Caparaó - Na rota das serras mineira e capixaba

A expectativa era enorme por saber que iria conhecer o terceiro mais alto pico do Brasil, o Pico da Bandeira, com seus 2.890 metros!

  
  

Apresentação

Vista do Parque Nacional Caparaó

A expectativa era enorme por saber que iria conhecer o terceiro mais alto pico do Brasil, o Pico da Bandeira, com seus 2.890 metros! E é claro, também por conhecer todas as belezas que a região possui.

A saída de São Paulo foi as 19:00 hs do dia 18 de agosto de 2005, no ônibus da Itapemirim, com destino a Manhumirim. A chegada estava prevista para o dia seguinte por volta de 08:00 da manhã. Já no ônibus fomos recebidos pelo motorista e a equipe da Itapemirim que nos forneceu informações de segurança e o cronograma da viagem, ainda distribuíram revistas de bordo “Na poltrona”, com diversas reportagens de Turismo inclusive. Já pela receptividade inicial fiquei animada, entrando no clima de viagem.

Vista do Parque Nacional Caparaó

A primeira parada foi em Queluz, próximo a Paraíba do Sul, cerca de 06 horas depois de partir de São Paulo, onde paramos para tomar um lanche no Posto Graal que oferece ótima infra-estrutura, e para a troca de motorista, que nos levou até Muriaé, já em Minas Gerais, e em uma segunda parada para um terceiro motorista continuar a viagem que após mais três horas chegaríamos em Manhumirim-MG, missão cumprida.

Chegamos em torno de 09:00 hs da manhã, e às 09:30 peguei um ônibus local que me levou a Alto Caparaó, uma das principais cidades de entrada para o Parque Nacional do Caparaó. A viagem levou cerca de 45 minutos por uma bela estradinha cheia de curvas e paisagens exuberantes, entre serras e rochas. A partir dali já percebi que tinha muita a se ver e contemplar por lá!

Chegando em Alto Caparaó

Cachoeira no Vale Verde

Chegando em Alto Caparaó já pude sentir o clima agradável da cidade, com suas imensas montanhas contornando-a, muito verde, casas antigas, e muita receptividade, típica de uma cidadezinha mineira.

Desci do ônibus em frente a uma loja de artesanato, no bairro onde se concentra a maior parte dos serviços turísticos da cidade, e próximo à entrada do Parque. De cara comecei a conversar com o pessoal que estava em frente à loja, perguntando sobre o clima, sobre o local, enfim, fazendo amizade. Vi algumas imagens da região para dar mais gosto ainda de estar ali.

Vale Verde

Passaram-se alguns minutos, e logo o Carlos, proprietário da Pousada do Bezerra, onde me hospedaria a convite da mesma, recebeu um recado que eu estava no pé da serra, aguardando para subir ate a pousada, que é a mais próxima da entrada do Parque. Logo Carlos apareceu em sua ranger 4x4 dupla para me buscar, e para aproveitar a ansiedade de chegar em lugar novo e ir conhecer logo, deu uma volta para eu ter uma noção do que viria nesses dias.

Chegando a Pousada, já era quase hora do almoço. Fui acomodada em um aconchegante chalé, com vista para as montanhas, e com direito a barulho de cachoeira e tudo! Após 15 horas de viagem, nada melhor que um bom banho para recuperar as energias, e partir para o trabalho!

Durante o almoço na pousada, acontecia uma reunião importante com o diretor do Parque, funcionários do IBAMA, junto com promotores ambientais e outras pessoas envolvidas nas questões ambientais da região. Em seguida fui apresentada ao diretor do Parque, que me recebeu muito bem, inclusive nos outros dias que visitei o parque.

No período da tarde aproveitei o tempo mais curto para conhecer algumas belas cachoeiras, trilhas e mirantes do Parque. Com todo o apoio da Pousada do Bezerra e dos serviços de transporte 4x4 e guias de turismo do Sr. Natalino, organizaram e disponibilizaram um veículo 4x4 e uma equipe experiente para acompanhar e dar apoio à reportagem.

1º dia - tarde - Cachoeiras, trilhas e mirantes

Cachoeira Bonita

Com seu Natalino fui conhecer as cachoeiras, trilhas e mirantes do Parque. A primeira parada foi no local conhecido como Vale Verde, já a 1.200 metros de altitude. Ali há uma boa infra-estrutura com sanitários, área coberta com mesas para churrasco, latões individuais para lixo reciclável, área para piquenique e o principal, belos poços, cachoeiras para tomar muitos banhos e muito verde para curtir a natureza!

Reflexo na água

O Vale Verde é formado pelo rio Caparaó, compreende as áreas mais baixas do Parque.O acesso é fácil, o local é o primeiro atrativo do Parque, (a entrada ao Parque custa R$ 6,00 por pessoa) podendo chegar de carro até praticamente a beira do rio, onde há uma área para estacionamento.

Dali parti para conhecer a próxima cachoeira, a Cachoeira Bonita. Realmente, o nome faz juz, pois logo quando se avista de longe, a primeira expressão falada é: “Nossa que bonita”! A uma altura de 1.750 metros, a cachoeira possui 80 metros de altura, esta localizada a 850 metros da Tronqueira (divisa MG/ES). Para chegar caminha-se um pequeno trecho pela estrada de terra, depois pega-se uma pequena trilha bem estruturada, que leva direto a cachoeira. No meio da trilha há um mirante onde se pode observar a beleza da cachoeira antes de se aproximar dela, lá embaixo. O Vale Encantado acompanha o rio José Pedro, com vários poços para banho e a bela visão da alta Cachoeira Bonita.

Um pouco a frente do Mirante da cachoeira, dava para avistar uma pontinha do pico da Bandeira (mostrado por seu Natalino), a grande atração do Parque Nacional do Caparaó, que nos esperava no dia seguinte à noite, quando a maioria dos montanhistas costumam subir para presenciar o espetáculo do encontro do nascer do Sol com a despedida da Lua.

Vista de Alto Caparaó

Bom, para parar de ficar sonhando com o Pico da Bandeira um pouco, fomos conhecer mais um pouco do Parque para esquentar os ânimos. Chegamos na Tronqueira, um local com infra-estrutura para camping, com sanitários, chuveiro e áreas para piquenique e mirante que possibilita uma vista maravilhosa de Alto Caparaó e de todo Vale que envolve a região. A Tronqueira é um platô a 1.970 metros de altitude, é o último ponto acessível por carro, fica a 06 Km da portaria do Alto Caparaó.

Parque Estadual Cachoeira da Fumaça

Caminho para o Parque

2º dia – manhã e tarde - Cachoeiras, paisagens, rios e serras

No segundo dia eu e Alexandre, meu namorado, que estava trabalhando em Guaçuí-ES, cidade próxima, foi me encontrar em Alto Caparaó, e aproveitamos para conhecer um pouco mais da região entrando no estado de Espírito Santo, rumo ao Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça. No trajeto, passamos por diversas cidadezinhas em meio a vales, com belas paisagens, margeando o rio e cachoeiras, avistando casas típicas dos vales capixabas, e um povo hospitaleiro que vive na maior tranqüilidade.

Cachoeira da Fumaça

O parque foi criado em 1990, e está localizado no município de Alegre-ES, com uma área de 24,20 há. O principal atrativo é a queda d´água de 144 metros de altura, formada pelo rio braço Norte Direito do rio Itapemirim.

Ao chegar a entrada do Parque, já pudemos ver a bela e famosa cachoeira da fumaça com sua imensidão de água e imponência. O acesso é feito por uma estrada de terra, chegando até a portaria do Parque, que oferece ótima infra-estrutura, com guarita, sanitários, churrasqueiras, centro de visitantes e almoxarifado.

Vista da Cachoeira da Fumaça

Para visitar o Parque é preciso agendar com antecedência, principalmente em épocas de alta temporada, pois o limite de visitação é de 610 pessoas por dia e funciona de quinta a domingo e feriados.

As trilhas que dão acesso à cachoeira são curtas e bem sinalizadas, de nível fácil. Ao longo dório a paisagem é exuberante, apresentando cascatas e corredeiras, cercada de vegetação nativa e pedras.

Placa no início da trilha

Após se deslumbrar com a beleza do Parque, decidimos esticar um pouco mais e conhecer a cidade de Cachoeiro do Itapemirim, (importante cidade do estado) já que estávamos cerca de 01 hora de lá. E mais uma vez nos impressionamos com as paisagens, rios, serras, formações rochosas, e pequenos vilarejos típicos e muito aconchegantes.

É claro que não podíamos deixar de experimentar o prato típico capixaba, a moqueca de peixe na panela de barro! Humm! Maravilhosa! E o restaurante! Ideal, vista para a serra, a beira do rio, não podia ser melhor!

Estrada para Cachoeiro do Itapemirim - Bela paisagem

Nossa, a gente se empolgou, então fizemos apenas um giro rápido pela cidade de Cachoeiro, e quando demos conta já era quase noite, e tínhamos que voltar para nos preparar para o grande momento. O Pico da Bandeira, claro!

O retorno foi interessantíssimo, para cortarmos caminho e chegarmos mais rápido, resolvemos arriscar pelas estradas internas da região, e então foi a nossa surpresa! A volta se tornou um outro passeio, quando pudemos ver as belíssimas formações rochosas, as casinhas no meio do nada, os vilarejos (que mais pareciam cenário de novela!), mal dava para perceber, e quando víamos já estávamos dentro de um outro, e depois mais outro, todos escondidos no vale! A forma que tínhamos para saber se estava próximo de alguma civilização era olhando para os topos dos morros, onde volta e meia a gente avistava uma cruz iluminada, ou alguma iluminação. Então ali tinha gente!

Estrada para Cachoeiro do Itapemirim

Enfim, chegamos em Alto Caparaó, e na ida para pousada já passamos no mercadinho para comprar os mantimentos para a caminhada. Nossas coisas já estavam pré-organizadas, e então chegou a hora! Às 09:00 da noite a turma do Seu Natalino nos buscou na pousada, para nos levar até a Tronqueira, de onde começaríamos a subida ao Pico da Bandeira. Era noite de Lua cheia, tivemos a maior sorte do mundo, porque a programação era subir no dia anterior (na sexta quando chegamos), mas o tempo estava fechado demais, e por precaução e orientação do pessoal, nos disseram que era melhor não ir, decidimos deixar pro dia seguinte, no sábado. Graças a Deus, porque na sexta choveu muito a noite, além de ser um tanto perigoso, não seria tão bonito quanto ver o espetáculo da Lua Cheia e do Nascer do Sol! Foi o que presenciamos!

2º dia - noite - Pico da Bandeira

A Lua no Pico da Bandeira

Chegamos a Tronqueira por volta de 09:30 da noite, pois o Parque fecha a portaria as 10:00. Lá encontramos muitas pessoas que subiriam até o Pico, então ficamos mais tranqüilos. Começamos a nos agasalhar bem, porque o frio nos esperava, e como o Josias, nosso guia local e companheiro, conversamos um pouco, nos passou algumas instruções. Soubemos que o Josias é um dos guardiões da montanha, ele vive subindo e descendo aqueles picos, dia e noite, sem parar, haja fôlego! Levando gente, cuidando, limpando, até o ano novo ele passou lá em cima! É um privilegiado mesmo!

O amanhecer no Pico da Bandeira

Começamos então a subida, já com uma linda noite de Lua Cheia para nos recepcionar! Logo o Josias foi nos mostrando a cidade de Alto Caparaó lá embaixo, só víamos as luzes de uma cidadezinha em meio a um imenso vale. A caminhada foi super tranqüila, era a primeira vez que eu e Alexandre subíamos uma montanha à noite. A sensação é maravilhosa, inexplicável! O silêncio, ao mesmo tempo os ruídos, sons dos animaizinhos, das águas, da natureza pulsante!

O amanhecer - lindo!

A trilha que segue por 4,5 Km a partir da Tronqueira, nos levou ao Terreirão, (após 02 horas de caminhada) nosso ponto de parada e apoio. Um platô a 2.400 metros de altitude, com área de acampamento, sanitários, abrigo e água. Descansamos por ali cerca de umas 03 horas, nos alimentamos, e conversamos um pouco, dormimos. E por volta de 03 da manhã finalmente a escalaminhada ao Pico da Bandeira!

Nascer do sol

O frio era intenso, cerca de -02º C, mas conforme a caminhada o corpo ia se acostumando e até esquentando! Esse é o trecho que exige mais esforço, por ser cada vez mais íngreme, e alto, portanto, quem não está muito acostumado com altitude e frio, sofre um pouco. Mas só um pouco, nada quase impossível. Principalmente quando você esta em um grupo que há incentivo e companherismo, e quanto mais perto você chega de conquistar o Pico, aí que há motivação suficiente para conquistá-lo!

Nascer do sol

O Pico da Bandeira é o terceiro Pico mais alto do Brasil, com seus 2.892 metros de altitude, sendo o primeiro o Pico da Neblina no Amazonas com 3.014 metros e o segundo o Pico 31 de Março também no Amazonas com 2.992 metros de altura.

A melhor sensação é a conquista de algo que não é fácil! E foi essa sensação que sentimos quando chegamos lá em cima, no topo! Todo esforço valeu muito, e valeria quantas vezes necessário. Além da conquista, a paisagem é extasiante, que até se esquece das dores, do frio, do cansaço, da falta de ar, de tudo! Só o que pensamos quando chegamos lá em cima, é: Que mundo maravilhoso é esse em que vivemos! E, Graças a Deus! Muito obrigada! Por isso precisamos preservar!

Vista do Pico do Cristal

Nunca tinha visto nada igual, o encontro da Lua Cheia de um lado da montanha, (ainda escuro) serene, tranqüila, uma paz! E do outro lado, o Sol explodindo com toda sua energia e força, nascendo e iluminando a vida! E nós, privilegiados, estávamos ali naquele dia, para receber as boas vindas da natureza!

3º dia - paisagens e cachoeiras e retorno

Belas paisagens

A alegria era tanta de ter tido a oportunidade de presenciar tal espetáculo, que parecia que tudo ficava cada vez mais bonito no caminho, e brilhava mais, claro, com o sol cada vez mais poderoso!

Rios, cachoeiras, serras, pedras, flores, animais, céu, paisagens,verde, cores, tudo iluminado! O que sentimos durante a noite, e não vimos, pudemos ver durante o dia o que sentimos!

Chegada no Terreirão

Fizemos uma parada na volta no Terreirão, para descanso e comer, e descemos até a Tronqueira, onde o jipe 4x4 do Natalino nos aguardava. A vontade era de ficar mais uns lindos dias lá em cima! Com certeza, eu vou voltar!

Retorno do Pico

Almoçamos na pousada, descansamos um pouco, e seguimos viagem de volta. Mas para ficar melhor ainda, não voltamos para São Paulo, e sim fomos para o Rio de Janeiro, onde o Alexandre precisava ficar para trabalhar. E o trajeto também se tornou outro passeio, acabamos conhecendo um pouco do circuito Minas-Rio, passando por cidades históricas, plantações de café, e cidades que abrigaram muitos escravos na época do Brasil colônia, dentre elas Porciúncula-RJ, Tombos-MG e Carangola-MG. Ainda paramos para conhecer uma festa típica em Porciúncula-RJ. Chegando no Rio, passamos pela Serra dos Órgãos, já a noite, podendo ver as sombras das imponentes pedras. Pela manhã, peguei um ônibus de volta a São Paulo, e finalmente para despedida a vista do Pão de Açúcar na minha memória!

Mirante

Ufa! Que viagem!! Em três dias, 04 Estados (SP, MG, ES, RJ), mais ou menos 03 mil km rodados, e muita coisa pra contar!

Dicas da Autora

Autora com a Equipe da Natalino transportes 4x4 e Turismo

-O clima na região é bem instável, portanto, prepara-se para pegar chuva e muito frio, ou sol e muito calor. Tenha roupas leves para usar durante o dia, e roupas quentes para usar a noite, principalmente, se resolver subir os picos à noite, quando a temperatura cai bastante.

-Para conhecer os principais pontos da região (Pico da Bandeira, do Cristal, cachoeiras, e os arredores) planeje no mínimo 03 dias, se puder ficar mais tempo, melhor ainda.

-As estradas de acesso a Alto Caparaó e da região, são sinuosas e estreitas, portanto, é preciso atenção dobrada.

-Para subir os picos a noite, e contemplar o nascer do sol, é preciso estar bem preparado, com roupas apropriadas e quentes, mochila com alimentos energéticos, e sacos de dormir ou barraca para quando chegar no “terreirão”, o ultimo ponto de apoio , onde se faz uma parada para descanso de 03 horas aproximadamente, para depois seguir a segunda etapa, de subida ate o pico da Bandeira.

Autora

-É possível acampar no alto da montanha, em dois locais chamado “tronqueira” e “terreirão” dentro do Parque, desde que agendado com antecedência, pois há um limite diário de pessoas.

-Para quem preferir acampar, existem animais (mulas) que podem ser alugadas na cidade com antecedência para carregar os equipamentos ate o ponto de apoio.

-Contrate sempre um guia local experiente que poderá fazer com que sua viagem seja mais segura e mais interessante, afinal, eles sempre tem muito a ensinar sobre a região.

-Um kit primeiros socorros é essencial na bagagem: merthiolate, antiséptico, pomada de queimadura e picada de inseto, pomada de contusão, analgésico, antitérmico, antialérgico, água oxigenada, gazes, esparadrapo, algodão, atadura, band-aid, pinça e tesourinha.

-Na mochila para caminhada: roupa extra, comida extra, cantil, faca ou canivete, isqueiro, lanterna e pilhas, estojo primeiros socorros, bússola e mapa, apito, repelente, protetor solar, filmadora pequena ou câmera fotográfica e muitos filmes para registrar tanta beleza! E Boa Viagem!

Serviços

Pousada do Bezerra
Alto Caparaó-MG
www.pousadadobezzerra.com.br
032 3747 2628
gerencia@pousadadobezerra.com.br

Natalino Transportes 4x4 e Turismo
032 3747 2604

Parque Nacional do Caparaó – IBAMA
Rua Vale Verde s/n, Alto Caparaó-MG
www.parquenacionaldocaparao.com.br
032 3747 2555
parnacaparao.mg@ibama.gov.br

Parque Estadual Cachoeira da Fumaça
028 3552 1478

  
  

Publicado por em

Lerice Furtado

Lerice Furtado

14/04/2009 19:40:21
Como fazer para adquirir o adesivo do pico da bandeira para eu colocar na minha moto???

Equipe EcoViagem

Equipe EcoViagem

Olá Lerice, O Portal EcoViagem é um veículo de comunicação ao qual não tem vínculo com as empresas anunciantes. Para obter as informações necessárias, contate diretamente a empresa anunciante. Agradecemos seu contato. Portal EcoViagem
Juliao Gonçalves Neto

Juliao Gonçalves Neto

03/04/2009 09:30:07
Eu acho de extrema beleza, adoro o verde e convivo muito bem com a natureza, me faz sentir mais humano.

Anderson soares teixeira

Anderson soares teixeira

25/08/2008 21:36:33
sinceramente sem comentarios tudo como eu gosto perfeito bem que falam que DEUS foi o maior pintor do mundo e com certeza pra min sua arte mais bem feita ate hoje foi o alto do caparao parabens mais uma vez meu DEUS por vc desenhar essas paisagens tao belas e perfeitas isso sim eh que eh um paraiso proibido ja consigo ate imaginar como deve ser seu reino ai em cima nosso ceu com certeza vou conhecer este lugar maravilhoso fico ate sonhando com uma aventura dessas a muito tempo mas com certeza esse ano eu vou ai me ofuscar com essa imensa paisagem parabens meu deus por tudo