Ruta 14 a Ponte Internacional de la Integracion - Sao Tome (Ar) / Sao Borja (Br)

Saída do posto por volta de 8:20 da manhã. Decidimos rodar mais 178 km na Argentina e entrar para o Brasil por São Borja. Assim conheceríamos outro caminho (na vinda entramos por Uruguaiana) e economizaríamos alguns kms de asfalto. Chegando a divisa da pr

  
  

Saída do posto por volta de 8:20 da manhã. Decidimos rodar mais 178 km na Argentina e entrar para o Brasil por São Borja. Assim conheceríamos outro caminho (na vinda entramos por Uruguaiana) e economizaríamos alguns kms de asfalto. Chegando a divisa da província de Corrientes fomos parados pela polícia rodoviária e pela primeira vez o policial pediu para ver os dois triângulos e o extintor de incêndio itens obrigatórios para trafegar na Argentina. Mostramos a ele que estava tudo certo e fomos liberados.
Chegamos na fronteira e fomos esfolados. Tivemos que pagar 25 pesos ou reais no pedágio de acesso para podermos atravessar a Ponte Internacional da Integração em São Borja. Não saibamos disso porque em Uruguaiana não pagamos nada, mas não adiantava reclamar.
Os trâmites foram os mesmos das outras aduanas e não gastamos mais do que 10 minutos. Achamos que o carro seria vistoriado ao entrar no Brasil, mas isto não aconteceu. Poderíamos ter trazido o maior contrabando de alfajores e ninguém ficaria sabendo!!!!
Já de volta ao Brasil, sentimos um certo alívio por estarmos quase em casa, entendendo tudo que se fala, só não sentimos falta é do preço da gasolina que no Brasil estava 2,13 reais o litro (na Argentina chegamos a pagar 1,09).
Apesar disso no posto Imigrantes em São Borja o Doblo ganhou um banho com direito a foto e tudo.
O calor estava terrível e a partir da rodovia RS 285 não conseguimos fazer com a viagem rendesse muito. As estradas estão muito ruins com muito buracos e ondulações, sem falar na imprudência dos caminhões que para desviar da buraqueira trafega na pista contraria causando um susto nos motoristas. Sentimos saudades das estradas argentinas e chilenas! Ainda mais quando nos foi cobrado 4 reais em dois pedágios com menos de 20 km de distância entre eles. Deixamos registrado em um Auto de Reclamação no próprio pedágio a nossa indignação e aconselhamos a fazerem o mesmo se um dia passarem por lá.
Ainda demos uma parada em São Miguel das Missões no Rio Grande do Sul para conhecermos as ruínas dos Sete Povos das Missões, cenário de batalha entre Bandeirantes e Guaranis no século XVII.
Seguimos até Passo Fundo e novamente pernoitamos num posto com chuveiros quentes e restaurante. Depois do calor insuportável, nuvens começaram a se armar, o que nos forcou a bater um recorde na montagem da barraca, mas para nossa sorte a chuva não passou de algumas gotinhas.

Parada no posto em Sao Borja

Parada no posto em Sao Borja
Foto: Nilton Val

Portal de acesso para sao Miguel das Missoes

Portal de acesso para sao Miguel das Missoes
Foto: Niton Val

Ruinas da Igreja de São Miguel

Ruinas da Igreja de São Miguel
Foto: Nilton Val

Igreja de São Miguel

Igreja de São Miguel
Foto: Nilton Val

  
  

Publicado por em

Luaninha

Luaninha

22/01/2010 09:21:17
Lindo! Quero conhecer tambem.....bjs