Eurotrip na embaixada brasileira

Patrícia e Fabiula deixaram o carro cedo. Cláudia ficou em casa tomando conta do motorhome e editando as fotografias que mais tarde seriam colocadas no site. Cláudia aproveitou também para verificar a movimentação no local e se certificar de que ali era r

  
  

Patrícia e Fabiula deixaram o carro cedo. Cláudia ficou em casa tomando conta do motorhome e editando as fotografias que mais tarde seriam colocadas no site. Cláudia aproveitou também para verificar a movimentação no local e se certificar de que ali era realmente seguro. Constatou um vai-e-vem de ônibus de turismo, alunos de auto-escola e de funcionários que fazem uma obra no estádio. Tínhamos escolhido um bom lugar para deixar o carro.

No caminho do metrô a floresta sinistra

No caminho do metrô a floresta sinistra

O caminho que Patrícia e Fabiula fizeram desde o estacionamento até a estação de metrô foi simplesmente assustador. Sabe aquelas florestas de filme de terror ou suspense Bem, era igualzinha... E a estação era muito doida. Parecia abandonada, não havia ninguém por perto, chegamos a pensar que ela estivesse desativada. Mas nada disso, logo o metrô chegou. Então o receio ficou ainda maior. Os vagões estavam pichados e os vidros riscados. Então a má impressão foi sendo dissipada à medida que outras pessoas entravam no metrô.

Torre de TV na Alexanderplatz

Torre de TV na Alexanderplatz

Nossa primeira parada era a embaixada brasileira em Berlim. Tínhamos enviado um e-mail solicitando apoio logístico para que pudéssemos desenvolver o nosso trabalho e recebermos resposta, o que nos deixou otimistas. Mas infelizmente a ajuda acabou sem antes de começar. Pelo menos conhecemos José Carlos Oldoni, um paranaense responsável pelo setor de promoção comercial da embaixada. Ele nos disse que deveríamos ter entrado em contato com pelo menos seis meses de antecedência e não com pouco menos de um mês como fizemos. Tudo bem... Dele, ouvimos histórias incríveis sobre a época em que Berlim era duas. Muitas delas pudemos comprovar no sábado, quando visitamos o Museu do Muro, mas isso é assunto para outro dia.

O homem-salsicha

O homem-salsicha

Da embaixada fomos para uma espécie de departamento de imigração, onde precisávamos tirar algumas dúvidas. Pegamos o metrô e ainda caminhamos bastante. Chegamos lá, um pouco cansadas, pouco depois do meio-dia. E encontramos o lugar fechado. Justo na sexta-feira ele fecha às 12h.

Costume alemão na Páscoa

Costume alemão na Páscoa

Voltamos pra casa. Tínhamos que nos preparar para a segunda etapa do dia. Dessa vez saímos as três. Berlim é muito grande, tem mais de quatro milhões habitantes, muitos deles estrangeiros. Na Alexanderplatz, uma praça que fica entre uma estação de metrô e a Fernsehturm (a torre de TV), tivemos a oportunidade de nos defrontar com um pouco da diversidade da capital alemã. Turistas, nativos e estrangeiros que imigraram para Berlim pós-guerra fria, cada um fazendo o que bem entendia. Uns passeavam encantados com o que viam, outros apenas passavam o tempo sentados nos bancos com seus cães e outros ainda tentavam aplicar o velho golpe da bolinha escondida dentro de caixas de fósforo. A praça também concentra várias barracas onde se vende lanche e muita cerveja. Entre elas, encontramos um rapaz carregando uma parafernália. Ele mais parecia um astronauta. Em pouco tempo de observação percebemos que ele era uma lanchonete ambulante. O vendedor tinha tudo ao seu alcance: pão, salsicha e, é claro, muita mostarda. Por 1,30 euro, era possível comprar um lanche saboroso. Freguesia, o rapaz tinha de sobra. Na mesma praça, nos deparamos com um costume germânico em tempos de Páscoa: pendurar ovos coloridos nas árvores dos quintais das casas.

Na volta pra casa, uma parada no mercado. Já era noite quando refizemos o caminho sinistro da estação do metrô até o estacionamento, aliado a isso, o receio de encontrar o motorhome remexido. Mas não encontramos ninguém, nem no caminho nem no carro. Ainda bem... Depois do jantar, preparamos o nosso roteiro de passeios para o fim de semana.

  
  

Publicado por em