Pelos subterrâneos de Paris

Por subterrâneo muitas vezes entende-se apenas metrô. Mas aqui em Paris, os subterrâneos revelam muito mais do que simples linhas de transporte rápido. Além do metrô, um dos mais antigos do mundo, a capital abriga sob os pés dos parisienses uma rede de ca

  
  

Por subterrâneo muitas vezes entende-se apenas metrô. Mas aqui em Paris, os subterrâneos revelam muito mais do que simples linhas de transporte rápido. Além do metrô, um dos mais antigos do mundo, a capital abriga sob os pés dos parisienses uma rede de catacumbas medindo 1,6 quilômetro de extensão (com 20 metros de profundidade) construída a partir de 1785 para um processo de higienização da cidade.

Tubulação da rede de esgoto de Paris

Tubulação da rede de esgoto de Paris

Os resíduos dos cemitérios, lotados por conta de sucessivas e avassaladoras epidemias, estavam provocando contaminações. Ordenou-se então que os cadáveres fossem exumados e os ossos levados para as tais catacumbas, hoje abertas à visitação e bastante procuradas pelos turistas.

Entrada de um dos túneis que levam às enormes galerias

Entrada de um dos túneis que levam às enormes galerias

Por mais estranho que pareça, a bela Paris disponibiliza também visitas à rede de esgotos. O ponto turístico é aberto o ano todo e, pelo que pudemos notar, é bastante procurado. Nada que se compare ao volume de pessoas que passam diariamente pela Torre Eiffel, pelo Arco do Triunfo, pelo museu do Louvre ou pelas famosas igrejas da cidade. Cartazes espalhados pela cidade convidam para a visita nada convencional. Tal propaganda nos chamou a atenção e hoje nos aventuramos pelas galerias subterrâneas mal-cheirosas.

Barcos usados na retirada das toneladas de dejetos

Barcos usados na retirada das toneladas de dejetos

Enquanto Patrícia e seus pais faziam outros passeios pela Cidade Luz, Fabiula e Cláudia preferiram a rede escura de esgotos. A visita surpreende, principalmente para quem espera apenas água suja, mau cheiro e ratos cruzando por todos os lados. O museu é bastante rico. Instrumentos usados no trabalho de saneamento, painéis ilustrativos com a história do desenvolvimento da cidade baseado no abastecimento de água e no crescimento da rede subterrânea.

Em Os Miseráveis, Victor Hugo descreve os subterrâneos parisienses

Em Os Miseráveis, Victor Hugo descreve os subterrâneos parisienses

Paris está dotada de uma rede de esgoto única no mundo, formada por 2.100 quilômetros de túneis. A grandiosidade não está apenas na extensão. Todos os dias são despejados 1,2 milhão de metros cúbicos de água usada. Esse volume equivale a 35 mil caminhões de 35 toneladas formando uma fila ininterrupta de 465 quilômetros. A cada ano são retirados da rede mais de 15 mil metros cúbicos de dejetos sólidos. O correspondente a um prédio de seis andares.

O museu ilustra a história do destino das águas da capital

O museu ilustra a história do destino das águas da capital

A água que abastece a cidade vem do rio Sena e, hoje, depois de tratada, volta para o Sena. Em tempos antigos, ela também vinha e voltava para o Sena, mas sem o devido tratamento. Mas, a preocupação com a boa qualidade da água começou a aparecer muito tempo depois, a partir do século XIX, com a construção das primeiras galerias cobertas, a mando do imperador Napoleão Bonaparte. O malha atual foi projetada em 1850 pelo engenheiro Eugène Belgrand.

A fascinação por esta grandiosa obra de engenharia aparece em Os Miseráveis (1862), a famosa obra do escritor francês Victor Hugo. O literato, amigo de um inspetor de saneamento da época, visitou as galerias e conseguiu mapas de toda rede. Isso tudo o ajudou a dar substância a algumas passagens de personagens do livro pelos subterrâneos da capital. Todas estas informações estão muito bem dispostas no museu organizado nos próprios canais de escoamento.

No final da visita, uma lojinha vende souvenirs comumente vendidos em outros pontos turísticos. Livros, catálogos e cartazes contam a história e o desenvolvimento dos Esgotos de Paris. A graça das lembrancinhas fica por conta de simpáticos ratinhos de pelúcia. Pode?

  
  

Publicado por em

Jose alves graca

Jose alves graca

25/12/2008 10:46:11
maravilha pois, usarei nas aulas de geologia para os alunos, no curso de meio ambiente.

Nelsoncoser

Nelsoncoser

20/11/2008 10:06:52
Desconhecia...

Assistindo aos desenhos animados nesta manhã de 20-11-08, ouvi sobre esgotos subterrâneos de Paris. Despertaram-me grande curiosidade. Fui ao Google e li a reportagem. Fiquei muito curioso em ver de perto. Em viagem que farei a Paris, em breve, não deixarei de dar uma chegadinha também aos ditos-cujos.