Rumo a San Pedro de Atacama, passando antes por Antofagasta e Calama

Chegamos em Antofagasta à noite, e nos impressionamos com a cidade ao entrarmos.

  
  
Parque Nacional Pan de Azucar

Deixamos Bahia Inglesa para trás, passamos por Caldera e fomos visitar o Parque Nacional Pan de Azucar, no Pacífico. Este parque consiste de Deserto Costal e a Cordilheira, com praias de areia branca, áreas rochosas e uma flora distinta.

Nosso Lan em meio aos Cactus

Tivemos a oportunidade de ver Leões Marinhos e muitos Cactus. Fomos até o mirante e curtimos um pouco a paisagem. Depois seguimos para Antofagasta . . .

Pôr do Sol em Antofagasta

Chegamos em Antofagasta à noite, e nos impressionamos com a cidade ao entrarmos, porém isso não durou muito tempo pois a cidade em si não e nada agradável. No caminho paramos num monumento desta região, uma escultura enorme de uma mão.

Escultura de Mão

Na manhã seguinte fomos conhecer a praça central e depois ‘La Portada’, um arco rochoso natural que o Pacífico esculpiu, realmente muito bonito! No caminho para ‘La Portada’ vimos pelicanos na beira da estrada, foi muito engraçado.

Seguimos para Calama, uma cidade mineira que fica a 2700m (a cidade mais alta do Chile), e pela primeira vez, depois de vermos tantas placas oferecendo ‘cabañas’, encontramos uma e passamos a noite lá, antes de chegarmos ao ‘oásis’ de San Pedro de Atacama.

Valle de la Luna

A caminho de San Pedro de Atacama, passamos pelo ‘Valle de la Luna’, uma área com crateras muito parecidas com a lua.

Depois de conhecer a pequena cidade, seguimos rumo ao ‘El Tatio Geysers’, situado a 4300m, os mais altos do mundo. Decidimos pernoitar ali, e nem precisamos dizer o mega frio que passamos. Só para vocês terem uma idéia, a água que deixamos dentro da barraca, amanheceu gelo.

Estrada perigosa

Outra grande experiência foi a estrada que seguimos no próximo dia . . . muito estreita com abismos dos lados, uma das mais perigosas porem foi muito emocionante! Depois de muitos kilometros de ‘costelas de vaca’ nas estradas de terra, chegamos em Ollague, na fronteira com a Bolívia.

  
  

Publicado por em