Cadê os jornalistas???

Queríamos aproveitar nossa estada na capital Tcheca para procurar a imprensa, quem sabe alguém se interesse e faça uma reportagem sobre a passagem da expedição pela cidade. Chegar a algum jornal é sempre complicado aqui. Não é como no Brasil, que você che

  
  

Queríamos aproveitar nossa estada na capital Tcheca para procurar a imprensa, quem sabe alguém se interesse e faça uma reportagem sobre a passagem da expedição pela cidade. Chegar a algum jornal é sempre complicado aqui. Não é como no Brasil, que você chega a qualquer hora e sempre há alguém para te receber. Pelos países que passamos ou você tem hora marcada ou ninguém te recebe. Já sabendo da dificuldade, fomos até a sede do Sindicato dos Jornalistas da Rep. Tcheca. O pessoal poderia intermediar pra gente esses contatos e facilitar a nossa vida.

Chuva de granizo que nos assustou durante a noite

Chuva de granizo que nos assustou durante a noite

A avenida abriga as grifes mais caras, lojas que de tão caras quase temos de pagar só para olhar a vitrine. No número que deveríamos encontrar o sindicato, nos deparamos apenas com uma placa. Realmente algum dia aí foi a sede, mas hoje ninguém sabe, ninguém viu. A sala que fica no térreo está abandonada. Que decepção!!! Mas ainda não desistimos de um contato com a imprensa. Tentaremos novamente mais adiante.

Demos uma volta pela praça, que é encantadora, por uma feirinha que vendia de tudo e voltamos para o carro depois de quase 40 minutos de metrô. Decidimos que já estávamos tempo suficiente em Praga e era hora de partir. Isso seria feito na manhã seguinte. De uma hora para outra, o tempo fechou e caiu um super temporal. Chuva de pedra, ventania e o maior barulho dentro do motorhome. Ai que medo... Parecia que o carro não iria suportar tanta pedra de gelo e tanta água. Mas graças a Deus, depois de 15 minutos de granizo, a chuva acalmou e a nossa casinha não sofreu dano algum.

  
  

Publicado por em