Bajo Caracoles a El Chaltén

Despertamos as oito horas com o sol a nos saudar!!! Nilton levou o Dobló na borracharia e descobriu algumas pecinhas soltas e rapidamente com os velhos e bons `arames` fez uma gambiarra e tudo certo. Pegamos a Ruta 40 para 300 kms de rípio até El Chaltén

  
  

Despertamos as oito horas com o sol a nos saudar!!!
Nilton levou o Dobló na borracharia e descobriu algumas pecinhas soltas e rapidamente com os velhos e bons `arames` fez uma gambiarra e tudo certo. Pegamos a Ruta 40 para 300 kms de rípio até El Chaltén onde nos esperava o Parque Nacional Los Glaciares com acesso a sua parte norte e vista do complexo rochoso do Cerro Fitz Roy. Nesse trecho cruzamos com o primeiro grupo de guanacos que preguiçosamente atravessava a estrada. Paramos para fotos e eles apressaram o passo para afastar-se de nós. São animais muito interessantes e bonitos. De novo 110/120 km/h, com cuidado nas cabeceiras de pontes e travessias de `guarda ganados`, numa dessas passagens, percebemos um degrau um pouco maior que poderia estragar os pneus e portanto passamos um rádio rapidamente para os nossos companheiros de viagem que vinham 1 km atrás, mas qual não foi a surpresa do Nilton ao olhar pelo espelho e verificar que não havia ninguém atrás de nós! Nesse exato instante a voz da Márcia meio embargada pelo rádio nos alerta: - Nilton, perdi a direção, saímos da pista!
Ficamos apreensivos e perguntamos se estava tudo bem e a resposta foi afirmativa. Retornamos ao local do ocorrido para verificar os estragos, mas foi só um susto. A Land desgarrou rabeando várias vezes para os lados e finalmente atravessou o acostamento do lado direito e entrou pela planície uns 15m. Que susto!!!
Após alguns minutos, todo mundo respirando para se acalmar, surge um outro carro no sentido contrário com brasileiros de Santos que pararam para ver o que estava acontecendo. Ficaram alarmados, nos deram algumas dicas de viagem, pois ainda iríamos visitar os locais por onde eles já haviam passado e seguiram em frente.
Recuperados os batimentos cardíacos, voltamos a estrada, agora com mais cuidado.
Avistamos o lago Cardiel com suas águas apresentando as mesmas qualidades de todos os mananciais que são abastecidos pelo degelo da cordilheira. Uma cor incrível!
Chegamos a cidade de Três Lagos por volta de 18:30 h, abastecemos os veículos e seguimos mais 120 km rumo a El Chaltén.
Durante grande parte desse percurso, avistávamos o complexo Fitz Roy que a cada km ficava maior a nossa frente. Apesar das nuvens que encobriam o pico, podíamos imaginar a beleza daquelas montanhas quando as víssemos completamente livres e bem de perto.
Chegamos a El Chaltén e fomos direto conversar com o guarda parque e obter mapas da região. Depois fomos a cidade ligar para casa. O Nilton falou com seu sobrinho Paulo Victor e o felicitou pelo aniversário, também tentou falar com a filha Marília, mas novamente não teve sucesso, conversou com muitos familiares matando saudade mesmo que por alguns minutos. Eu não tive a mesma sorte, conversei com a secretária eletrônica lá de casa!!!
Em seguida nos instalamos num camping chamado El Relincho, providenciamos carne para um churrasco e socorremos um casal de argentinos de meia idade que estavam atrapalhados com sua barraca. Já haviam desistido de montá-la e resolvido dormir no carro, quando o Nilton insistiu e montou nossa barraca reserva (novinha) para que eles pudessem dormir. Como agradecimento eles se juntaram a nós na mesa e dividiram sua pizza conosco. O vento estava terrível essa noite. Parecia que ia arrancar a barraca do chão. O Nilton não conseguiu dormir por causa do barulho e o Beto por causa do balanço do carro, já que sua barraca fica na capota da Land.

Camping do Jorge em Bajo Caracoles

Camping do Jorge em Bajo Caracoles
Foto: Roberto Cano

Guanacos a vista

Guanacos a vista
Foto: Nilton Val

  
  

Publicado por em