Partimos de Mainz e deixamos grandes amigos pra “Traiz”

Passamos duas noites como hóspedes de Carlos e Renate, literalmente. Eles não deixaram que dormíssemos no motorhome, mesmo tendo visto todo conforto que ele nos proporciona. Na última noite, eles nos convidaram para provar uma delícia da cozinha alemã: um

  
  

Passamos duas noites como hóspedes de Carlos e Renate, literalmente. Eles não deixaram que dormíssemos no motorhome, mesmo tendo visto todo conforto que ele nos proporciona. Na última noite, eles nos convidaram para provar uma delícia da cozinha alemã: uma saborosíssima torta de ameixa. E jogamos conversa fora.

Carlos e Renate, nossos anfitriões

Carlos e Renate, nossos anfitriões

O sábado chegou e com ele o dia da partida. Renate e Carlos nos deram alguns presentes e um caloroso adeus. No centro da cidade, conhecemos rapidamente o museu de Gutenberg, a antiqüíssima catedral de Mainz, as pequenas vias centrais cheias de lindos restaurantes e lojas (veja em dicas de viagem) e fizemos as primeiras imagens da expedição.

Patrícia em dia de limpeza geral

Patrícia em dia de limpeza geral

Na estrada novamente, dirigirmos pelo Vale do Reno por uma estrada encantadora que margeia o rio. Em uma hora e meia de viagem, cruzamos pequenos vilarejos graciosos e pudemos admirar majestosos castelos.

O destino era Koblenz, uma cidade de 150 mil habitantes. A chegada nestes centros é sempre cercada de muita expectativa, porque nunca sabemos como encontrar o camping para passar a noite. Tínhamos o endereço, mas não sabíamos que direção tomar. A informação correta conseguimos num hotel da cidade.

Andamos poucos minutos e chegamos no camping, onde passamos uma noite tranqüila. O domingo foi dia de faxina no motorhome. Aproveitamos também para lavar as roupas sujas acumuladas desde o início da expedição. . Enquanto a Cláudia limpava o chão do motorhome e preparava o almoço, Fabiula se ocupou do banheiro e Patrícia foi lavar as roupas. O camping era bem limpo, seguro e equipado. Tinha cozinha, banheiros aquecidos e uma lavanderia, com duas máquinas de lavar roupas e duas secadoras. Mas pra quase tudo tivemos de pagar. Para lavar, desembolsamos seis euros (R$ 24,00) e para secar, dois (R$ 8,00). Para passar a noite, 5,50 euros (R$ 20,00) pelo carro e mais 4,50 euros por pessoa. Cada banho nos custou cinqüenta centavos de euro (R$ 2,00). Só os banheiros não eram taxados, ainda bem...

  
  

Publicado por em