Caminhada Comemorativa na Ilhabela

Passeio de Escuna +Trilha do Poço

  
  

O dia para os aventureiros do 7º Caminhando pela Vida começou bem cedo. Vinte e três aventureiros madrugaram para um dia inteiro de atividades na Ilhabela. Foi um daqueles dias em que tudo dá certo mas não do jeito que a gente quer, não é verdade?! O microônibus da Iris Sol e Mar se apresentou pela primeira vez no ponto de encontro com atraso de 40 minutos, mas nada que comprometesse o passeio. Aproveitamos nosso momento de responsabilidade social recolhendo as doações para encaminharmos a entidade que presta assistência à criança paralisia cerebral.

Marcio e Claudia

Seguimos viagem e no caminho os primeiros raios da manhã nos davam as boas vindas. Distribuimos trufões sortidos (sabor de amarula, floresta negra, maracujá, coco, cereja, licor de chocolate, hortelã...) como forma de agradecimento pela participação, com uma mensagem em anexo que coincidentemente descreveria o que viria a ser o nosso dia. Realizamos a apresentação de costume; cada um comentando se tinha experiência em trilhas, das atividades anteriores e expectativas.

Paramos uns 20 minutos por volta das 7h no Vaca Preta, que fica no início da Rodovia Tamoios, para tomar um rápido café. Animação em alta, risos, com as pessoas novas cada vez mais integradas ao restante do grupo que participa com uma certa assiduidade.

O Passeio de Escuna

Marcio e Claudia

9h20 e estávamos lá no Pontal da Cruz em São Sebastião, píer onde faríamos o embarque na escuna. Gringo I surgia a todo vapor da Praia da Figueira para nos receber com algum atraso. Nada que atrapalhasse a alegria de todos com aquele dia magnífico. Embarcamos e seguimos viagem para o bairro do Perequê, na Ilhabela. Neste instante, tivemos a oportunidade de curtir o belo dia que refletia no mar cores belíssimas em contraste com o céu e a ilha.

Continuamos o passeio na escuna em direção à porção norte da Ilhabela para o início da Trilha do Poço, para ser mais exato, na Praia de Jabaquara. No caminho os guias Marcelo e Luciano ofereceram uma mesa de frutas (banana, maçã, tangerina...) e explicaram um pouco da história da ilha, da trilha, da área de parque, das praias, da comunidade e suas curiosidades, das casas, igrejas e demais construções até a casa da Regina Duarte entrou na conversa.

Marcio e Claudia

Praia de Jabaquara. Como não há píer, um barquinho com 8 integrantes por vez nos levou da escuna à costa, molhando somente os pés para desembarcar nas águas transparentes da Praia de Jabaquara.

A partir daquele momento, nossa aventura e obstáculos a suplantar teriam início, com o sol forte castigando a todos nós. Como a previsão era de raios UV nível 12, cuja classificação é tida como "extrema" em caso de tempo aberto, recomendamos no e-mail encaminhado dois dias antes a utilização de protetor solar, boné ou chapéu. Além do repelente que é obrigatório na região.

Marcio e Claudia
Marcio e Claudia

Caminhada ao Poço

Marcio e Claudia

Sob o aquele magnífico céu azul, sol forte e calor brotando do solo, 23 aventureiros iniciaram a caminhada ao poço de água doce. Algumas pessoas sentiram logo no início da atividade e acabaram se dividindo em grupo de 2, com os guias na frente e os organizadores, experientes também neste tipo de atividade, fechando a trilha. Diminuímos o ritmo e ali se iniciava uma luta pessoal pela superação desta adversidade. A água foi uma grande aliada da caminhada - o Marcelo comentava sobre a importância da hidratação especialmente antes do início da atividade.

Grandes desafios estavam reservados para nós no decorrer da atividade. O calor e a subida íngrime desgastaram bastante o grupo. Mesmo com algumas pessoas cansadas, atingimos o ponto mais alto da trilha, com um belo visual para praias, costões e a imensidão do mar no canal natural de São Sebastião.

Marcio e Claudia

Adentramos na mata fechada e aos poucos nos deparamos com um pouco de sua beleza. As trovoadas indicavam chuva iminente. Pequenas rajadas de vento nos refrescaram e passamos a nos divertir com tudo. A chuva veio em boa hora e tudo virou uma grande brincadeira. Pequenos escorregões (nada que machucasse ninguém) foram garantias de muitas risadas e registros fotográficos em poses inusitadas.

A vegetação se coloriu de um verde vivo vibrante, bonito de se ver e fotografar, com dezenas de cantos de pássaros nos acompanhando no decorrer da caminhada. O Sol, desta vez tímido, voltou a nos visitar. E pequenos feixes de seus raios pediram licença na mata, dando um tom dourado às folhagens.

Marcio e Claudia

Mas a aventura ainda não tinha terminado. Novas emoções nos aguardavam ansiosamente. Tínhamos que nos abaixar para passar pelas taquaras ou passar por cima dos troncos caídos, desviar das árvores em caminhos estreitos, cuidadosamente refeitos no dia anterior pelos nossos atenciosos guias Marcelo e Luciano. Formações de enormes grotões de pedra sob nós que caberiam até um caminhão dentro e alguns com água passando por baixo, apresentavam na superfície passagens que exigiam muito cuidado de todos na travessia. Um dos momentos mais bonitos da caminhada aconteceu: a solidariedade contagiou o grupo, um foi avisando o colega detrás sobre a atenção e deu a mão ao outro para se apoiar. Os obstáculos que estavam cada vez mais desafiadores e interessantes foram vencidos pela união do grupo.

Apesar do cansaço, veio o sorriso da conquista em grupo, da superação pessoal dos limites, de todos os obstáculos com um prêmio: o belíssimo poço natural de água doce com uma cachoeira ao fundo formando hidromassagem natural e o mar do outro lado. A escuna nos esperava para quando decidíssemos retornar. Eram aproximadamente 18h e as pessoas começavam a embarcar no barquinho com motor até a escuna. Havia churrasquinho a bordo, refrigerante, água e cerveja cobrado à parte para celebrar aquele momento mágico de vitória.

Marcio e Claudia
Marcio e Claudia
Marcio e Claudia
Marcio e Claudia
Marcio e Claudia

Considerações Finais

Marcio e Claudia

O que parecia ter começado errado virou o certo. A noite estava linda com a Ilhabela iluminada de um lado e São Sebastião do outro. Alguns amigos juraram ter visto uma baleia. Que pena, esta ninguém conseguiu fotografar. Chegamos em São Sebastião no píer da Praia da Figueira, trocamos rapidamente de roupa e embarcamos no microônibus por volta das 21h30. Às 0h30, já estávamos em São Paulo.

Foi um dia ótimo para se comemorar as 7 fantásticas caminhadas realizadas ao longo do ano, numa atividade 2 em 1: passeio de escuna e trilha de aventura.

((( Parabéns, amigos guerreiros!!! )))

Se você curtiu as nossas aventuras de 2005 e deseja se juntar a nós para o ano que vem, acesse www.caminhandopelavida.vai.la.

Dicas de caminhadas na Ilhabela

· Praia da Caveira (acesso apenas por trilha ou barco): estimativa de 7h de caminhada por Castelhaños, a partir de jipe;

· Castelhaños + Cachoeira do Gato: uma das mais belas praias da ilha, passeio de jipe, cachoeira lindíssima, com apenas 30 minutos de caminhada;

· Travessia Castelhaños-Bonete-Borrifos: 2 dias;

· Pico do Baepi: 1.068m de altitude, visual para o canal natural de São Sebastião, com 3 horas de subida; sugestão: caminhada da lua cheia + ver nascer do sol;

· Cachoeira do Bananal: caminhada de leve, cachoeira lindíssima, com 3 horas de ida e volta;

· Pico de São Sebastião: 1.368m de altitude; pico mais alto da Ilhabela;

· Passeio de barco Poço e Praia da Fome ou Trilha do Poço;

· Entre em contato com o Marcelo da Caiçara Ilhabela Turismo, no telefone (12) 3896 6960.

Depoimentos

"Quero agradecer muito pela sua companhia e companheirismo nesta nossa última aventura. Quero também dizer que gostei muito do nosso passeio. Sei que o que o que não foi cumprido independeu da organização de vocês, que é sempre impecável. O atraso do motorista e da escuna e a realização de tudo o que estava programado foram uma simples questão de sorte. Aquilo que dependia da organização de vocês foi perfeito, como sempre.Conforme vocês haviam informado, a trilha em si realmente não era pra ser difícil. O que prejudicou o rendimento da caminhada foi o calor escaldante. Foi uma pena não podernos aproveitar mais a praia, mas valeu a aventura." Nancy.

"Eu adorei a trilha....mesmo não tendo a parte "visual" pois a maioria do tempo tivemos que observar o solo para não cairmos e nos enroscarmos os pés. Como gosto mais de desafios...para mim estava perfeita.....até a chuva veio a calhar....queria mesmo é que caisse um temporal. O sol estava muito forte...ainda bem que o companheirismo nestas trilhas é realmente nossa grande arma.....sempre temos alguém nos apoiando, nos dando um empurraozinho ou nos segurando quando estamos quase caindo...hehehehe...... Acho que fechamos com chave de ouro.....se não tivemos o visual da trilha, tivemos as compensações.....o nascer do sol a caminho da Ilha, o passeio de escuna, pessoas novas para integrar e ampliar nossas amizades, e o final naquele rio de agua doce e águas cristalinas maravilhoso. Sem contar o por do sol e a vista pelo mar da ilha a noite....show de bola também... no mesmo dia vc teve escuna, visão da ilha bela de dia e a noite pelo mar, praia, trilha, desafios, rio de agua doce.... Embora com alguns arranhões e algumas picadas de pernilongos estou super feliz e com as energias carregadas para aguentar a semana..." Bel.

"Quero dar o meu depoimento com relação a Caminhada de Ilha Bela: FOI MUITO PUNK!!!!! Mas foi muito divertido e prazeroso. Descobri como é bom sentir dor e cansaço e sede, ahahahahahhhhh!!!! Brincadeiras à parte, eu não esperava que fosse ser tão puxado, mas foi um desafio pra mim. Acho que todos concordam que o que mais matou não foi a trilha em si e sim o calor, o abafamento, que fez com muita gente passasse mal (inclusive eu). Mas foi legal passar por isso para saber nos prepararmos melhor para a proxima nível 03. Vcs observaram o entardecer na escuna??? O que foi akilo gente? E quem viu a baleia?? Eu e o Marcio Oliveira vimos e não estávamos bebendo não!!!! Não é todo dia que a gente fica tão perto da natureza e, passear de escuna à noite com akela brisa maravilhosa, nem dava vontade de voltar pra casa!! Ilha Bela é linda e dá pra fazer várias trilhas ainda lá. Marcio, podíamos fazer outro passeio-trilha para a Praia dos Castelhanos, que inclui a ida e volta de jipe no meio do mato, praia e almoço em Castelhanos e trilha/ Cachoeira do Gato (curtinha, 35 min de Caminhada, mas a Cachoeira é espetacular!!!)no final da tarde. Isso mata o dia inteiro, eu fiz e é muito gostoso! Podemos combinar essa pro ano que vêm né? Um beijo a todos e obrigada pela oportunidade do passeio!" Neide.

"Eu gostei do passeio, mas acho que existem algumas coisas que precisam melhorar. Houve muito atraso do ônibus e do barco, isso incomodou bastante. A caminhada começou muito tarde, pegamos o período de sol mais forte logo no início da trilha e isso contribui muito para o mal estar das pessoas. Faltou informação sobre a trilha, o ecossistema, os animais. Todos gostam de conhecer um pouco da flora e fauna da região. (...) Eu entendo que muitas coisas não estão sob controle, mas acho que vocês deveriam ter tomado alguma atitude. Eu senti que vocês são muito atenciosos e preocupados com o grupo, mas foram pouco efetivos. Quero deixar claro que minha intenção é dar sugestões para melhoria e que pretendo continuar participando das atividades." Andréia.

"Qto a trilha, foi muito bom! O pessoal é dez! A viagem foi muito agradável e organizada! Tenho as fotos (150 fotos), vou montar um bloog e deponibilizarei!". Fábio Pontes.

Agradecimentos

Andréia Pereira, Claudia Beltrame, Claudia de Caiado, Claudia Martins, Eny, Fábio Pontes, Fernando Vieira, Izabel Foja, João Galdino, Lucas Datti, Luciana Tudeia, Marcelo Vasciaveo, Marcio Oliveira, Maria Eli, Mônica Filippon, Nancy Stefanelli, Neide dos Santos, Paola Romero, Tania Ywasaki, Thelma Lucia, Valderes e Veronilda Gomes; Marcelo e Luciano da Caiçara Ilhabela Turismo (www.caicarailhabela.com.br); Michel e colaboradores do Gringo I; Carlos da Iris Sol e Mar Serviços Turísticos.

  
  

Publicado por em