Bem-vindos à Hungria

Domingo: três países e duas fronteiras. Essas são as nossas tarefas para hoje. De Breclav, cidade mais próxima de onde passamos a noite, até Postorná, na divisa com a Áustria, tínhamos ainda 15 quilômetros. Mas, mal sabíamos que dali teríamos que seguir p

  
  

Domingo: três países e duas fronteiras. Essas são as nossas tarefas para hoje. De Breclav, cidade mais próxima de onde passamos a noite, até Postorná, na divisa com a Áustria, tínhamos ainda 15 quilômetros. Mas, mal sabíamos que dali teríamos que seguir para outra aduana, aquela era apenas para austríacos e tchecos. O policial nos indicou outro posto de fiscalização, em Mikulov, a 28 quilômetros. Esta entrada na Áustria foi relâmpago, só o tempo de darmos a volta na guarita e pegarmos os nossos passaportes do outro lado, afinal teríamos que entrar no país por outra cidade. Vamos lá, não é?

Estamos no caminho para Budapeste, a capital húngara

Estamos no caminho para Budapeste, a capital húngara

Vinte minutos depois e estávamos no lugar certo, deixando para trás a nossa querida República Tcheca que nos acolheu durante todo este último mês. É incrível como ao cruzar a fronteira entre dois países tudo já fica diferente, até mesmo a vegetação. As florestas de pinheiro e os vales deram lugar a terras mais planas e de vegetação mais rasteira, onde já se percebe também uma influência maior do homem na natureza.

O Danúbio, no trecho que passa por Viena, realmente é azul

O Danúbio, no trecho que passa por Viena, realmente é azul

Chegamos quase sem perceber à capital Viena. Sem parada, nem chegamos a passar pelo centro da cidade. Mas pudemos conhecer o famoso rio Danúbio e constatamos, pelo menos neste trecho, ele é azul mesmo. Mais alguns quilômetros e saímos da Áustria, quase também sem perceber. Na fronteira, encontramos apenas a guarita de controle húngaro. Onde estava a polícia austríaca? Ficamos sem saber... e nos nossos passaportes está registrada somente a entrada na Hungria. Esperamos que isso não nos dê nenhum problema mais tarde.

Neste dia passamos por duas fronteiras

Neste dia passamos por duas fronteiras

O nosso almoço de domingo não foi nada muito especial, teve que ser rápido pra podermos seguir viagem o quanto antes e chegarmos à capital ainda durante o dia. Enquanto Fabiula e Cláudia telefonaram para suas famílias no Brasil, Patrícia ficou descansando no carro um pouco, já passava das quatro da tarde quando fizemos a primeira e única parada. O calor é cada vez maior... até parece que estamos viajando por terras tropicais, daquelas que conhecemos bem. Dizem que em julho o calor é quase insuportável. Mas, não vamos estar por aqui pra conferir. Planejamos passar o verão em um país de terra e sangue mais quentes!

Amanhã vamos conferir os encantos de Budapeste, a capital húngara...

  
  

Publicado por em