Passo Fundo (RS) a Bento Gonçalves (RS)

Partimos do posto por volta de 9:00 h da manhã em direção a BR 324 com destino a Bento Gonçalves. O calor era grande e várias nuvens estavam se acumulando no horizonte. Por volta de 12:00 h chegamos na cidade de Bento Gonçalves, mais precisamente no posto

  
  

Partimos do posto por volta de 9:00 h da manhã em direção a BR 324 com destino a Bento Gonçalves. O calor era grande e várias nuvens estavam se acumulando no horizonte. Por volta de 12:00 h chegamos na cidade de Bento Gonçalves, mais precisamente no posto de informações turísticas que curiosamente estava fechado em pleno sábado.
Paramos então um pouco mais à frente no posto da polícia rodoviária e gentilmente o policial nos forneceu um mapa do Vale dos Vinhedos. Pudemos perceber a grande diferença na paisagem quando comparado com a primeira vez que estivemos em Bento Gonçalves em pleno mês de julho, dois anos antes. Um dos nossos objetivos era justamente esse, presenciar a colheita das uvas e comparar a paisagem em estações diferentes. Agora os morros estavam cobertos por vindimas verde, carregadas de cachos de uvas. Essa foi nossa visão que nos agradou muito, mas infelizmente não pudemos participar da colheita das uvas, pois a safra desse ano atrasou e só ocorreria em fevereiro. Visitamos algumas vinícolas e fizemos até o papel de interprete para um casal de Idaho (USA) que estava visitando o Vale e entraram na vinícola em que estávamos. Experimentaram alguns vinhos, gostaram bastante e depois forma encaminhados ao restaurante do local para uma refeição. Eles acharam aquela região do sul muito rica e sem comparação com nenhuma outra que já tinham visitado ao redor do mundo.
Lá fora as nuvens já estavam se transformando agora em uma tempestade e a chuva nos pegou a caminho da Pousada Casa Tasca em Bento Gonçalves onde pernoitaríamos. Dona Dirce e seu Antônio nos recepcionaram com muita festa lembrando da primeira vez que estivemos hospedados por lá. Debaixo de muita água, descarregamos o essencial e nos alojamos com a Lisa em nosso quarto sem problemas nenhum. Fomos convidados a tomar um chimarrão, agradecemos mas queríamos jantar (ou almoçar para ser mais precisa). Esperamos a chuva passar e fomos para o centro da cidade jantar e procurar um local para acessarmos a Internet. O jantar foi fácil pois seguimos as indicações de D. Dirce e comemos num restaurante com rodízios de filé, mas a Internet naquela altura da noite (mais de 21:00), foi difícil encontrar, pois o comércio no centro já estava fechado. Foi quando paramos na rua para perguntar a um policial e ele muito prestativo nos sugeriu irmos até um hotel próximo para ver se era possível usarmos o computador. O gerente do hotel não negou o pedido do policial e prontamente nos liberou um dos computadores por quanto tempo quiséssemos sem pagar absolutamente nada. É muito gratificante quando encontramos pessoas assim no nosso caminho! Pudemos atualizar o nosso site e retornar a pousada, cansados por mais um dia de estrada, mas felizes por termos vivenciados e aprendido mais no dia de hoje!!!

Passo Fundo

  
  

Publicado por em