Rumo à capital mundial da liberdade: Amsterdã

Descansadas, alimentadas, bastante dispostas e com a despensa cheia de delícias (farinha de mandioca, pasta de alho, stroopwafels, vinhos, suco de guaraná e ruijter - confeitos que “temperam” o pão dos holandeses no café da manhã), nos despedimos e partim

  
  

Descansadas, alimentadas, bastante dispostas e com a despensa cheia de delícias (farinha de mandioca, pasta de alho, stroopwafels, vinhos, suco de guaraná e ruijter - confeitos que “temperam” o pão dos holandeses no café da manhã), nos despedimos e partimos para percorrer cerca de 110 quilômetros até Marken, um pouco ao norte de Amsterdã. A antiga colônia de pescadores surpreende pela infra-estrura, bastante diferente se comparada ao que estamos acostumados a ver no Brasil.

Eurotrip na estrada para Marken

Eurotrip na estrada para Marken

No caminho, já quase chegando, fomos surpreendidas por uma estrada que divida a grande lagoa desenvolvida pelos holandeses para evitar as freqüentes inundações na região. Onde antes havia água salgada, agora apenas água doce, cujo volume é controlado por pequenos e grandes diques que impedem o avanço do mar. Paramos para provar, é claro! Deixamos o carro na entrada do vilarejo e seguimos pelas vielas que levam até o pequeno centro e o cais. Cruzamos por vários grupos de turistas, observamos a vida no lugar e em um dos quintais vimos, já bastante gastos, dois pares de tamancos de madeira – outro símbolo holandês.

Vista do cais da vila de pescadores

Vista do cais da vila de pescadores

De volta à estrada, seguimos finalmente para a capital mundial da liberdade. Percorremos pouco mais de 20 quilômetros até Amsterdã. A Veneza holandesa é apaixonante. Os canais que transpassam a cidade e a agitada vida cultural dão à cidade um clima bastante particular. As bicicletas – cerca de 550 mil –o movimento de turistas e a velocidade dos barcos que cruzam os canais distinguem Amsterdã.

Tamancos de madeira ainda usados pelos moradores

Tamancos de madeira ainda usados pelos moradores

Uma rápida passagem pelo centro da cidade para conhecer o território e decidimos procurar um camping para abastecer o carro de água e luz e passarmos a noite longe das ruas estreitas e agitadas. Sem saber muito sobre a cidade e à procura de água para o carro, paramos em um posto de combustíveis. Não conseguimos muito do líquido precioso, apenas o nosso galão de 25 litros e a simpatia do rapaz do caixa. O posto nos serviu ainda de estacionamento para a noite.

Detalhe da Estacão Central de Amsterdã

Detalhe da Estacão Central de Amsterdã

  
  

Publicado por em