Itararé/SP - A Sentinela da Fronteira

Distante 336 km da capital, na divisa dos estados de São Paulo e Paraná, Itararé , cidade do interior paulista, vem se destacando nos roteiros de ecoturismo pela sua biodiversidade, oriunda do encontro harmonioso do cerrado com os campos gerais.

  
  

A Sentinela da Fronteira

Vale do Éden

Distante 336 km da capital, na divisa dos estados de São Paulo e Paraná, Itararé, cidade do interior paulista, vem se destacando nos roteiros de ecoturismo pela sua biodiversidade, oriunda do encontro harmonioso do cerrado com os campos gerais.

Devido sua localização limítrofe ao Paraná, carinhosamente conhecida como a `Sentinela da Fronteira`, desde a época da Revolução de 1930. Ponto de pouso dos tropeiros e bandeirantes que se embrenhavam nas matas em direção ao sul do país, hoje tem o passado reverenciado por outros protagonistas. Eles ainda mantêm vivo o espírito de aventura, desafiando a lei da gravidade, percorrendo trilhas e riachos, ou, simplesmente contemplando belas paisagens e trazem consigo uma filosofia de respeito ao ambiente: o ecoturismo.

Texto: Namaste Natureza

Cachoeira Lajeado Grande

Lajeado Grande ao fundo

Saímos de São Paulo a Convite da Namaste Natureza, na quarta feira à noite, por volta de 22:00 hs, véspera do Feriado de Tiradentes, de ônibus, rumo à Itararé-SP, a 336 Km da capital. A Viagem foi tranqüila, chegamos por volta de 03:00 da manhã, fomos recebidos por um funcionário do Hotel Itararé, o qual já esperava pelo grupo, distribui as chaves dos apartamentos e fomos todos descansar um pouco, para acordar cedo no dia seguinte e conhecer as belezas da região.

Acordamos por volta de 07:30, tomamos um café da manhã reforçado, conhecemos um pouco das pessoas do grupo que iríamos passar o dia, eram 14 pessoas no total, sendo 09 turistas, Arthur, Rosa, Augusta, Cici, Rosemar, Anita, Cristiana, Claudia e Marina, 02 guias, o Alécio da Namaste Natureza e o Ricardo da RASTUR, Seu Francisco, o motorista da Van, a jornalista do Portal EcoViagem, no caso eu, e o assistente, Alexandre.

Caminho para Cachoeira

Entramos na Van que nos levaria ao primeiro atrativo da região, a Cachoeira do Lajeado Grande, que fica a 30 Km de Itararé, fazendo parte do município de Sengés, já no Estado do Paraná. A Cachoeira pertence a uma propriedade privada, e só é permitida a entrada com autorização prévia mediante acompanhamento de Guias ou Monitores Ambientais.

A Van nos deixou em um trecho da estrada, distante cerca de 4 Km da Cachoeira, onde pegamos a Trilha do Lajeado,de nível leve. Durante o percurso, pudemos começar a observar a paisagem da região, passando pelo Rio Lajeado Grande, onde se forma uma represa natural, passamos por capões, mata ciliar, rochedos, pequenas cachoeiras encravadas nos paredões rochosos como a Cascata do Rio Acima, a Cachoeira do Funil e a Grande Cascata do Topo.

Cachoeira Lajeado Grande

Chegamos a Cachoeira do Lajeado Grande, logo avistamos uma praia natural, com muitas arvores e sombra e a bela cachoeira encravada entre os paredões areníticos, sua queda e a mata á sua volta, ideal para banho, formando uma grande piscina natural, com seus 42 metros de altura e 30 metros de cortina dàgua, também é possível praticar o Rapel.

Atrás da Cachoeira

Passamos algumas horas por ali, algumas pessoas tomando banho, outros contemplando a natureza, e alguns, entre eles eu, fomos junto com Ricardo, Monitor Ambiental, conhecer os bastidores da cachoeira, ou seja, uma trilha que passa por trás da cachoeira, onde se avista a piscina natural lá de cima, a praia, uma sensação muito boa de estar atrás da cortina de água.

Recanto do Lajeado

Na segunda parte do dia, o cronograma era conhecer o Cânyon do Jaguaricatu, um prolongamento da formação rochosa que vem desde a Serra da Graciosa, no Paraná, até Itararé, cerca de 300 Kms. Durante o caminho pudemos conhecer os Campos Gerais, formação típica da região do Sul do Brasil, ainda pequenas cachoeiras, formações rochosas, o Recanto do Lajeado, rios e muito verde.

Lajeado vista de cima

No recanto do Lajeado, pudemos ver a Cachoeira Lajeado Grande de cima. Uma bela vista! Faltando pouco para chegarmos ao Cânyon, por volta de 16:00 hs, o tempo começou a mudar, e inesperadamente começou a chover muito forte, e para nossa surpresa, choveu granizo por quase meia hora sem parar. Todos começaram a ficar preocupados, pois não havia onde se abrigar, estávamos em campo aberto. Por decisão dos Monitores experientes, decidiram não continuar a trilha, que já estava praticamente castigada pela forte chuva, e cortar caminho para retornarmos, e com razão, tomaram a decisão certa, durante o retorno, a chuva voltou com força, mas já estávamos bem próximos ao veículo.

Trilha das Cachoeiras

Cachoeira Pinheirinhos

Depois da euforia do dia anterior, da chuva de granizo em campo aberto, ficamos torcendo para que o tempo contribuísse. O Roteiro é a Trilhas das Cachoeiras, a 38 Km de Itararé, já no município de Sengés-PR.

Começamos a trilha por volta de 09:00 da manhã, para fazermos um percurso de aproximadamente 16 Km ida e volta, caminhada de nível médio-leve. A trilha acompanha o Rio Lajeado Grande, e a primeira cachoeira a ser avistada é a Cachoeira Pinheirinhos.

Cabeceira do Lajeado

Um pouco adiante, 2 Km a frente, seguindo pelos Campos gerais, avistamos a Cachoeira Cabeceira do Lajeado, com 35 metros de altura, ideal para banho, com piscina natural, praia e árvores para um bom descanso. Ali paramos algum tempo para refrescar, tomar um lanche e ouvir um pouco das histórias da região.

Araucária

Seguimos adiante pela Trilha das Araucárias, e 4 Km a frente, chegamos a outras quedas d´água, a Cachoeira do Veadinhos, fizemos uma parada para banho e hidromassagem, tomar um lanche, fotografias e descanso.

Cachoeira Lajeadão

Pegamos a Trilha do Cipó, para conhecer a Cachoeira Lajeadão. A trilha era bem diferente, tínhamos que ir descendo segurando em cipós, até chegar ao leito do rio lá embaixo, nada muito difícil, mas uma experiência inusitada.

A Cachoeira do Lajeadão com 20 metros de altura aproximadamente, é própria para banhos e hidromassagens, repleta de piscinas naturais, cercada pela exuberante mata ciliar, lembrando a Mata Atlântica.

Cachoeira dos Bugres

Mais adiante, por volta de 16:00 hs, vimos a Cachoeira dos Bugres, com cerca de 20 metros de altura, mas era preciso descer uma trilha para chegar até seu poço, e o tempo já estava ameaçando fechar, e por segurança, os monitores, junto ao grupo, decidiu continuar caminhando. Passamos pela Cascata Poço Fundo, também para banhos e hidromassagens, até chegarmos ao tão esperado Café da Roça.

Campos Gerais

Chegamos na casa de uma senhora, que mora em uma fazenda, a qual nos recebeu muito bem, serviu um café repleto de bolinhos de chuva, bolo de mandioca, leite fresco, café, entre outras delícias. Todos comeram à vontade, depois o Monitor Ricardo e Renato fizeram uma sessão de fotos que foram tiradas nas caminhadas. O Ecoturismo preza por valorizar a cultura local, e nada mais autêntico do que poder participar desse Café da Roça,oferecido de forma simples, original e de muita boa vontade.

Estância Vale do Paraíso

Cânyon Pirituba

O terceiro dia ficou para conhecermos o Cânyon Pirituba, Cachoeira Envernada e ver o pôr do sol na Pedra da Galinha e do Camelo.

A Estância Vale do Paraíso fica a 28 Kms de Itararé, é uma propriedade particular, que permite a visitação somente com autorização prévia e acompanhamento de Monitores Ambientais.

Cânyon Pirituba

O destaque é o Cânyon Pirituba, com paredões areníticos, com alturas de 30 a 40 metros em relação ao Rio Pirituba que corre tranqüilo lá embaixo, que mostra sua mata ciliar primária, sua fauna rica e variada, como esquilos, maritacas, gaviões, tucanos, capivaras, quatis, veados, entre outros.

Cachoeira Envernada

O Cânyon Pirituba é uma extensão do Cânyon Guartelá, o 6º maior Cânyon do mundo em Extensão. No Mirante do Cânyon, avista-se a Cachoeira Envernada, com 60 metros de altura.

Trilha Corredor dos Cânyons

Por trilhas, chega-se ao Poço da Cachoeira Envernada, onde é possível tomar banho. Então, seguimos ao Poço, primeiro por uma bela trilha entre paredões, muito diferente e interessante.

Travessia Ribeirão dos Papagaios

Ao chegar em um local mais plano, é necessário atravessar o Ribeirão dos Papagaios, pequeno ribeirão, para dar continuidade a trilha que segue ao Poço da Cachoeira Envernada. O percurso é sempre muito natural, preservado, repleto de fauna e flora, muita água e muito verde.

Poço Cachoeira Envernada

O Poço da Cachoeira Envernada é próprio para banho, também reabastecemos os cantis de água, descansamos um pouco e nos preparamos para retornar, pois havia ainda a Cachoeira Sete Quedas para conhecer, e a Pedra da Galinha e do Camelo, para curtir o Pôr do Sol.

Vista da Cachoeira Sete Quedas

Subimos na Van com destino a Cachoeira Sete Quedas. Descemos por uma trilha pequena, cerca de 300 metros e já estávamos nas piscinas naturais. Descendo por trilhas que margeiam o rio, é possível conhecer as outras cachoeiras e poços, que formam o circuito das Sete Quedas.

Cachoeira Sete Quedas

A paisagem da região é muito singular e atraente, formando vales, sempre com muita água, muito verde, cachoeiras, formações rochosas e as belezas dos Campos Gerais.

Pedra da Galinha e do Camelo

Chegando na Pedra

Finalmente, o Pôr do Sol na Pedra da Galinha e do Camelo, nome devido à formação semelhante a esses animais. Chega-se de carro por asfalto até a entrada da fazenda, onde se faz uma pequena trilha de 2 Km, aproximadamente 15 minutos de caminhada. Já no final da tarde, o clima esfria, e o moletom é muito bem vindo.

Formações interessantes

A Pedra da Galinha e a Pedra do Camelo estão numa altitude média de 1100 metros acima do nível do mar, e localizam-se na Fazenda Sete Trilhas, a 35 Kms do centro de Itararé, localiza-se no município de BomSucesso de Itararé.

Subindo para ver o Pôr do Sol

Do alto dos Picos, observa-se a Fazenda, típica do interior, com búfalos, porcos da raça branca(white), patos, marrecos, ovinos, cavalos,andorinhas, siriemas e curucacas.

O local é próprio para deslumbrar um dos mais bonitos espetáculos da natureza, o pôr-do-sol. Lá em cima dessas curiosas formações, o sol e os pássaros completam o maravilhoso cenário.

Lago Azul - Jaguariaíva

Lago Azul

O Quarto e último dia, fomos ao município de Jaguariaíva, distante 54 Km de Itararé, onde há o Lago Azul e a Cachoeira Grande, perfeita para prática de Canyoning.

Chegamos pela manhã no Lago Azul, ótimo local para banho e contemplação da nautreza. A Cachoeira do Lago Azul forma o lago de mesmo nome, onde também é possível praticar o Cascading, descendo sobre a cachoeira que tem cerca de 30 metros.

Cachoeira Grande

Em uma outra trilha o Monitor nos leva a conhecer a Cachoeira Grande, onde forma um Cânyon, um paredão de 90 metros. É possível descer esse paredão por um Rapel, depois fazer uma tiroleza até a Cachoeira, modalidade conhecida com Canyoning. Essas atividades são opcionais, e devem ser agendadas com antecedência, também é necessário que se forme um grupo de no mínimo 05 pessoas para a realização do passeio.Há ainda o Rafting no Rio Jaguariaíva, de nível III e IV, oferecido pela RASTUR.

Campos Gerais

Retornamos a cidade de Itararé, que nos esperava com um belo almoço, e depois mais a tarde partirmos de volta a São Paulo. A partida nos dá uma sensação de que deixamos algo para trás, mas também sentimos que valeu a pena, que todos os momentos sempre serão lembrados e que temos vontade de voltar pela hospitalidade, tranqüilidade e simplicidade de Itararé.

Cânyon Pirituba

A Namaste Natureza,especializada em Ecoturismo, atendeu muito bem às expectativas da Viagem, em parceria com a RASTUR, Agência de Turismo receptiva e o Hotel Itararé, que dispõe de infra estrutura adequada para atender seus visitantes.

Dicas da Autora

Lago Azul ao Fundo

-O tempo costuma ser imprevisível na região, então tenha sempre em mãos capa de chuva e roupas apropriadas para proteger-se do vento e contra mudanças de temperatura.

-A região é muito rica em cachoeiras, aproveite para tomar muitos banhos!

-Viaje sempre com Profissionais Especializados, pois as experiências que possuem são indispensáveis para a realização de uma viagem tranqüila, segura e muito proveitosa!

- Existem outros atrativos interessantes a serem visitados. Se tiver mais tempo, visite:RPPN Vale do Corisco;Trilha da Estrada Velha; Fazenda Sete Trilhas; Trilha do Segredo. Mas lembre-se que todas as visitas devem ser agendadas com devida antecedência, mediante acompanhamento de Monitores Ambientais ou Guias especializados.

-Existem atividades como: Cascading, Canyoning, Rapel, Tiroleza, Rafting, Trekking, Cavalgadas, Biking. As atividades são opcionais e devem ser agendadas com antecedência.

Serviços

Namaste Natureza
Rua Amambaí, 725 - 1.o andar,Vila Maria - São Paulo - SP - Brasil
www.namastenatureza.com.br
55 11 6955 0886
55 11 9242 9250
namaste@namastenatureza.com.br

Itararé Hotel
Rua São Pedro 995,18460-000, Itararé, SP -Brasil
www.itararehotel.com.br
55 15 3532 4080
camargo@itararehotel.com.br

RASTUR Ecoturismo e Aventura
55 15 3532 4080
55 15 9725 3320
rastur@fis.com.br

  
  

Publicado por em

Alemam mero

Alemam mero

22/11/2008 16:39:57
muito legal vcs estao de parabens. pela materia e fotos .conheco muito pouco essa regiao gostaria de saber como devo fazer para conhecer melhor essa maravilha da natureza .