Em Santander, a visita à imprensa

O dia amanheceu com um sol maravilhoso. Pena que logo as nuvens de chuva o encobriram e o dia ficou cinzento e “molhado”. Preparamos o nosso material de divulgação e saímos. Nosso destino era o jornal El Diário Montañés. Tínhamos o endereço, mas ainda não

  
  

O dia amanheceu com um sol maravilhoso. Pena que logo as nuvens de chuva o encobriram e o dia ficou cinzento e “molhado”. Preparamos o nosso material de divulgação e saímos. Nosso destino era o jornal El Diário Montañés. Tínhamos o endereço, mas ainda não sabíamos como chegar lá.

Fachada do Banco de Santander, no centro da cidade

Fachada do Banco de Santander, no centro da cidade

Estávamos caminhando quando cruzamos por uma equipe de televisão que fazia umas entrevistas. Pensamos, bem esse pessoal deve saber o endereço. Tanto sabiam que Luiz e Virgínia nos ofereceram uma carona até o jornal que é do mesmo grupo da televisão onde eles trabalham. No caminho, falamos que éramos jornalistas e que estávamos fazendo uma expedição pela Europa para divulgar Foz do Iguaçu e deixamos o nosso cartão com eles. Talvez eles se interessem pelo assunto.

Restaurante espanhol que serve refeições e os tradicionais “tapas”

Restaurante espanhol que serve refeições e os tradicionais “tapas”

Chegamos ao nosso destino em poucos minutos e logo fomos atendidas por Miguel Angel, um dos editores do jornal. Ele foi bastante atencioso e pareceu interessado na nossa aventura. Disse que o pai dele tinha visitado as Cataratas do Iguaçu. Pediu para que ligássemos às seis da tarde para ver se iriam ou não fazer alguma reportagem conosco.

Interior da catedral, com o altar dourado

Interior da catedral, com o altar dourado

Fomos até o ponto de ônibus para chegar ao centro da cidade. Poucos instantes depois, apareceu Miguel, o jornalista com quem falamos no El Diário. Até o centro, conversamos sobre política espanhola. Ele foi muito simpático e respondeu cada uma das nossas insistentes perguntas.

Arcos da catedral, no jardim interno

Arcos da catedral, no jardim interno

Queríamos conhecer as atrações da cidade, mas para isso precisaríamos dar uma parada no escritório de informações turísticas. O problema que por causa da bem-dita “siesta” o lugar só reabriria às quatro horas da tarde. Enquanto esperávamos, demos uma caminhada pelo mercado, onde funciona o escritório.

O delicioso jantar espanhol com a tradicional paella

O delicioso jantar espanhol com a tradicional paella

O lugar é agradável e interessante. Ao redor, lojas elegantes de vinhos, confeitarias, floriculturas e, no centro, funciona um restaurante que serve comidas típicas como o “cocido montañés” (uma espécie de feijoada com feijão branco) e as tradicionais “tapas” (petiscos espanhóis).

Bem, valeu a pena a espera. Saímos do escritório cheias de material sobre Santander e sobre a Cantábria e fomos conhecer a catedral da cidade, o prédio mais antigo do lugar. Embaixo de chuva, decidimos ir pra casa e deixar para conhecer o palácio real, que fica na orla, amanhã. Talvez a chuva dê uma trégua até lá.

No ponto de ônibus, uma espécie de computador dava os horários. Mas diferentes de outros lugares na Europa, dificilmente o horário marcado coincidia com a chegada do ônibus. Não é uma crítica, apenas uma constatação. Outra constatação fizemos no museu em Bilbao. O ticket de entrada custava sete euros, mas num painel dentro do próprio museu o preço era de dez e num folheto no escritório de informações turísticas era oito. Quem entende?

É engraçado como isso acaba fazendo parte da cultura do país. Dificilmente ocorreria na Inglaterra, na Alemanha ou na Suíça. Não significa que gostamos mais de um lugar e menos de outro. É apenas uma constatação, como já falei. Na verdade, pra nós brasileiros, a Espanha tem bem mais a nossa cara do que os outros países por onde já passamos.

Chegada as seis da tarde ligamos para Miguel e ele disse que o material já estava pronto e que iria sair na edição de amanhã mesmo. Usou as informações que entregamos a ele sobre a expedição e Foz do Iguaçu e deu uma olhadinha no nosso site. Logo cedo, já vamos conferir como ficou a matéria. O jantar teve um prato típico espanhol: uma paella deliciosa!

  
  

Publicado por em