ARGENTINA A MILANEZA

Mais um imprevisto desagradável - mas calma, não se assustem, nada grave! Chegamos à fronteira entre Chile e Argentina (o paso que vai a Bariloche) à 1h30 da manhã e ela estava fechada. Todas as informações que colhemos indicavam o funcionamento 24hs, mas

  
  

Mais um imprevisto desagradável - mas calma, não se assustem, nada grave! Chegamos à fronteira entre Chile e Argentina (o paso que vai a Bariloche) à 1h30 da manhã e ela estava fechada. Todas as informações que colhemos indicavam o funcionamento 24hs, mas desde 1º de maio os portões são fechados entre 19 e 8 horas. Fazia muito frio (3 graus) e o Forester está preparado apenas para dormir um de cada vez. Cacá dormia e eu fui conversar com uns caminhoneiros que também aguardavam a abertura da fronteira. Tomamos alguns copos de vinho chileno e jogamos muita conversa fora. O negócio era espantar o frio e passar o tempo. Mais gente foi chegando, mais caminhões, mas por sorte éramos os primeiros da fila para deixar o Chile. A parte ruim da notícia é que dificilmente chegaremos em Ushuaia na quinta-feira, como planejávamos. Sexta pela manhã é o mais provável. A notícia boa é que passaríamos durante a noite por essa região belíssima de lagos, montanhas e florestas com cor de outono. Que desperdício! Então, isso nos conforma. Também, o fato de ainda estarmos com grande vantagem sobre o recorde de 23 dias. Se chegarmos na sexta antes das 15hs, estaremos completando a viagem em 18 dias e tantas horas. Nada mal, mas ainda temos chão pela frente e temos de nos concentrar para que dê tudo certo. Foi tranquilíssima a passagem de fronteiras - parece que acabaram-se aqueles trâmites altamente burocráticos e corruptos que enfrentamos em outras partes. Bem, agora estamos no mesmo fuso do Brasil e são 10hs30. Hora de dormir. Eu, pois o Cacá precisa ficar bem atento. A pista é boa, mas está molhada. E como os visuais são tão lindos, fica fácil se distrair. Ah, e eu vou perder tudo isso dormindo?! Que outro jeito? Ah, o Cacá diz que não poderá deixar de comer um "milaneza com huevos", uma especialidade argentina de bar de estrada. Então, se nossa chegada atrasar 1 hora, já sabem. Aliás, já mencionamos como estamos nos dando bem? A amizade, que antes temia poder ficar abalada com uma convivência tão intensa e em espaço tão reduzido, se fortalece cada vez mais. Ah 2: nosso odômetro marca 20.780 quilômetros percorridos e estamos a 42 kms de Bariloche. Decidimos esperar chegar até lá antes de mandar este boletim, assim quem sabe mandamos junto uma foto bem bonita.
Algumas respostas a e-mails recebidos (estamos meio atrasados com elas, pois são muuuuuuuuuitos!):
O Nei, Ninon e Gabriel escreveram só prá deixar a gente com água na boca, contando do pargo com pirão que prepararam lá em Niterói. Sacanagem! A Jane continua engraçadinha com suas piadas sem graça, sempre linda e maravilhosa. A Vera diz que toda a população de Rio Preto está de olho em nossa aventura. Alooooooooooo, Rio Preto!!! Wilsinho, nos aguarde que nós vamos fazer uma bagunça em seu quiosque no Guarujá! É Show?! Jorge, lá da Flórida, valeu pelas histórias - um Código Universal (CU) poderá ajudar muita gente. O Juan Inostroza, um policial Carabinero do Chile nos escreveu e pede que respondamos. Mas deixou seu e-mail como apenas ombu58. hdo Guinness precisamos enviar uma série de documentação. Entre elas: fotos, vídeos, reportagens, carimbos em passaporte, marcações de GPS e, finalmente, um atestado com pessoas de credibilidade na partida e na chegada, afirmando nosso local e horário de partida/chegada. Fizemos isso em Prudhoe Bay e esperamos fazer o mesmo em Ushuaia. Quanto ao cumprimento de regras, como a das multas, existem duas questões envolvidas. Primeiro é o da consciência, uma questão moral. Segundo, é que se houver dúvidas ou contestações, pode-se fazer uma averiguação nos países de passagem para saber se há registro de infrações. Assim, quem não se importar com a questão moral, o importante seria não deixar rastros. Respondido mana e Bruder? O Fábio Domingos quer saber sobre a travessia entre Panamá e Colômbia, pois mora nos EUA e pretende fazer a viagem para o Brasil. Logo publicaremos algumas matérias a respeito, Fábio, mas adiantamos que o mais complicado de tudo é o desembaraço aduaneiro. Mas, se você não estiver com tanta pressa como nós, no problem. Um abração pro Jorge e Alexandra; Allan Magalhães ; Marcos Leal; Edu Bisna; Milene; Felipe brother; Cezo Bola; prá Marisa e galera do Pitstop. Ah, claro, um beijo especial no coração dos queridos Ricky, Rose, Bel e Luisa.

Entramos na Argentina por Bariloche, que lindo!

Entramos na Argentina por Bariloche, que lindo!

Foi muito emocionante também falar com alguns amigos pelo telefone, então, para quem não anotou o número, lá vai de novo! (0021) 870.762.846.975.

A chegada em Bariloche no GPS

A chegada em Bariloche no GPS

Ainda no Chile, pausa para foto

Ainda no Chile, pausa para foto

  
  

Publicado por em