El Calafate ao Parque Nacional Torres del Paine (Cl)

Nosso plano era chegar hoje ao Chile para visitarmos o Parque Nacional Torres Del Paine. Tomamos café , lavamos a louca de ontem a noite. Desarmamos o acampamento. Conversamos com um Brasileiro de Caxias do Sul , Sr. Humberto , que viaja com a família num

  
  

Nosso plano era chegar hoje ao Chile para visitarmos o Parque Nacional Torres Del Paine.
Tomamos café , lavamos a louca de ontem a noite. Desarmamos o acampamento. Conversamos com um Brasileiro de Caxias do Sul , Sr. Humberto , que viaja com a família numa rota bem parecida com a nossa. Eles chegaram cansados ontem a noite e nos ouviram falando alto e gargalhando. Estavam com fome mas ficaram com vergonha de se aproximar por estarmos comendo e aquela coisa e tal. Perderam um delicioso churrasco de cordeiro patagônico. Percorreram um longo trecho sem postos de combustível (mais de 700 km ) pois se perderam em alguma estrada , mas agora estavam na rota certa. Iriam visitar a geleira , como nos e depois rumo ao sul também.
Saímos do acampamento por volta de 11:30 h e fomos abastecer e devolver as garrafas de cerveja no supermercado quando percebemos que sob a Land Rover havia uma grande mancha de óleo diesel. Surpresa geral. Lá vai o Beto pro mecânico novamente. Nós viemos aqui , digitar mais um pouco e em breve teremos de nos separar pois o tempo de férias deles está se expirando e nós podemos ficar mais uns 3 ou 4 dias o que será suficiente para concluirmos nosso projeto. É uma pena, mas acontece.
Vamos lá no mecânico agora pra ver que bicho deu !!!Após duas horas digitando nossas aventuras patagônicas, voltamos ao mecânico e para nosso alívio a Land estava pronta. Seguimos para o Parque Nacional Torres del Paine no Chile conforme havíamos planejado. Cruzamos a fronteira para o Chile pelo Paso Don Guillermo já por volta de 19:30 h. Feitos os trâmites necessários (passaporte, RG, doc. dos carros), tanto na aduana argentina como na chilena fomos liberados rapidamente. De volta a estrada de rípio, ao termos rodado alguns bons kms, pudemos avistar ao longe o maciço del Paine, apesar de muitas nuvens carregadas estarem em cima das torres. Parecia estranho pois em volta tudo estava azul , sem nuvens e bem bonito mas na região do parque e sobre o maciço de montanhas a coisa estava preta. Parecia filme de ficção ou desenho animado onde as FORÇAS DO MAL têm sua residência. E nós estávamos indo justamente para lá !!! Nesse percurso sofremos bastante com as tempestades de areia provocadas pelo forte vento que nos chacoalhava de um lado para o outro. Avistamos uma caminhonete parada na estrada e pediram para parar. O carro estava com dois pneus furados e por sorte tínhamos um compressor que permitiu o enchimento dos pneus para que o pessoal chegasse na cidade mais próxima. O vento estava muito forte e frio, e eles nos alertaram que tinham ouvido sobre a possibilidade de um tufão estar próximo da região do parque, pois estavam voltando de lá e estavam muito assustados, Não sabemos se por causa dos pneus furados ou por causa do vento ou da possibilidade de Hurricane. Ficamos meio apreensivos mas resolvemos seguir, pois já era tarde e não havia camping nem hospedagem por perto.
Cruzamos a portaria do parque as 22 horas, já estava escuro e não havia ninguém para nos recepcionar. Seguimos por uma estrada de terra e passamos por ponte estreitíssima, onde sobravam apenas dois dedinhos de cada lado do Dobló. Ficamos olhando para ver se a Land ia conseguir passar pela ponte estreita e com muito cuidado deu tudo certo. Chegamos na área de camping Las Torres, local mais próximo ao acesso da trilha para o mirante das Torres del Paine, com um vento pelo menos a uns 120 km/h e alguns respingos de chuva. O Beto e a Márcia estacionaram a Land debaixo das árvores e abriram a barraca de teto e eu e Ni decidimos dormir no Dobló, pois era impossível armar qualquer barraca naquele vento. Decidimos também fazer isso tudo longe das árvores, pois algumas já haviam caído com o forte vento. A solução foi tirar toda a bagagem de dentro do carro e embrulhá-la nas lonas. Jogamos os isolantes térmicos, sacos de dormir e cobertores no carro (que está sem o banco traseiro por causa da Lisa) e o espaço foi mais que suficiente. Melhor que a barraca. Só que a cada rajada de vento o carro balançava tanto que tinha a impressão que ia sair capotando. Apareceu um guarda parque com uma lanterna, alertando a todos de barraca em barraca para que, em caso de algum acidente ou necessidade maior , procura-lo pois ele estaria naquela área a noite toda para dar suporte a todos. Isso causou um certo alívio a todos pois até então estávamos achando que o local estava ao Deus dará e começamos a perceber uma certa organização por ali. Estávamos quase descansando, por volta de 1:30 da madrugada, quando ouvimos um barulho fora e resolvemos olhar a bagagem. Um susto! Havia mala, cadeira, pãezinhos, tampa das caixas, balde, comida, tudo espalhado pelo camping. O vento tinha desamarrado as cordas e espalhado tudo!!! Rapidamente nos recompusemos e saímos a pegar as coisas espalhadas. O Nilton , sem óculos, pois não deu tempo de por , mal conseguia enxergar as coisas espalhadas e ainda ficar de pé por causa do forte vento. Refizemos o pacote todo e dessa vez quase gastamos o rolo todo de corda para amarrar um pacote mais reforçado, muitas vezes agachando para que não voássemos também.
Essa foi a noite mais complicada que passamos até agora. Na manhã seguinte ,ainda com muito vento , mas com sol brilhando , conseguimos achar mais coisas levadas para longe. O balde de alumínio , utilizado para esquentar a água do banho em campings selvagens , foi encontrado a mais de 250 m , dentro do rio e bem amassado, alguns pacotes de bolacha e chocolates sumiram. Uma das tampas das caixas que utilizamos para acondicionar tudo , só foi encontrada em pedaços pois a força do vento não perdoava nada.

Estrada para o PN Torres del Paine

Estrada para o PN Torres del Paine
Foto: Nilton Val

Estrada para PN torres del Paine

Estrada para PN torres del Paine
Foto: Nilton Val

Nilton e Lisa PN torres del Paine

Nilton e Lisa PN torres del Paine
Foto: Paula Lima

Após o furacão-Paula cansada ao lado do

Após o furacão-Paula cansada ao lado do "dormitório Dobló"
Foto: Nilton Val

Paula e Doblò no PN torres del Paine

Paula e Doblò no PN torres del Paine
Foto: Nilton Val

  
  

Publicado por em