É sábado de carnaval...

Acordamos meio de baixo astral. Foi o primeiro dia com céu cinzento que pegamos na Europa. O motivo talvez seja também a saudade do Brasil, que está distante 12 mil quilômetros. Mas, logo colocamos um cd de samba enredo pra animar, o que ajudou. Graf

  
  

Acordamos meio de baixo astral. Foi o primeiro dia com céu cinzento que pegamos na Europa. O motivo talvez seja também a saudade do Brasil, que está distante 12 mil quilômetros. Mas, logo colocamos um cd de samba enredo pra animar, o que ajudou.

Grafite, músico e compositor brasileiro que vive em Bruxelas

Grafite, músico e compositor brasileiro que vive em Bruxelas

Nos dirigimos até o bairro onde Laurence (a funcionária da embaixada brasileira) mora. Tínhamos marcado uma entrevista com essa belga de coração brasileiro para o nosso documentário. Ela já esteve no Brasil cinco vezes, numa delas morou por dois anos lá. É engraçado como acabamos conhecendo mais do nosso país quando saímos dele. Ouvir ela falar sobre o Brasil nos emocionou. Laurence disse que gosta do espírito da nossa gente. Um povo criativo, alegre, de bem com a vida. Ela comentou também sobre as praias, as cachoeiras e a gastronomia. “Lá tudo é feito com muito amor, a comida fica mais saborosa”, destacou.

A Eurotrip, Grafite e sua filha Aleana

A Eurotrip, Grafite e sua filha Aleana

Nossa próxima missão era encontrar um “orelhão” no centro da cidade. Ah! Como é difícil encontrar um por aqui. Tínhamos que combinar com Grafite (um curitibano amigo e parceiro do escritor Paulo Leminsky e que vive aqui há 11 anos) onde nos encontrarmos para uma entrevista. O trabalho dele é cantar e encantar os nativos e estrangeiros que vivem na Europa. Grafite é músico e compositor e nos encontrou debaixo de muita chuva em frente a uma lanchonete. Logo percebemos que era ele. De violão nas mãos e cabelos soltos, chegou e perguntou com jeito bem brasileiro: “São vocês???”

Enquanto esperávamos a chuva passar, a primeira conversa foi mesmo na lanchonete. Grafite estava acompanhado de sua filha, Aleana de 11 anos, por quem o músico se derrete. Influenciado pelo Movimento Tropicalista e pelas composições do pai, conhecido como Lápis, o músico prepara seu terceiro cd, que será lançado aqui em Bruxelas no dia 18 de abril.

A chuva deu uma acalmada e fomos para o La Tentation, o principal centro da cultura galega em Bruxelas. O lugar é lindíssimo. A sala de conferência, no terceiro andar do prédio, estava reservada para a entrevista. Conversamos, gravamos e ouvimos Grafite tocar por mais de uma hora e meia. Esses momentos foram realmente incríveis.

Trabalho feito, fomos conhecer figuras que fazem parte da vida de Grafite. O primeiro foi Santi, o espanhol dono do La Tentation. Ele estava num outro local, que também é da família, onde funciona um restaurante e uma danceteria. Nos despedimos e seguimos para o bairro onde o músico vive. Lá encontramos um grego, dono de vários bares e do prédio onde Grafite mora. Já passavam das duas da madrugada quando fomos jantar. Grafite foi cozinhar e preparou arroz, feijão, macarrão e comida chinesa. Enquanto o jantar ficava pronto, assistimos a alguns vídeos produzidos pela TV belga em que o músico é destaque. O jantar estava uma delícia, embora um pouco apimentado. Foi então que Grafite nos fez um convite irrecusável: um banho bem demorado. Como já era tarde, deixamos isso para o domingo. Voltamos pra casa, na verdade para o estacionamento onde estamos passando as noites, e de alma lavada dormimos em paz, finalmente sem hora pra acordar.

  
  

Publicado por em