Conhecendo Antuérpia

Antuérpia é uma cidade considerada grande, com 500 mil habitantes, ainda mais para um país como a Bélgica, um dos menores da Europa. Estacionar aqui, perto do centro da cidade é uma tarefa quase impossível. Sabendo disso acordamos às 7 da manhã e mesmo an

  
  

Antuérpia é uma cidade considerada grande, com 500 mil habitantes, ainda mais para um país como a Bélgica, um dos menores da Europa. Estacionar aqui, perto do centro da cidade é uma tarefa quase impossível. Sabendo disso acordamos às 7 da manhã e mesmo antes de tomar café fomos à procura de uma vaga o mais perto possível do centro histórico. Encontramos uma não exatamente próxima, mas a umas 15 quadras de onde gostaríamos de ir. Primeira tarefa cumprida, nós partimos para a segunda, o desjejum.

Bar em Antuérpia que reúne mais de 300 imagens de santos

Bar em Antuérpia que reúne mais de 300 imagens de santos

Aproveitamos um dos pouquíssimos minutos de sol do dia para fazer imagens da cidade e de lugares onde é possível perceber a existência de brasileiros. Como um restaurante cuja fachada ostentava uma bandeira nacional hasteada.

Uma das naves da Catedral de Antuérpia

Uma das naves da Catedral de Antuérpia

Tomamos o rumo do centro. Bem ao lado da catedral, descobrimos um bar que vale a pena entrar. O lugar mais parece um santuário, tamanha a quantidade de estátuas de santos e vitrais sacros. A proprietária, muito gentil, deu uma pausa na arrumação que fazia no jardim e nos convidou para um café (no caso da Cláudia, um chá, já que ela não gosta de café). Fena nos contou a história do lugar (a casa que abriga o bar é do século 16) e o que aquilo tudo representa para ela e o marido (mais informações em “Dicas de Viagem”).

Diamond Land - seqüência de lapidação do diamante

Diamond Land - seqüência de lapidação do diamante

Entramos na catedral e ficamos um tempo em frente à prefeitura da cidade – um prédio antigo e bem bonito. Durante nossas caminhadas pela cidade quase fomos atropeladas por algumas bicicletas e motos. Aqui os ciclistas e os motociclistas (desde que a moto seja de baixa cilindrada) têm uma faixa na calçada para transitar livremente.

Atualizamos o site e enviamos vários e-mails, entre eles um para a embaixada da Holanda para informar a nossa entrada no país em breve. Cláudia e Fabiula foram conhecer o “Diamond Land” enquanto Patrícia preferiu ficar no carro escrevendo para a coluna “Dicas de Viagem” das últimas cidades visitadas.

Já eram 6h da tarde quando fomos procurar um supermercado. Tarefa simples, não fosse o detalhe de que não conhecemos nada na cidade. Pegamos o carro e fomos rodar sem uma direção definida. É estranho andar quando não se sabe exatamente para onde se está indo. Depois de algum tempo resolvemos voltar para o mesmo lugar onde havíamos passado a noite anterior. Fizemos um estoque de água, suco de laranja, leite e macarrão. Produtos básicos do dia a dia da nossa alimentação.

Com a dispensa lotada, fomos procurar um telefone. Precisávamos ligar para o André, um amigo que fizemos em Bruxelas e mora em Antuérpia. Acabamos encontrando um estacionamento bem gostoso e resolvemos ficar. Uma placa advertia que não era permitido estacionar às quintas-feiras das 5h – 15h, sem problemas, já que era quarta-feira. Lá pelas tantas, de repente nos lembramos, amanhã é quinta-feira! Saímos na mesma hora e voltamos para o estacionamento do nosso velho amigo supermercado.

  
  

Publicado por em