História e folclore no Balaton

Dormimos até um pouco mais tarde hoje. Fizemos algumas coisas no carro, procuramos um supermercado ou algo parecido, um cyber café – este sem sucesso - e depois do almoço, saímos para conhecer uma vila típica húngara do século 19. Os guias que recebemos n

  
  

Dormimos até um pouco mais tarde hoje. Fizemos algumas coisas no carro, procuramos um supermercado ou algo parecido, um cyber café – este sem sucesso - e depois do almoço, saímos para conhecer uma vila típica húngara do século 19. Os guias que recebemos no centro de informações turísticas nos chamaram a atenção para esta oportunidade de saber um pouco mais sobre este país que até agora vem nos surpreendendo bastante e muito bem.

Fachada florida numa vila típica húngara

Fachada florida numa vila típica húngara

A vila fica à beira da estrada. As casas com telhado de palha, o que as deixa fresquíssimas, são reproduções perfeitas da época – incluindo muitos dos móveis originais. Elas podem ser alugadas e são exclusivamente muito procuradas durante as temporadas de primavera e verão, já que no inverno parece que os turistas preferem fugir da neve e procuram outros ares. O lugar oferece ainda passeios a cavalo, são 50 disponíveis aos visitantes. Logo na entrada, um restaurante típico serve a tradicional sopa de gulyas, arroz, frango e o vinho típico da região de Zamardi e do Balaton. Tudo uma delícia.

No dia seguinte haveria uma apresentação de cavalos e danças tradicionais. Norbert, o rapaz que nos recebeu na vila, fez o convite para assistirmos ao show e conhecermos um pouco mais da cultura húngara. Como recusar? Combinamos e marcamos para o sábado à tarde, próximo das quatro horas.

Na volta pra casa, ou melhor, pro lago, paramos a poucos metros da água. Queríamos aproveitar a luz do fim do dia e fazer algumas imagens do motorhome. Patrícia e Cláudia mais uma vez caíram na água. Fabiula ficou na margem, abraçada a um livro. Enquanto esperávamos o sol se pôr, deu até pra tirar um cochilo na esteira e tomar um banho corrido – o banheiro fechava às 19 horas e chegamos lá quase 19h30, mas ainda conseguimos entrar. As imagens do entardecer ficaram ótimas. Vocês podem ter uma idéia pelas fotos que fizemos...

O dia foi recompensado com uma caminhada na beira do lago Balaton e uma pizza com chopp em um dos restaurantes mais movimentados de Zamardi. A chegada e a saída dos clientes é uma festa só. Todos os garçons, em um coral onde cada um tem a sua vez, saúdam em italiano os que acabam de entrar ou os que deixam o restaurante. Estes sabem mesmo conquistar, não só pela bela comida que servem.

  
  

Publicado por em