Uma parada no Monastério de Montserrat

Seguimos na estrada logo cedo em direção a Barcelona. No caminho vimos muitos carros com pares de esqui amarrados no teto. A maioria dos espanhóis está aproveitando o feriado para esquiar. A temporada nas estações de esqui do país abriu neste fim de seman

  
  

Seguimos na estrada logo cedo em direção a Barcelona. No caminho vimos muitos carros com pares de esqui amarrados no teto. A maioria dos espanhóis está aproveitando o feriado para esquiar. A temporada nas estações de esqui do país abriu neste fim de semana e dá até uma pontinha de vontade de dar uma espiada, mas com um carro tão grande, a falta de prática com as correntes no pneu e o nosso problema com o reservatório da água não dá para arriscar.

Apresentação do coro de meninos de Montserrat, La Escolanía

Apresentação do coro de meninos de Montserrat, La Escolanía

Decidimos então dar uma parada no Monastério de Montserrat que fica no caminho para Barcelona. Para chegar ao santuário tivemos que pegar uma estrada bastante sinuosa e estreita. Já no alto do monte vimos uma placa que indicava a entrada para a direita. Vimos um estacionamento no meio do mato cheio de carros, ficamos com um pouco de medo de atolarmos, mas entramos mesmo assim já que tínhamos chegado até ali. Cláudia desceu do carro para manobrar o carro.

O belíssimo interior da Basílica do santuário

O belíssimo interior da Basílica do santuário

Quando finalmente estacionamos, um grupo de mochileiros estava chegando e Cláudia aproveitou para perguntar se a caminhada era muito longa. Foi quando o rapaz disse que por ali seriam 10 quilômetros, mas que para chegar ao monastério era melhor seguir com o carro e entrar na próxima rua à direita. Ficamos até aliviadas por ter errado a entrada, foi um sufoco tirar o carro daquele lugar, mas Patrícia conseguiu.

Detalhe de um dos fiéis pedindo a benção de Nossa Senhora de Montserrat

Detalhe de um dos fiéis pedindo a benção de Nossa Senhora de Montserrat

Seguimos a estrada e finalmente achamos o local certo. Considerado o lugar mais sagrado da Catalunha, o santuário abriga a imagem da Virgem Negra (La Morenita) como é chamada pelos espanhóis. Os fiéis dizem que a imagem de Nossa Senhora de Montserrat foi feita por São Lucas e levada ao local por São Pedro no ano 50, mas estudos indicam que a imagem de madeira foi esculpida no século XII. Desde 1881, a Virgem Negra é padroeira da Catalunha.

As louças usadas pelos monges no refeitório do monastério

As louças usadas pelos monges no refeitório do monastério

O santuário fica ao pé de Monteserrat (monte serreado) cujo pico tem 1.236 metros. A formação rochosa é bem diferente de todas as que já vimos. São picos arredondados que lembram dedos erguidos ao céu. Por sua beleza e singularidade, em 1987 a região foi declarada Parque Natural e desde então uma empresa é responsável pela sua conservação e exploração turística.

A Basílica com a bela formação rochosa ao fundo

A Basílica com a bela formação rochosa ao fundo

O complexo oferece uma impressionante infra-estrutura com estacionamentos, restaurante, bar, cafeteria, hotel, apartamentos, mini-mercado e lojas de souvenirs. Quem vem de Barcelona pode pegar um trem na Praça da Espanha e ir à estação de um funicular que sobe a montanha até o santuário.

Além da linda Basílica, o visitante pode ver obras de Picasso, Miró, Salvador Dali, Renoir, entre outros pintores, que estão em exposição no museu do monastério. Um audiovisual mostra um pouco da rotina dos cerca de 80 monges beneditinos que vivem segundo as regras de San Benito. Além dos monges, vivem no monastério 50 crianças que estudam e fazem parte do coro La Escolanía, considerado o mais antigo da Europa.

Passamos o dia visitando todos os lugares que podíamos. Já era noite quando voltamos para casa e decidimos dormir no santuário para no dia seguinte assistirmos à missa e a apresentação do famoso coro dos meninos. A noite estava bastante fria e resolvemos esquentar um pouco os ânimos com uma sessão de cinema com direito à pipoca e tudo. Assistimos ao filme Inteligência Artificial, de Steven Spielberg e fomos dormir abençoadas pela Virgem Negra.

Despertamos no dia seguinte com o vale tomado pelas nuvens. Aos poucos o sol apareceu e esquentou um pouco o domingo de outono. Fomos à Basílica, acompanhamos a missa e vimos a apresentação dos meninos cantores. Patrícia ainda fez uma visita ao museu. No monastério, mais do que monges existem lojas e é impressionante como os espanhóis gastam. Elas permaneceram lotadas durante todo o dia. No início da tarde, pegamos finalmente a estrada para Barcelona.

Quando chegamos na capital da Catalunha, o céu era uma combinação de cinza, alaranjado e amarelo. Uma espécie de boas-vindas pra nós. Encontramos um estacionamento num posto de combustíveis e com a devida autorização passamos a noite no local, um pouco barulhenta, mas segura.

  
  

Publicado por em

Lidice

Lidice

30/01/2011 13:28:45
Estive lá em Monteserrat e voltei impressionada pela beleza do lugar..
O coral é de uma sinfonia e harmonia celestes...
Vou voltar e passar uns 8 dias curtindo a beleza de lá..

Dione cleide carrion rodrigues

Dione cleide carrion rodrigues

20/11/2009 18:23:20
Que coisa linda!