Mistura de ritmos no palco do Jazz Festival de Montreux

Do reggae ao pop, passando pelo samba, forró e baião. Assim foi a `Brazil Fiesta` na nona noite do 37° Jazz Festival de Montreux, uma mistura de ritmos e cores como no nosso Brasil. Brasileiros lotaram a platéia do festival A seleção de artistas f

  
  

Do reggae ao pop, passando pelo samba, forró e baião. Assim foi a `Brazil Fiesta` na nona noite do 37° Jazz Festival de Montreux, uma mistura de ritmos e cores como no nosso Brasil.

Brasileiros lotaram a platéia do festival

Brasileiros lotaram a platéia do festival

A seleção de artistas foi escolhida para que os shows realmente fossem animados, onde ninguém deveria ficar parado…. E foi assim, do começo ao fim.

Jair de Oliveira abriu a noite

Jair de Oliveira abriu a noite

Jair de Oliveira, foi quem primeiro subiu ao palco, esquentando a platéia para o show de sua irmã Luciana Mello e o pai Jair Rodrigues. Com seu estilo voltado para o jazz, Jair de Oliveira (Jairzinho) cantou músicas de sua autoria. Mas a noite só começou a esquentar com a entrada de Luciana Mello, que entrou no palco cantando o sucesso de Clara Nunes `O mar serenou`, de Candeia. O pai Jair Rodrigues, com seu estilo inconfundível, deu trabalho aos cinegrafistas, não parava um minuto. Antigos sambas levaram o público brasileiro, que vive na Suíça, ao delírio. Com sua alegria contagiante, colocou todo mundo para dançar. Brincalhão, arranhou algumas palavras em francês e inglês. Desceu do palco e uma das fãs acabou até ganhando um rapido beijo na boca. Convidou outra para sambar no palco, foi uma festa! Em apenas uma das canções os filhos entraram no palco para acompanhar o pai. A pena é que os shows foram muito curtos, Jair de Oliveira, Luciana Mello e Jair Rodrigues tiveram somente cerca de 20 minutos para se apresentar.

Luciana Mello encantou o público com sua bela voz

Luciana Mello encantou o público com sua bela voz

O grupo paulista Falamansa chamou o público para o arrastapé. Ao som da sanfona e da zabumba, a platéia aproveitou para dançar agarradinho. O maior sucesso da banda, `Xote da Alegria`, fez parte do repertório.

Jair Rodriges contagiou a todos com sua alegria

Jair Rodriges contagiou a todos com sua alegria

Para encerrar a noite, o Cidade Negra, comandado por Tony Garrido, agitou ainda mais o público que contou com ainda mais brasileiros do que ontem. Apesar de ter sido apresentado como show acústico, o Cidade Negra cantou antigos sucessos que não faziam parte do disco. A empolgação da platéia foi tanta que na metade do show o cordão de segurança foi rompido. Todos queriam ficar mais perto do palco, mas não houve tumulto. Toni Garrido não decepcionou, desceu do pálco varias vezes e tocou o que o público queria ouvir.

O forró do Falamansa embalou brasileiros e suíços

O forró do Falamansa embalou brasileiros e suíços

Por todos os lados só se ouvia português e se via as cores da bandeira do Brasil. Para os mais saudosos, até feijoada se podia saborear por aqui.

Com certeza a noite foi dos brasileiros.

  
  

Publicado por em