Conhecendo a arte do vinho

Hoje conhecemos o Château Giscours, famoso pela produção de vinho Grand Cru Classé Margaux desde 1855. Os antigos escritos remetem aos vinhedos Giscours desde 1552. São 85 hectares de terra ocupados pelos vinhedos, mas apenas 78 hectares estão em produção

  
  

Hoje conhecemos o Château Giscours, famoso pela produção de vinho Grand Cru Classé Margaux desde 1855. Os antigos escritos remetem aos vinhedos Giscours desde 1552. São 85 hectares de terra ocupados pelos vinhedos, mas apenas 78 hectares estão em produção. Quatro tipos de uvas são produzidos em Giscours e estão distribuídos da seguinte maneira: 51% de Cabernet Sauvignon, 32% Merlot e os outros 17% estão divididos entre Cabernet Franc e Petit Verdot.

O centenário Château Giscours e seus parreirais

O centenário Château Giscours e seus parreirais

Fomos guiadas por Aude Baillou, que começou a visita por onde são descarregadas as uvas. Ela nos explicou um pouco do processo de fabricação que vamos tentar dividir com vocês. Primeiro as uvas são prensadas uma única vez e depois colocadas em grandes tonéis, separadas por tipo, onde são misturadas (suco e pele juntos para dar cor ao vinho) cerca de duas a três vezes ao dia por aproximadamente três semanas. Um computador controla a temperatura da mistura entre 30 e 32° C, o que faz o açúcar se transformar em álcool.

O capricho e o cuidado com as uvas impressionam

O capricho e o cuidado com as uvas impressionam

Numa outra etapa, a pele é separada do suco, a temperatura agora baixa para 22° C e aí começa o processo de fermentação. O tempo de fermentação pode levar dias ou poucas semanas, dependendo da qualidade da safra. Todo o processo de vinificação dura de 30 a 45 dias. Depois o vinho é colocado em barris de madeira, onde permanecem por 18 meses. Aí são colocados em grandes tonéis novamente, onde os vinhos dos diferentes tipos de uva são misturados e recebem o nome e o tipo de onde são produzidos, neste caso, o tipo é Margaux.

Os valiosos barris onde o vinho é amadurecido

Os valiosos barris onde o vinho é amadurecido

No Château Giscours, do processo da colheita da uva até o vinho ser vendido leva dois anos. A diferença de preço entre as garrafas de vinho de um mesmo Château e da mesma safra varia de acordo com o solo onde a uva foi plantada. É do solo que vem a qualidade do vinho. Neste caso, as uvas colhidas nestas áreas nobres são envelhecidas em barris “virgens”, usados uma única vez. Normalmente o barril é utilizado duas ou três vezes. Cada barril novo custa 500 euros (cerca de R$ 1.700,00). Depois de usados, as grandes vinícolas os vendem para os pequenos produtores por 10% do valor.

Uma aula de degustação não faz mal a ninguém

Uma aula de degustação não faz mal a ninguém

Existem alguns procedimentos que podem ser praticados para se conhecer a qualidade do vinho na hora da degustação. Após o vinho ser servido, deve-se inclinar a taça numa superfície clara para se analisar a cor. Se ele for roxo, azulado ou de um vermelho escuro, é um vinho novo. Quando a cor tende ao vermelho, amadeirado, alaranjado, é um vinho mais antigo, de melhor qualidade. O próximo passo é cheirar para sentir o aroma da fruta. Depois gire a taça em movimentos circulares e sinta o aroma novamente, desta vez percebe-se o teor alcoólico e o aroma deve ser diferente da primeira vez. Agora é só degustar e aproveitar o sabor. Para isso, deixe o primeiro gole um pouco na língua antes de engolir. Se o vinho tem uma boa estrutura, o sabor perdura por um bom tempo na boca.

Com o vinho pronto e bem engarrafado, tim-tim!

Com o vinho pronto e bem engarrafado, tim-tim!

Os vinhos produzidos na região de Bordeaux levam o nome do solo de onde as uvas são colhidas e existem 53 tipos diferentes. A dica na hora de comprar uma boa garrafa de vinho é perguntar na cave quanto tempo ele pode ser guardado antes de ser bebido. Normalmente eles devem ser consumidos em até 10 anos. É claro que é impossível aprender em apenas uma hora e meia os segredos do vinho, mas certamente aprendemos a apreciar de uma maneira mais correta a forma de saborear um bom vinho.

Depois da visita pegamos novamente a estrada, desta vez em direção a cidade de Lourdes, onde fica o santuário de Nossa Senhora. Já era noite quando entramos na cidade e encontramos um camping. Tomamos um bom banho e fomos dormir ansiosos para visitar o santuário no dia seguinte.

  
  

Publicado por em