Conhecemos o símbolo da Holanda

Acordamos na terça-feira com as forças reabastecidas. Depois de uma noite de sono sob cobertores de penas de ganso, estávamos até mais dispostas. Isso sem contar a hospitalidade da família de Mara. Moinho: símbolo da Holanda Nossa anfitriã prepar

  
  

Acordamos na terça-feira com as forças reabastecidas. Depois de uma noite de sono sob cobertores de penas de ganso, estávamos até mais dispostas. Isso sem contar a hospitalidade da família de Mara.

Moinho: símbolo da Holanda

Moinho: símbolo da Holanda

Nossa anfitriã preparou um café delicioso que apreciamos com tranqüilidade. Depois partimos para uma cidadezinha chamada Alblasserdã (Alblasserdam, em holandês), que fica a poucos quilômetros de Dordrecht. O lugar mal aparece nos mapas e não encontramos indicação alguma em nenhum guia da Holanda. Mas a cidade guarda uma preciosidade: o maior conjunto de moinhos de vento do país. São dezenove no total, construídos em 1738. Os moinhos são tombados pela Unesco desde 1997 como Patrimônio Histórico-Cultural da Humanidade. Em 1953, pararam de funcionar e hoje não têm outra função senão a turística.

Conjunto de moinhos tombado pela Unesco

Conjunto de moinhos tombado pela Unesco

Os moinhos estão espalhados numa área grande, cortada por vários canais, o que deixa a paisagem ainda mais bonita. Alguns são usados como moradias. Há dois anos, Ad
Wisse mora em um deles. Mas não é apenas nesse momento que ele fica bem perto do símbolo da Holanda. Ad faz a manutenção deles. Quando chegamos a Alblasserdã ele estava concertando uma das pás de um moinho. Gentilmente, desceu a escada que o levava ao topo e veio conversar com a gente.

Eurotrip, Mara e Aaron durante a visita

Eurotrip, Mara e Aaron durante a visita

Ad contou que já morou em cidades grandes como Amsterdã e que hoje não troca esse lugar por nenhum outro. “É muito tranqüilo aqui. Os animais vivem soltos graças a uma reserva que tem perto. É muito bom”, comentou. Nos despedimos dele e seguimos de volta pra casa da Mara.

Delícias da Holanda na mesa

Delícias da Holanda na mesa

O sol que brilhava fazia parecer que o dia era mais quente. Aprontamos uma bela mesa no jardim e provamos uma das delícias da cozinha holandesa, preparada por Mara: panquecas doces e chá. Mas esta não foi a única lição gastronômica que tivemos enquanto estivemos em Dordrecht.

Nossa intenção era seguir viagem em seguida, mas fomos convencidas a ficar. Na verdade, Mara nem precisou insistir muito. Passamos o restante da tarde nos divertindo com as estripulias de Aaron, de um ano e três meses, filho de Mara e Harold. Já era quase noite quando fomos ao supermercado.

De volta a casa, Mara preparou o jantar em menos de 15 minutos. Uma comida tailandesa saborosíssima e com um aroma de dar água na boca. O prato era composto de macarrão refogado com legumes e carne de porto. Para arrebatar, uma espécie de espetinho de porco com creme de amendoim, acompanhado de um tipo de “baconzitos”. Literalmente, raspamos as panelas.

Permanecemos na mesa mais alguns minutos falando sobre as diferenças e peculiaridades da Holanda, um show de cultura proporcionado por Mara e Harold. O casal nos presenteou ainda com uma garrafa de vinho do Porto e outra de vinho verde. Ahhhh! O fim da noite não poderia ser melhor: um sarau. A poesia riquíssima, moderna e feminina era de Elisa Lucinda. Tudo maravilhoso. O cd com as poesias já pode ser incluído no nosso “Ritmos da Aventura”. Tamanho êxtase nos proporcionou outra noite aconchegante sob os deliciosos cobertores de pena de ganso...zzzzzzzzzzzzz!

  
  

Publicado por em