Roatan, cara a cara com inúmeros Tubarões

Alem de emocionantes mergulhos pelos paredões, arrecifes e naufrágios, Roatan também oferece mergulhos com os temidos Tubarões. Confira aqui mais esta aventura.

  
  

Eu, um ex-shark feeder e apaixonado por estes animais não podia deixar de ver a versão hondurenha desta atividade. Partimos para a única operadora que realizava Shark Dives na ilha, a Waihuka Adventure Diving Center, também no lado sul da ilha. Estávamos todos ansiosos. Recebemos um briefing do dive master local, preparamos os equipamentos e partimos para encontrar os tubarões. A espécie mais comum aqui era a mesma que eu estava acostumado a lidar em Nassau, nas Bahamas, o tubarão Caribenho de Arrecife (Carcharhinus perezi). Este tubarão, encontrado no Atlântico desde a Flórida até o Brasil, têm aproximadamente 3 metros quando adulto e freqüenta os paredões mais profundos de formações de recifes, tendo as áreas mais rasas como zona de alimentação.

O ponto de mergulho se chamava Cara a Cara e sua a profundidade era de 21 metros. Caímos, e de cara, já avistamos alguns tubarões nadando rente ao fundo. O guia levou um balde fechado com alguns peixes, e isso atraía os tubarões para uma área também chamada de arena. Em alguns minutos estávamos cercados por mais de 20 tubarões. Ficamos com eles por uns vinte minutos, filmando sua inigualável beleza. Eles passavam tão perto que às vezes ate esbarravam em alguns mergulhadores. Após avaliar a segurança, o guia nos permitiu nadar entre eles, uma sensação indescritível.

Noeli Ribeiro

Ao final, o guia abriu o balde e em alguns segundos estava tudo acabado. Ficamos mais alguns minutos com os “tubas”, que se espalharam pelo lugar. Além deles, garoupas, badejos e uma grande moréia também estavam presentes. Eles não mostravam nenhum sinal de agressividade e a grande garoupa, era extremamente dócil, favorecendo belas fotos ao lado de um mergulhador. Um belo sinal de equilíbrio. Muito se fala sobre esta atividade, mas, polêmicas a parte, esta prática ajuda a desmitificar os tubarões e favorece a sua proteção, algo extremamente necessário hoje em dia. Como acontece com outros grandes predadores, a ausência de tubarões pode desequilibrar todo o ecossistema, causando um aumento das populações das espécies normalmente predadas por ele, afetando toda a cadeia alimentar. Apesar da interação humana, aqui o ecossistema não mostrava nenhum sinal de desequilíbrio, provando que é possível uma interação consciente, sem grandes danos ao ecossistema.

Assista o vídeo deste emocionante mergulho:

Semana que vem mergulharemos com os simpáticos Golfinhos Nariz de Garrafa.

Até lá,

Grande abraço


Cristian Dimitrius

Cinegrafista de natureza, biólogo e instrutor de mergulho. Trabalha exclusivamente com a produção e captação de imagens de natureza para documentários, matérias de tv e vídeos educacionais. Já esteve pelos 4 cantos do mundo, sempre buscando retratar como a natureza se mostra aos seus olhos.
www.diveadventures.com.br
Email: cristian@diveadventures.com.br

  
  

Publicado por em