Tranqüilidade, sombra e água fresca

Antes de pegar a estrada para o Lago de Balaton, fizemos umas comprinhas no mercado. Existem vários lugares interessantes na região. Preferimos começar por Zamardi, um balneário pequeno, sem muito agito, mas que abriga casas consideradas monumentos da arq

  
  

Antes de pegar a estrada para o Lago de Balaton, fizemos umas comprinhas no mercado. Existem vários lugares interessantes na região. Preferimos começar por Zamardi, um balneário pequeno, sem muito agito, mas que abriga casas consideradas monumentos da arquitetura folclórica húngara. O lago fica a cerca de duas horas de Budapeste e a rodovia é ótima.

O entardecer no lago Balaton

O entardecer no lago Balaton

Chegamos à cidadezinha e logo procuramos o posto de informações. É incrível como eles têm uma variedade imensa de material turístico sobre o lugar. Guia de restaurantes, hotéis, campings e atrativos em geral de todo o lago em vários idiomas. Seria muito bom se no Brasil isso também fosse comum. E aqui nós não estamos numa praia tão movimentada como Camboriu, em Santa Catarina, por exemplo. Mas uma praiazinha pequena...

Um estacionamento a menos de 150 metros do lago foi o lugar que escolhemos para deixar o carro. Embaixo de uma sombra gigante, é claro. Antes mesmo do almoço, fomos dar uma passeada para conhecer o lugar. O Balaton é o maior lago de água doce da Europa. Muito arborizado, com infra-estrutura de banheiros e chuveiros, a praia realmente é perfeita para o descanso, ou para trabalho, como é o nosso caso.

No lugar da areia, existe grama até bem perto da água, depois pedras. Uma pequena escada dá acesso à água que, quando chegamos, estava numa temperatura média de 25 graus. Aqui não há perigo de afogamentos. A profundidade da água, pelo menos nos primeiros 30 metros de lago não passa dos 60 centímetros. É possível alugar caiaques e pedalinhos para passar o tempo ou arriscar uma pescaria. O Balaton bem que parece as praias artificiais que conhecemos do Lago de Itaipu, com água mais clara.

Voltamos pro carro, almoçamos e nos preparamos para aproveitar um pouco dessa paisagem. Levamos para a praia cadeiras, esteiras, livros, material de desenho, raquetes e bolinha para jogar peteca, baralho... Esta parte do lago é considerada uma das mais calmas de toda sua extensão. Quem quer agito, é recomendado procurar a margem norte. O melhor foi ficar com a cadeira dentro da água vendo o sol se pôr. O entardecer foi lindíssimo, a natureza nos presenteia sempre, basta reservarmos tempo e apreciá-la!

  
  

Publicado por em