Feriado de Páscoa Prolongado

Pouco antes das 10h da manhã deixamos o santuário de Czestochowa e partimos para Varsóvia, capital da Polônia. Já na saída, notamos que a cidade e a estrada estavam praticamente vazias, quase sem nenhum movimento. Nem parecia uma segunda-feira depois da P

  
  

Pouco antes das 10h da manhã deixamos o santuário de Czestochowa e partimos para Varsóvia, capital da Polônia. Já na saída, notamos que a cidade e a estrada estavam praticamente vazias, quase sem nenhum movimento. Nem parecia uma segunda-feira depois da Páscoa. Ficamos com várias perguntas na cabeça... será que aqui é feriado de Tiradentes também (brincadeira!), por que está tudo fechado?

Prédio no Caminho Real

Prédio no Caminho Real

Chegamos à capital no início da tarde. Paramos em um posto de combustíveis para comprar um mapa da cidade. É melhor não entrar nas cidades grandes assim, sem orientação. É estressante andar, andar e andar sem saber pra onde. Com um mapa na mão logo ficamos sabendo onde ficam os campings, os pontos turísticos e os postos de informação.

Estátua do astrônomo polaco Nicolau Copérnico

Estátua do astrônomo polaco Nicolau Copérnico

Estacionamos o carro ali mesmo até nos localizarmos e aproveitar o adiantado da hora para preparar um almoço rápido. A viagem, a comida e o solzinho que se abria nos deixou preguiçosas. Aos poucos foi batendo o sono e acabamos dormindo um pouco. Quando acordamos, já passavam das seis e meia da tarde. Fomos direto para o centro da cidade aproveitar o resto do dia.

Fachada da Igreja de Sta. Ana

Fachada da Igreja de Sta. Ana

Enquanto estacionávamos o motorhome em uma rua próxima à Universidade de Varsóvia, um rapaz acompanhado da namorada nos abordou e disse que falava português. Ele queria saber o que um carro com a bandeira do Brasil fazia ali. Admiradas, dissemos que éramos brasileiras e que estávamos fazendo uma viagem pela Europa. O polaco era Piotr - ou Pedro, como ele mesmo disse - que trabalha na Embaixada do Brasil em Varsóvia.

O que são as coincidências!!! Nosso primeiro compromisso na manhã de terça-feira seria mesmo procurar a Embaixada para fazermos alguns contatos. Perguntamos sobre o senhor Almir Gonçalves, a quem nos tinham indicado, e ele disse trabalharem juntos. Ninguém acreditava no que estava acontecendo... trocamos e-mails e ficamos de ligar logo cedo para marcar a reunião. Mais fácil do que imaginávamos.

Fizemos um passeio rápido pelo centro antigo da cidade (o Rynek), totalmente reconstruído pelos comunistas depois da Segunda Guerra Mundial, jantamos e voltamos para dar uma olhada no carro. Tudo certo, resolvemos andar mais um pouco, até a estátua do astrônomo polaco Nicolau Copérnico. O lugar - assim como outros cantos de Varsóvia - serviu de cenário para o filme O Pianista, do diretor Roman Polanski.

Ahhhhhh! Lembram da nossa dúvida sobre por que tudo estava fechado? Não era dia de Tiradentes não.... Piotr nos explicou que aqui na Polônia, como as pessoas trabalham até o meio-dia na Sexta-Feira Santa, elas tomam a segunda como feriado prolongado de Páscoa. Nos colégios e universidades, o feriado prolongado se estende por uma semana, de quarta à quarta. Que beleza, hein?

  
  

Publicado por em