Dia de limpeza e de aproveitar a paisagem

Levantamos e logo saímos à procura de um estacionamento em uma das praias da região. Escolhemos a praia de Tahiti e seguimos as indicações. Depois de andarmos alguns quilômetros por vielas estreitas demos de cara com uma cerca, a praia estava fechada. Ond

  
  

Levantamos e logo saímos à procura de um estacionamento em uma das praias da região. Escolhemos a praia de Tahiti e seguimos as indicações. Depois de andarmos alguns quilômetros por vielas estreitas demos de cara com uma cerca, a praia estava fechada. Onde já se viu cercar a praia e fechar ao público? Ficamos um pouco chateadas e resolvemos ir embora de Saint-Tropez. Na saída acabamos, meio sem querer, dando voltas no centro da cidade, que não é tão bonito quanto esperávamos.

A água transparente do mar mediterrâneo é um convite ao mergulho

A água transparente do mar mediterrâneo é um convite ao mergulho

Pegamos a estrada que segue pela costa do mar e passamos por várias praias, mas com poucos espaços para estacionamento, e o pior é que a maioria dos locais é proibida para motorhomes. Continuamos andando e acabamos encontrando um espaço amplo de frente para a praia Garonnette. O dia estava lindo com um sol de brigadeiro. Paramos e logo montamos o nosso acampamento: mesa e cadeiras de frente ao mar para aproveitarmos a vista e o calor do sol que há tempos não sentíamos. Foi com este panorama que finalmente tomamos o nosso café da manhã.

O lugar maravilhoso que encontramos para passar o dia

O lugar maravilhoso que encontramos para passar o dia

Aproveitamos para colocar as cobertas no sol e dar uma geral na casa. Fabiula aproveitou até para colocar os colchões para tomar um ar, afinal dificilmente encontraremos um sol tão bonito novamente. Cada uma aproveitou o tempo para fazer coisas diferentes. Cláudia foi filmar e fotografar a paisagem, enquanto Patrícia caminhava na praia e Fabiula arrumava as coisas dela.

Nosso almoço estava delicioso!

Nosso almoço estava delicioso!

As horas foram passando e é claro que a fome começou a bater. O almoço já estava garantido, havíamos comprado no supermercado um camarão a menos de dois euros o quilo, uma pechincha. Cláudia preparou os camarões, fritou batata e para acompanhar, um arroz branco. Estava tudo tão maravilhoso que lembramos de um outro almoço memorável que tivemos nos Alpes suíços. Um rodeado de neve e frio e este cheio de sol e mar, ambientes completamente diferentes e encantadores ao mesmo tempo.

As rochas desenhadas pela força das ondas do mar

As rochas desenhadas pela força das ondas do mar

Apesar de tudo tínhamos que seguir para procurar um lugar seguro para passarmos a noite. Como as praias são coladas, andamos poucos quilômetros e passamos por várias, todas com o mesmo problema, estacionamento proibido para motorhome. Em um destes locais encontramos um motorhome parado e resolvemos ficar por ali também. Apesar das placas de proibição, passamos uma noite tranqüila embaladas pelo som das ondas do mar em San-Piere.

O anoitecer na marina da praia de San-Piere onde passamos a noite

O anoitecer na marina da praia de San-Piere onde passamos a noite

  
  

Publicado por em