Dia de trabalho duro em Lisboa

Tiramos a quinta-feira para fazer uma faxina geral no nosso carro-casa, escrever os diários que estavam atrasados e secar uma montanha de roupas que lavamos ontem com a ajuda da máquina de lavar da Myllene e do Murilo. Até um solzinho meio tímido saiu par

  
  

Tiramos a quinta-feira para fazer uma faxina geral no nosso carro-casa, escrever os diários que estavam atrasados e secar uma montanha de roupas que lavamos ontem com a ajuda da máquina de lavar da Myllene e do Murilo. Até um solzinho meio tímido saiu para facilitar a nossa vida.

Praça e estátua em homenagem ao Marquês de Pombal

Praça e estátua em homenagem ao Marquês de Pombal

Trabalho feito, carregamos o motorhome com água, demos um adeus breve aos nossos amigos de Goiânia (breve, porque talvez voltemos a nos encontrar aqui mesmo em Lisboa ou, quem sabe, no Marrocos...) e deixamos o camping.

Sede do grupo Lusomundo, mantenedor do jornal Diário de Notícias

Sede do grupo Lusomundo, mantenedor do jornal Diário de Notícias

Encontramos um lugar seguro para passar a noite e para nos preparar para o dia de trabalho nesta sexta-feira. Enquanto Patrícia ficou em casa trabalhando, Cláudia e Fabiula foram visitar a imprensa e se possível algumas agências de viagem também. Em Lisboa se concentram as maiores operadoras de turismo de Portugal, portanto, temos muito o que fazer por aqui.

Fabiula e a jornalista Sandra na redação da revista Gente e Viagens

Fabiula e a jornalista Sandra na redação da revista Gente e Viagens

Nosso ponto de referência era a Praça Marquês de Pombal, ali e nas redondezas estão as sedes de alguns jornais e revistas de viagem. Mas, antes de irmos até lá, precisávamos de todos os endereços e localização exata dos escritórios. Para isso, ficamos um bom tempo em uma livraria anotando todas as informações de que necessitávamos.

Eurotrip e Foz do Iguaçu são notícia também em Portugal

Eurotrip e Foz do Iguaçu são notícia também em Portugal

Dados na mão e depois de ficarmos quase uma hora esperando o ônibus para o centro, finalmente chegamos ao nosso destino. Nesta espera, notamos que somos - nós brasileiros e os portugueses - bem parecidos mesmo.

Em alguns postes de iluminação, a lembrança do tempo dos Descobrimentos

Em alguns postes de iluminação, a lembrança do tempo dos Descobrimentos

Enquanto em outros países da Europa, o horário é um rigor, os pontos de ônibus dispunham de marcadores eletrônicos ou mesmo tabelas escritas marcando a chegada dos carros. Aqui como no Brasil, parece que as companhias de transporte não se importam com este “detalhe” da informação aos passageiros e conseqüente pontualidade de seus autocarros.

Na praça, uma espécie de obelisco sustenta uma enorme estátua do Marquês ao lado de um leão. A homenagem a Sebastião José de Carvalho e Melo, então ministro de José I, lembra o reconhecimento dos portugueses ao “reconstrutor” de Lisboa. Em 1755 um terremoto devastou várias cidades portuguesas, principalmente a capital.

Três tremores de terra reduziram grande parte da cidade a ruínas. Além disso, incêndios e inundações provocadas por grandes ondas formadas no rio Tejo foram responsáveis pela morte de cerca de 15 mil lisboetas. Carvalho e Melo restaurou a ordem e iniciou o planejamento de reconstrução do país. Sua inegável eficiência lhe proporcionou um enorme prestígio político, recebendo mais tarde o título de Marquês de Pombal.

Visitamos os jornais Diário de Notícias, Jornal de Notícias e Correio da Manhã, além das revistas Volta ao Mundo, Gente e Viagens e a Rotas e Viagens. Deixamos nosso material, falamos sobre a expedição e o destino Foz do Iguaçu. Esperamos que alguns destes periódicos publiquem algo sobre nosso trabalho aqui na Europa.

Na passagem pelo Diário de Notícias conseguimos alguns exemplares da última segunda-feira, onde a expedição é citada. Esta foi resultado da nossa passagem pela sucursal do jornal em Coimbra, quando falamos com Miguel e Manuel, lembram-se? Agora também somos notícia em Portugal, terra de muitos dos nossos antepassados...

  
  

Publicado por em