Conhecendo o Oceanário de Lisboa

Além de conhecer mais detalhadamente Lisboa, nossa intenção neste sábado era fazer algumas visitas a agências de viagens e operadoras de turismo. Mas foi só chegar ao centro da cidade para perceber que esses escritórios não abrem a não ser de segunda a se

  
  

Além de conhecer mais detalhadamente Lisboa, nossa intenção neste sábado era fazer algumas visitas a agências de viagens e operadoras de turismo. Mas foi só chegar ao centro da cidade para perceber que esses escritórios não abrem a não ser de segunda a sexta. Bem, então isso ficaria para a próxima segunda. Aproveitamos para filmar e fotografar a cidade que é belíssima.

Cardumes de peixes no Oceano Global, o maior aquário do Oceanário

Cardumes de peixes no Oceano Global, o maior aquário do Oceanário

Lisboa é uma mistura de cidade pequena e metrópole. Bem no centro, é comum encontrar ruas espremidas e casarios antigos com as tradicionais roupas penduradas nos varais, lençóis gigantescos, camisas, calças, toalhas. O bairro da Alfama, por exemplo, tem um colorido inconfundível que é a cara de Portugal. Por outro lado, também é uma cidade ampla, com ruas largas, praças, parques e construções modernas.

As estrelas-do-mar do Oceano Índico Tropical

As estrelas-do-mar do Oceano Índico Tropical

Um desses locais é o complexo criado para a Expo 98 (última exposição mundial do século XX) que abriga o Oceanário de Lisboa, o segundo maior do mundo. O tema da exposição era “os oceanos, um patrimônio para o futuro”. O lugar é incrível!!! Permite que o visitante se sinta um exímio mergulhador explorando os oceanos.

A simpática e preguiçosa lontra-marinha

A simpática e preguiçosa lontra-marinha

Para ver e conhecer os 15 mil animais e plantas de mais de 450 espécies diferentes é preciso pelo menos duas horas. Logo na entrada, vimos um grande aquário chamado de “oceano global” (que pode ser visto de qualquer ponto do oceanário), com 5 milhões de litros de água salgada. O aquário gigante abriga animais de grande porte e velocidade, como raias, tubarões de dar medo e peixes de cardume como cavalas e xaréus. Para sustentar tanta água, a parede de acrílico tem 27 centímetros de espessura. O interessante é observar esses animais por alguns minutos. Acho que nós ficamos hipnotizadas pelos peixes por mais de vinte minutos. É fascinante...

O colorido do fundo do mar: um espetáculo

O colorido do fundo do mar: um espetáculo

Começamos a dar um giro (literalmente) pelo oceanário que tem dois andares. No centro, como já falamos, fica o aquário central com as espécies do oceano global e ao redor ficam os aquários menores com as espécies dos oceanos Atlântico, Índico, Antártico e Pacífico. No segundo superior, estão representados a vegetação e os animais que compõem esses habitats principalmente fora da água. Aqui encontramos a torda-mergulhadora, o papagaio-do-mar, o pingüim-de-magalhães e a simpática lontra marinha.

A vista noturna do Oceanário de Lisboa

A vista noturna do Oceanário de Lisboa

No andar inferior, conseguíamos observar os mesmos espaços que vimos de cima, agora de baixo, além de outros aquários. A vida submarina é surpreendente e muito colorida. Assim que a profundidade vai aumentando, diminui a intensidade da luz solar e as cores ficam menos vivas. Mas no oceanário, os técnicos dão uma ajudinha à natureza. As meduzas, aqueles seres vivos transparentes, do tamanho médio de uma mão, e que parecem estar sempre realizando um balé no fundo do mar, estão aqui num aquário completamente escuro e recebem iluminação fluorescente em diversas cores. Difícil dizer o que mais nos surpreendeu, mas sem dúvida esses animaizinhos foram especiais.

Em meio a tantos aquários, ficava uma confortável sala de vídeo. Infelizmente não conseguimos ficar muito tempo assistindo porque o oceanário estava quase fechando e ainda tínhamos muito o que ver. Mas conseguimos dar uma espiadinha no vídeo que mostrava os bastidores do oceanário. No momento em que chegamos, os veterinários estavam fazendo uma cirurgia num peixe com um tumor. Pobrezinho... Os últimos aquários, nós tivemos de ver a toque de caixa, mesmo assim foi muito interessante e bonito. O ingresso no oceanário custa nove euros por adulto, mas sem dúvida vale a pena.

Já era tarde quando chegamos em casa. Isso sem contar que tivemos de fazer uma boa caminhada do ponto de ônibus onde desembarcamos até o local onde estamos estacionadas. Encontramos Fabiula um pouco aflita no motorhome, afinal ela nos aguardava desde as cinco da tarde e chegamos pouco depois das nove da noite. Mas todas estávamos bem, graça a Deus. Saboreamos um delicioso prato de sopa e caímos na cama... cansadíssimas. Boa noite!

  
  

Publicado por em

Os mergulhadores

Os mergulhadores

28/10/2008 10:31:32
e muito bom podere saber que podemos contar com o oceanario para repruduzir as especis em vias de extinçao