Então, é Natal...

Por todos os lados que se olhe, a presença do Natal já está bem viva aqui pela Europa. Lojas e ruas estão completamente enfeitadas para os festejos de fim de ano. E, por que não também o nosso motorhome? Resolvemos então dar uma função a algumas pinhas qu

  
  

Por todos os lados que se olhe, a presença do Natal já está bem viva aqui pela Europa. Lojas e ruas estão completamente enfeitadas para os festejos de fim de ano. E, por que não também o nosso motorhome? Resolvemos então dar uma função a algumas pinhas que havíamos recolhido já há alguns meses, já nem lembro mais em que país. Aproveitamos um parque próximo à Casa do Brasil pra também colher alguns galhos e fazermos nossa árvore de Natal. Passamos o domingo nesta divertida função. Afinal, quem não gosta de ver sua casa bem arrumada e enfeitada?

Estes são os nossos belos arranjos natalinos...

Estes são os nossos belos arranjos natalinos...

Com todos os materiais que precisávamos, então mãos à obra. Enquanto Patrícia se dedicava à confecção de algumas bolinhas coloridas, colando lantejoulas sobre alguns “frutos” de árvores apanhados no bosque, Claudia e Fabiula se empenhavam no feitio da arvorezinha de ramos naturais. Primeiro fizemos a base e depois fomos “vestindo” nosso pinheirinho. Para dar mais luz à ela, Patrícia aproveitou suas lantejoulas e coloriu nosso enfeite de Natal.

...preparados com muito zelo por nós mesmas

...preparados com muito zelo por nós mesmas

Uma pinha gigante colhida recentemente no camping em que ficamos aqui em Madri, aquelas antigas, algumas velas, folhas secas, mais bolinhas e um pequeno Presépio completaram nosso arranjo. Uma beleza, toda feita com materiais recicláveis, aproveitando a onda ecológica muito forte aqui na Europa. Já estamos pensando no local onde vamos passar a véspera e no cardápio que devemos preparar para os festejos. Vamos estar bem longe de casa, por isso tudo tem que estar bem mais caprichado, já que também deveremos passar as festas somente nós três. Vamos ter que compensar bem pra fugir da saudade.

Fachada da Casa do Brasil, onde estamos instaladas aqui em Madri

Fachada da Casa do Brasil, onde estamos instaladas aqui em Madri

Ontem, no sábado, aproveitamos pra conhecer mais um pouco da bela capital madrilenha. Pensávamos em visitar o Centro de Arte Reina Sofía, instalado em um antigo hospital do século XVIII e que abriga obras de artistas famosos como Picasso (com uma de suas mais célebres telas, Guernica, de 1937), Salvador Dalí e Joan Miro. Quando já estávamos no metrô, percebemos que não conseguiríamos chegar a tempo de pegar o museu aberto. Já eram 11h30 e ele fecha ao meio-dia. Vamos ter que deixar esta visita para outro dia.

Urso e medronheiro, símbolo da capital, na Puerta del Sol

Urso e medronheiro, símbolo da capital, na Puerta del Sol

Aproveitamos então para fazer algumas imagens do centro antigo da cidade, mas a chuva nos fez atrasar um pouco a tarefa. Entramos em uma livraria até que o mau tempo passasse e ficamos ali folheando alguns livros por cerca de uma hora e meia. Aqui na Espanha, os livros são mais caros que no resto da Europa. Na Alemanha, França, Bélgica e na Itália encontramos os preços mais acessíveis. Mesmo em euros, grande parte das publicações chega a ser bem mais barata que no Brasil. É uma pena que nossas editoras ainda cobrem preços tão altos pelos livros. É claro que o valor também se baseia no número de exemplares que serão postos à venda, e isso se deve à cultura do brasileiro de ler pouco. Assim, uma coisa vai levando à outra e...

Construção colorida na histórica Plaza Mayor

Construção colorida na histórica Plaza Mayor

Parada a chuva, seguimos para um dos símbolos de Madri: a Plaza Mayor. O sábado estava repleto de gente pelas ruas, talvez já adiantando as compras de Natal. Durante centenas de anos, a bela praça construída no século XVII foi sede de atividades diversas, de touradas a execuções, passando pelos julgamentos comandados pela Inquisição, que na Espanha foi a mais terrível de toda Europa.

O primeiro grande evento público realizado da Plaza foi a beatificação do padroeiro da cidade, Santo Isidoro, em 1621. Mas, talvez a ocasião mais importante tenha sido a chegada de Carlos III da Itália, em 1760, para reinar na Espanha depois da morte de seu meio-irmão, Fernando VI, que não deixou herdeiros.

No centro, está uma estátua eqüestre do rei Fernando III, idealizador da praça. Ao redor, sob as elegantes arcadas, estão os cafés e lojas, a maioria antiquários especializados na venda de selos, livros e em moedas antigas. Nos domingos, grande parte deste acervo é exposta no centro da praça, atraindo colecionadores. Uma das construções mais interessantes é a Casa de la Panadería, cuja fachada exibe belas pinturas alegóricas.

Ainda no centro antigo de Madri, mais exatamente na Puerta del Sol, pudemos ver a estátua de bronze de um urso que tenta alcançar os frutos de um medronheiro (espécie mediterrânea), considerados símbolos da capital escolhida por Filipe II, em 1561. Esta é uma das áreas mais agitadas da cidade e marca a antiga entrada leste, onde havia um castelo e um portão. Fatos como o assassinato do primeiro-ministro liberal José Canalejas (1912) e o início do levante contra as forças francesas de ocupação (em 1808) marcam a história deste lugar. No final do século XIX foi transformada em praça, atraindo dezenas de lojas e cafés, um verdadeiro paraíso consumista.

Nossas compras vão ter que ficar pra volta ao Brasil... por enquanto, vamos aproveitando o espírito natalino do nosso jeito, com enfeites, bolinhas e pinheirinho natural...

  
  

Publicado por em