De barco ou a cavalo

A noite foi bem tranqüila, se não contarmos o sino da igreja que ficava ao lado. O sino anunciava a meia hora com uma badalada e a hora cheia com a quantidade devida. Por exemplo, dez horas, dez badaladas. O pior foi de manhã. A missa era às 8h30 e o anún

  
  

A noite foi bem tranqüila, se não contarmos o sino da igreja que ficava ao lado. O sino anunciava a meia hora com uma badalada e a hora cheia com a quantidade devida. Por exemplo, dez horas, dez badaladas. O pior foi de manhã. A missa era às 8h30 e o anúncio foi feito com mais de 100 badaladas que Cláudia fez questão de contar.

Fachadas de casas e cafés localizados no centro da cidade

Fachadas de casas e cafés localizados no centro da cidade

Com um mapa e a filmadora nas mãos fomos conhecer Bruges. Os prédios são bem antigos. A prefeitura foi construída entre 1376 e 1420 e lembra um pouco a arquitetura da prefeitura de Bruxelas. A cada instante uma carruagem dividia com os carros e os ônibus as ruas de Bruges. Uma curiosidade, os cavalos usam uma espécie de “fralda”. Parece engraçado, mas é, na verdade, muito útil. As ruas ficam sempre limpinhas e sem mau cheiro.

Um passeio de barco, pelos principais canais de Bruges, custa 5,20 euros

Um passeio de barco, pelos principais canais de Bruges, custa 5,20 euros

Nos canais da cidade, há quase um congestionamento de barcos. Muitos turistas preferem conhecer Bruges dessa forma (mais informações em Dicas de Viagem). Logo atrás da prefeitura, passando por um local chamado de Viela do Burro Cego funciona um tradicional mercado de peixes. A cidade estava tomada de turistas, muitos deles brasileiros.

Durante a caminhada, encontramos um estacionamento onde existiam tomadas de energia elétrica. Não pensamos duas vezes. Mudamos para este estacionamento. Assim pudemos recarregar os nossos equipamentos que estavam com as baterias pela metade.

  
  

Publicado por em