Blogs > EcoFotos > Viagens Nacionais > 

Deserto do Jalapão - TO

Uma grande aventura com a Korubo Safári Camp no centro do Brasil

30 de Julho de 2008.
Publicado por Adilson Moralez  

A imensidão do Jalapão

A imensidão do Jalapão - Foto: Adilson Moralez

Rio Novo

Rio Novo
Foto: Adilson Moralez

Situado a cerca de 300 km de Palmas no Tocantins, o Jalapão é considerado um deserto, porém, isso só é verdade no tocante a densidade demográfica, que é de cerca de 1 hab/km2. O que não falta por lá são rios caudalosos de águas transparentes e cachoeiras lindíssimas. A vegetação predominante é o cerrado baixo com árvores de pequeno porte e veredas com a presença marcante dos buritis e solo alagadiço. O clima é bem definido sendo chuvoso no inverno (outubro a abril) e seco no verão (maio a setembro). A temperatura média anual é de 30ºC, passando dos 35ºC durante o dia e caindo para 18ºC ou menos durante a noite. A fauna é bem variada e composta principalmente por veado campeiro, tamanduá bandeira, lobo guará, anta e suçuarana. As principais aves são tucano, ema, seriema e quero-quero. O principal acesso ao Jalapão é através de Ponte Alta, onde se diz adeus ao asfalto começa a aventura. As estradas são de terra e no verão há muita, mas muita areia. Só é possível trafegar com veículos 4x4 e mesmo assim nos acessos aos principais pontos de interesse é necessário muita perícia para não ficar atolado.

Estradas do Jalapão
Caminhão quase atola na areia fofa
Visuais do Jalapão

Nosso roteiro

Safári Camp

Safári Camp
Foto: Adilson Moralez

Através do convite da Korubo – Safári Camp fomos conhecer este local de paisagem única no Brasil. O vôo chega em Palmas e a primeira hospedagem é num hotel pousada na propria cidade. O meio de transporte em terra é um caminhão Mercedes 4x4 especialmente adaptado para transportar até 18 pessoas confortavelmente sentadas em poltronas individuais.

Uma vez nas estradas de terra, é possível sentar-se em 4 escotilhas no teto e sentir no rosto o sabor da aventura enxergando sem obstáculos, há dezenas de quilômetros, as belas chapadas do Jalapão. Quem imagina que acampar é sinônimo de desconforto e privações, esqueça.

O Korubo Safári Camp é estrategicamente localizado às margens do rio Novo, um dos últimos de água potável no mundo, e numa ampla área repleta de cajueiros e mangabeiras. As tendas são amplas e comportam duas camas individuais com prateleira para os pertences pessoais. Há banheiros separados para homens e mulheres e acredite: chuveiros com banho quente ao cair da tarde.

O banheiro é semelhante ao de aviões e muito higiênico. A iluminação das áreas externas é através de tochas e nas barracas e banheiros há LEDs. Se já está começando a gostar, ainda falta a melhor parte: a comida. Você imaginaria encontrar carne de sol na moranga ou ainda mousse de maracujá num safári camp? A comida é simplesmente maravilhosa e muito bem servida.

Outro luxo é a caipirinha servida com muito gelo antes do jantar. A equipe formada por guia, cozinheiro, motorista e auxiliares é muito atenciosa, competente e sempre disposta a atender bem.

Caminhão Korubo
Almoço no refeitório
Equipe Korubo

Primeiro dia – Palmas – Safári Camp

Viajando nas escotilhas

Viajando nas escotilhas
Foto: Adilson Moralez

Nossa viagem começa no sábado em Palmas, onde o caminhão chega pontualmente às 8:30h no hotel para levar nosso grupo de 17 pessoas para o acampamento. A primeira parte da viagem é de asfalto até Ponte Alta e no caminho começam as apresentações e as amizades já vão se formando. Após o almoço a aventura realmente começa com a entrada na estrada de terra. A poeira vai ficando para trás e as belas paisagens já podem ser vistas. Quando o acesso às escotilhas é liberado, forma-se uma fila para subir. A primeira parada é no cânion de Suçuapara com suas águas refrescantes que brotam nas rochas.

Mais algumas horas de sacolejo e chegamos ao Safári Camp no cair da tarde. Hora de explorar as instalações, desfazer as malas e entrar no clima de acampamento. Todos ficam extasiados ao olhar para o céu, pois a maioria nunca havia visto tantas estrelas. Após o saboroso jantar o grupo preferiu dormir cedo.

Cânion de Suçuapara

Segundo dia – Canoagem e Dunas

Canoagem no rio Novo

Canoagem no rio Novo
Foto: Adilson Moralez

O café foi servido às 8h e logo em seguida começam as instruções para a canoagem. Mesmo os mais medrosos se arriscam, pois a descida é bem tranqüila e há várias paradas nos bancos de areia para apreciar a paisagem e curtir um banho de rio. No caminho avistamos um casal de araras canindé preparando o ninho no topo de um buriti. A volta ao camping é no caminhão e na chegada o almoço já está servido. Para fugir do sol forte da tarde, uma siesta nas redes é a melhor opção.

Lá pelas 15h, com o sol mais fresco partimos rumo às famosas dunas. Levamos cerca de 50 minutos até lá e o trecho final é feito numa caminhada curta. O visual das dunas é fantástico, de cor alaranjada e extremamente fina é um convite para saltar e rolar morro abaixo. A atração é esperar o pôr do sol que intensifica ainda mais sua cor. De volta ao camping e após a lasanha foi a vez de sentar-se a volta da fogueira e ouvir as histórias do guia Mauro.

Dunas
Por do sol na dunas

Terceiro dia – Fervedouro e cachoeira do rio formiga

Fervedouro Korubo

Fervedouro Korubo
Foto: Adilson Moralez

Como a viagem seria um pouco mais longa o café saiu mais cedo. Neste dia ficamos sem mamão, pois um lobo guará havia assaltado a cozinha de noite e comido todos. A saída foi às 8h com destino ao fervedouro particular da Korubo e logo na seqüência ao poço do fervedouro. Trata-se de uma nascente que devido ao volume d’água que brota do chão é impossível afundar.

A água é totalmente transparente e a areia muita clara e fina. Apesar de ser mês de férias o local estava tranqüilo e pudemos aproveitar bem. Para evitar maiores impactos é permitido apenas 6 pessoas por vez. O próximo destino é a cachoeira do rio formiga, onde suas águas transparentes proporcionam uma exelente massagem. Enquanto nos banhávamos, o cozinheiro Adélio, preparava nosso almoço.

Após o almoço o programa foi passar em Mateiros para a compra do famoso artesanato de capim dourado. Na volta para o camping, o grupo já bastante entrosado, cantarolava canções do repertório MPB.

Fervedouro público
Cachoeria do rio formiga
Artesanto de capim dourado

Quarto dia – Serra do Espírito Santo

Serra do Espírito Santo

Serra do Espírito Santo
Foto: Adilson Moralez

Mais uma vez o ritual se repete e após o saboroso café da manhã partimos no caminhão e em 1 hora estávamos no sopé da serra do Espírito Santo. A caminhada inicial é de cerca de 800m e muito íngreme. Porém, uma vez lá em cima a caminhada é plana e com uma vista maravilhosa. Há uma pedra propícia para fotos com vista panorâmica. A caminhada até o outro lado da serra é de 3km e de lá é possível se avistar as erosões de onde a areia é retirada pelo vento e chuva para formar as dunas.

Retornamos ao camping para o almoço onde foi servido um saboroso file ao molho de vinho. Na seqüência quase todos foram curtir uma siesta nas redes e eu aproveitei a luz maravilhosa para fotografar as margens do rio Novo com suas incríveis sempre-vivas e veredas com Buritis.

À noite tivemos um evento especial, pois além da tradicional fogueira, havia um grupo musical de Ponte Alta para animar a festa com o tradicional forró. No início todos estavam bem acanhados, mas aos poucos os casais foram se formando e a poeira foi levantando.

Trekking sobre a serra
Noite de forró na fogueira
Sempre-viva

Quinto dia – Cachoeira da Velha, Prainha e retorno

Cachoeira da velha

Cachoeira da velha
Foto: Adilson Moralez

Hoje o dia já amanheceu com cara de retorno, mas ainda tínhamos muita atividade. Com as malas arrumadas tomamos o último café e nos despedimos do camping.

Após algumas horas de viagem chegamos à majestosa cachoeira da Velha. Devido ao grande volume d’água não é possível banhar-se nela, mas o banho seria poucos minutos depois na prainha, uma área muito calma do rio Novo com areia branquinha e sombra. Lá fizemos nosso picnic com direito a torta de frango, suco gelado e bolo de chocolate.

No caminho de volta para Ponte Alta tínhamos os músicos nos acompanhando e o forró rolava solto. Em Ponte Alta fizemos uma parada para descanso numa sorveteria e na chegada em Palmas todos se despediram na certeza de terem tido uma excelente semana de férias num lugar paradisíaco.

Prainha do rio Novo

Veja o audiovisual de nossa viagem

Dicas dos autores

Adilson e Marcia

Adilson e Marcia Moralez
adilson@ecofotos.com.br
www.ecofotos.com.br

• O dia no Jalapão é bem quente e as noites bem frescas. Use roupas leves, chapéu e protetor solar de dia, mas tenha agasalhos para a noite;
• Não esqueça uma lanterna e pilhas;
• Não economize no cartão de memória de sua camera fotográfica;
• Embora não haja energia elétrica no camp é possível carregar baterias de câmeras fotográficas no caminhão;
• Na maior parte dos passeios podem-se calçar chinelos ou papete. Apenas a caminhada da serra requer tênis ou bota. Também é interessante ter calça comprida leve devido a vegetação.
• Em todos os passeios é servido água geladinha no caminhão.
• Os serviços e o roteiro da Korubo Safári Camp são excelentes e estou certo que adorará conhecer o Jalapão com eles.


Serviços

Descrição

Korubo Safári Camp
www.korubo.com.br
63-3213-2662
63-8437-3837
Palmas - TO

Compartilhar nas Redes Sociais

Comentários

José Aparecido Silva

 postado: 21/8/2008 12:38:59editar

Parabéns ! Que coisa linda. Obrigado por trazerem imagens tão bonitas de uma região tão pouco conhecida de nós, brasileiros.
Parabéns, mesmo...

 

VALÉRIA PEREIRA

 postado: 23/8/2008 15:32:35editar

ADOREI AS IMAGENS E MARAVILHOSO SABER QUE NOSSO BRASIL E UM LUGAR FANTASTICO CHEIO DE PAISAGENS E CURIOSIDADES PARA DESCOBRIR-MOS.

 

Ivanilene Monteiro

 postado: 27/1/2009 20:57:38editar

lindo! Pena que ainda tem gente que ainda não foi visitar tal paraiso, como eu e meus colegas professores aqui de Tocantínia no Tocantins. Mas, estamos programando uma excursão e suas imagens nos empolgou mais ainda. Obrigada

 

Vastir Vilarins Rocha

 postado: 25/2/2009 17:32:41editar

Dispensa comentários: sem palavras.... é realmente um paraíso, dentro do Brasil. Já fui apenas na praia do Rio Novo, porém tenho projetos para visitar todos os pontos turísticos ainda este ano. Parabens pelas fotos.

Olá Vastir
Concordo plenamente com você - esse lugar é mágico.
Grande abraço

marcos dos santos

 postado: 22/4/2009 17:17:15editar

O nosso Brasil realmente e muinto lindo

 

Raul Coelho Moreira

 postado: 24/4/2009 14:10:45editar

Estive em Palmas em julho de 2008 para participar doencontro de motociclistas que ocorre no início de julho e pretendo fazer o mesmo em julho próximo. Amei a cidade. Pretendo aproveitar melhor, se não todas, uma boa parte das opções de turismo. Não vejo a hora de subir na minha moto aqui em Goiânia e me deslunbrar com esta bela e acolhedora cidade... parabéns Tocantins por tanta beleza...

 

aline domingos

 postado: 31/5/2009 22:14:25editar

Sem Duvidas, eh lindo esse lugar, tenho uma amigo que tem uma pousada nas aguas do jalapão, e o lugar eh magnifico. vale a pena estar lá.

 

valentim alves dos santos

 postado: 21/6/2009 13:28:13editar

achei maravilhoso as imagens são fantasticas! parabéns

 

Regina Ferreira

 postado: 25/12/2010 12:33:02editar

MARAVILHOSO!!! Pretendo conhecer...

 

ORLANDO TAVARES DE JESUS

 postado: 24/11/2012 17:01:10editar

Estive no Safári Camp da KORUBO de 20 a 25/10/2012 e convivi com toda essa beleza. Além do fascinante passeio,torna-se importante ressaltar a estrutura montada pela KORUBO.A preocupação com o bem-estar de seus clientes é de tirar o chapéu.Recomendo e pretendo voltar.

 

 

Últimos boletins

Veja também

Chapada Diamantina / BA - 2008Aparados da Serra e Serra Geral

 

editar    editar    editar    3.600 visitas    10 comentários