, Salvador, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Simões Filho e Vera Cruz, espalhados em cerca de 707 km2.

BrasilZÃO.com

- Em 1900, Salvador já era uma cidade grande. Viviam em seu território 205.813 pessoas. Em 2009, a população já era de 2.998.096 habitantes.

- Mesmo assim, a nossa querida Capital mantém a sua tradição cultural. No dia primeiro de Janeiro ocorre a Procissão do Senhor Jesus dos Navegantes. No mesmo mês acontece a Festa da Lapinha (folia de reis) e o Dia de São Lázaro. Em Fevereiro temos a Festa da Rainha do Mar (Iemanjá), em Junho a Festa de São João, em Dezembro a homenagem a Nossa Senhora da Conceição, entre festas e mais festas que nos encantam durante o ano todo.

- Amo Salvador, apesar de senti-la subestimada pelos baianos que a desrespeitam continuadamente. Estão destruindo Salvador.

  
  

Publicado por em

Janete

Janete

07/01/2011 18:18:01
hhhhhhhhh, falar de salvador mexe comigo, meu. hum, tive o prazer de fz uma escolha em 80. Fui morar em Salvador. Bicho, conheci uma terra de promissão... morei por 4 (quatro) belíssimos anos... saudades... vi o que hoje esconderam pelo aumento populacional desordenado, mas mesmo assim... essa questão da educação do uso e usufruto precisa estar dentro das nossas necessidades básicas... o Brasil e o mundo pede socorro!!! Vida, é aprender a reciclar e curtir a praia do flamengo por lá, depois de itapoã... beijússs.

Turista de minas

Turista de minas

07/01/2011 14:35:53
Estive em Salvador início em dez/2010 e fiquei um pouco decepcionada com a sujeira. Não imaginava que uma cidade mundialmente conhecida e que recebe turistas de toda parte do mundo fosse tão imunda. Moro em capital e sei dos problemas das grandes cidades, mas esperava mais de Salvador.

NANI

NANI

06/01/2011 13:19:11
Olá! Não sou nasci na Terrinha, mas minha mãe sim e toda a sua família. Então, como tenho um pouco do sangue deste povo guerreiro me sinto praticamente uma nativa Baiana. Amo esta cidade, seus encantos, o calor, a alegria e a receptividade do seu povo acolhedor e festeiro. Quando estou na Bahia sinto-me como se nunca estivesse ficado longe e uma sensação inexplicável. Problemas existem em qualquer lugar, cidade ou estado. Mas o quê o povo Baiano consegue fazer para viver mesmo assim com a alegria estampada no rosto não tem explicação lógica, e coisa de espiríto, de coração. AMO A BAHIA...