Dia de correrias

Hoje foi um dia daqueles... Levantamos um pouco depois do horário previsto, mas nada muito grave, pelo menos foi o que pensamos naquele momento. Havíamos marcado com o Ulisses de passarmos na Rádio Nederland para darmos mais uma entrevista lá, só que dest

  
  

Hoje foi um dia daqueles... Levantamos um pouco depois do horário previsto, mas nada muito grave, pelo menos foi o que pensamos naquele momento. Havíamos marcado com o Ulisses de passarmos na Rádio Nederland para darmos mais uma entrevista lá, só que desta vez para o Raimundo, um jornalista brasileiro que além da rádio, trabalha em uma revista chamada Papagaio. A revista é editada por brasileiros na língua portuguesa e holandesa, a entrevista vai ser publicada no próximo número.

Sede da Rádio Nederland, em Hilversum, Holanda

Sede da Rádio Nederland, em Hilversum, Holanda

O caminho até a rádio foi um pouco turbulento. Achar o local foi difícil e cheio de surpresas, mas essa é uma outra história, que só será revelada daqui a um ano no livro. Acabamos chegando na rádio com duas horas de atraso. Fomos recebidas pelo Ulisses que nos convidou para almoçar, só depois fomos conceder a entrevista ao Raimundo. O detalhe é que havíamos marcado um encontro com a Mara, jornalista que nos entrevistou na rádio Voz de Cabo Verde, às duas horas da tarde em frente da estação central em Roterdã, faltavam 40 minutos para o encontro e ainda estávamos em Hilversum. Ligamos pra a Mara antes do almoço, mas o celular caiu na caixa postal e não conseguimos avisá-la do nosso atraso.

Mara e o marido recebem a Eurotrip para o jantar

Mara e o marido recebem a Eurotrip para o jantar

Quando a entrevista para a revista Papagaio terminou, conseguimos falar novamente com a Mara. Devido ao nosso atraso, perdemos a reunião na casa Brasil-Holanda, que iríamos conhecer com a Mara. Perdemos a visita, mas apesar disso fomos convidadas para um jantar na casa da Mara, que mora em Dordrecht. Como a maioria das pessoas não mora na mesma cidade onde trabalha e o jantar é religiosamente servido às seis horas da tarde, depois das cinco horas as estradas estão sempre engarrafadas. Já estava no final da tarde quando saímos da rádio, então fomos para a casa do Ulisses. Aproveitamos para fugir do trânsito e atualizar o site.

Pegamos a estrada mais tarde e seguimos para Dordrecht, percorrendo quase 90 km. Fomos muito bem recebidas, com um jantar delicioso e acabamos dormindo por lá.

  
  

Publicado por em