Curitiba & Conexão com o Verde

Nosso ponto de partida para iniciarmos a aventura-descanso de férias foi em Curitiba.

  
  
Marcio e Claudia

Nosso ponto de partida para iniciarmos a aventura-descanso de férias foi em Curitiba. Precisávamos chegar um dia antes para aproveitarmos o histórico e deslumbrante passeio de trem em meio à Mata Atlântica no dia seguinte para Morretes e depois seguirmos viagem com final, a Ilha do Mel.

De um modo geral, ficamos impressionados com o carinho que o paranaense cuida de suas matas. A consciência ecológica nos parece bastante desenvolvida na região. Também não é para menos. 93% desta magnífica mata foi devastada, restando apenas 5% de Mata Atlântica no Estado do Paraná e apenas 2% espalhados como manchas verdes em 16 estados.

“Na costa leste do Brasil, estendia-se outrora uma imensa floresta. Iniciava-se no cabo de São Roque no Rio Grande do Norte até o norte do Rio Grande do Sul, abrangendo mais de 1,2 milhão de km².

Marcio e Claudia

A desastrosa relação do homem com a floresta começou com os caçadores-coletores, depois agricultores itinerantes e uma aceleração absurda de destruição veio com a chegada dos portugueses.

Inúmeras espécies de flora e fauna desapareceram sem que dela tivéssemos tido conhecimento, não deixando testemunhas, nem sequer foram batizadas com um nome vulgar ou científico.

Hoje, pequenas manchas verdes, concentradas no litoral sul do Estado de São Paulo e norte do Paraná ainda abrigam uma das maiores diversidades de espécies vegetais e uma das mais exuberantes variedades faunísticas da Terra.” Carlos Renato Fernandes.

“De cada cem árvores antiga

Restam cinco testemunhas acusando

O inflexível carrasco secular:

Restam cinco, não mais. Resta o fantasma

Da orgulhosa floresta primitiva.”

Carlos Drummond de Andrade

Em Curitiba, ficamos encantados com a quantidade de parques que o curitibano tem à disposição para se integrarem com a Natureza, praticar esportes, curtir com a família e relaxar. Em um deles, capivaras circulam livremente entre um corredor e outro visitante. É realmente de impressionar ao saber que cada há disponível praticamente um apartamento de 2 dormitórios por habitante de área verde em Curitiba, ou seja, aproximadamente 56m²/pessoa.

Marcio e Claudia

Assim que saímos do hotel econômico F1 (R$59 para 2 pessoas) nas proximidades da Rodoferroviária, caminhamos até o Centro Cívico para almoçar o restaurante indiano vegan Balarama. Pegamos o ônibus turístico na Praça Tiradentes.

Nossa primeira parada: Jardim Botânico. Trata-se de uma estufa de 3 abóbodas em estrutura metálica com cobertura transparente que abriga espécies vegetais raras de todo o Brasil. No espaço cultural anexo, podia-se visitar os trabalhos do artista Frans Krajcberg.

Saltamos rapidamente no Bosque Alemão (lá conta a estória de Joãozinho e Maria; apresenta estrutura de madeira em vários níveis em meio à mata). Seguimos para um belo trabalho de reciclagem de 2 pedreiras desativadas: a inaugurada em 1992 e famosa Ópera de Arame com teatro coberto para 2,4 mil pessoas e a Pedreira Paulo Leminski, aonde costumam ter shows maravilhosos como o Festival de Música Open Mind que costuma acontecer no final de outubro.

Marcio e Claudia

Visitamos o interessante Parque Tanguá, com bela arquitetura, fontes e túnel de acesso a uma cascata com cerca de 70m de queda. Subimos no ônibus e saltamos no Parque Tingui, caminhando por trilhas, margeando lagos em parte e atravessando por ponte em outro trecho até o magnífico Memorial Ucraniano todo trabalhado em madeira, com peças e ovos decorados (pêssankas - simbolizam uma infinidade de coisas simples e boas que uns desejam aos outros até a eternidade, além de ícones religiosos e artesanato), riquíssimo em detalhes. Esta igreja é na verdade uma réplica da que os imigrantes ucranianos construíram em estilo arquitetônico bizantino com cúpula de bronze no formato de cebola e campanário externo na Serra do Tigre, no Paraná, no século 19.

Passamos pelo Parque Barigui e subimos em torre panorâmica de 109m de altura equivalente a um prédio de 40 andares, com visão em 360° para toda a Curitiba.

À Noite – Avenida Paulista Pizza Bar

Marcio e Claudia

Extremamente educados, atenciosos, prestativos, proativos e “ótimos conselheiros”, garçons, somelié, recepcionista, atendente...Foi uma noite especial com decoração aprazível, acompanhada por uma pizza de duplo funggi e queijo de cabra tipo chèvre a l´huile com tomate seco, manjericão, por surpreendente e equilibrado vinho chileno Santa Ema Gran Reserva Carbenet e para o grand finale... esta foi marcante... nos deliciamos com a memorável pizza de pétalas de rosas vermelhas cristalizadas com farofa crocante e camada de sorvete de creme (como se fosse a mussarela da pizza). Que delícia, amigos!!!

  
  

Publicado por em

Joseli

Joseli

29/08/2009 09:39:59
Muito lindo e comovente, ler e sentir, minha cidade, pelos olhos de pessoas sensíveis vindas de fora.Uma pequena passagem e descobriram Curitiba, como poucos curitibanos a conhecem. Obrigada por este belo testemunho.

Caminhando pela Vida

Caminhando pela Vida

Ficamos surpresos pela consciência de preservação e investimentos em área verde, considerando que dos 7% de Mata Atlântica remanescente no Brasil, 5% está no estado do Paraná. Comparativamente falando, que presente para o mundo ver Curitiba dispor de um apartamento de dois dormitórios por habitante (56m2) em área verde. Exemplo para todos nós.