França – gerais

O país dos croissants, dos crepes, dos champagnes, dos vinhos e dos perfumes é também um lugar de paisagens encantadoras, castelos incríveis, gente elegante, pensadores e escritores importantes, além de muito charme. Difícil dizer por onde começar a visit

  
  

O país dos croissants, dos crepes, dos champagnes, dos vinhos e dos perfumes é também um lugar de paisagens encantadoras, castelos incríveis, gente elegante, pensadores e escritores importantes, além de muito charme. Difícil dizer por onde começar a visita, mais difícil ainda é escolher o que ficará de fora.

As uvas, que darão o sabor e aroma aos vinhos franceses, quase prontas para serem colhidas

As uvas, que darão o sabor e aroma aos vinhos franceses, quase prontas para serem colhidas

Além de Paris, os pontos turísticos mais atrativos são os castelos e alguns vilarejos no Vale do Loire (cidades como Blois e Chartres e o Château de Chenonceau), as regiões vinícolas (como Champagne e Bordeaux), os resorts da Cote d’Azur (em Cannes, Nice e Mônaco), os Pirineus (ao sul do país na fronteira com a Espanha) e os Alpes Franceses (como Annecy).

Nôtre-Dame de Reims, com mais de duas mil estátuas na fachada oeste

Nôtre-Dame de Reims, com mais de duas mil estátuas na fachada oeste

O país tem um passado nobre que encanta os visitantes. A catedral Nôtre-Dame em estilo gótico de Reims, por exemplo, foi palco da coroação de vários reis franceses entre 1223 (rei Luís VIII, o Leão) e 1825 (rei Calos X), incluindo a cerimônia de coroação de Carlos VII, conduzida por Joana d’Arc em 1429. Por toda a França há estátuas em homenagem à heroína e padroeira que venceu os ingleses durante a Guerra dos Cem Anos, mas que depois foi capturada pelo inimigo, acusada de bruxaria e queimada na cidade de Rouen quando tinha apenas 19 anos.

Construída exclusivamente para a Exposição Universal de 1889, em comemoração ao centenário da Revolução Francesa, a Torre Eiffel marca o cenário parisiense

Construída exclusivamente para a Exposição Universal de 1889, em comemoração ao centenário da Revolução Francesa, a Torre Eiffel marca o cenário parisiense

Se viajar de carro, principalmente no interior do país, prefira as pequenas pousadas e hotéis, muitos deles familiares, aos grandes hotéis. Os preços são atraentes e os quartos pra lá de aconchegantes. Nos pontos de informações da maioria das cidades, há guias de hospedagem local, muitos com fotografias dos aposentos.

Château de Chenonceau, um dos mais belos do Vale do Loire

Château de Chenonceau, um dos mais belos do Vale do Loire

A gastronomia é outra atração do país. Seja em refinados e caros restaurantes ou em bistrôs e cafés mais simples, sempre há alguma delícia para ser apreciada que está dentro do orçamento de cada um. Se puder, sente-se em um desses restaurantes com mesas na calçada e aproveite os sabores franceses.

dica - O país não é barato, mas sempre é possível economizar. Alguns restaurantes e lanchonetes oferecem vendas no balcão, nesses casos você não pagará taxa de serviço, já que o garçom não terá o que fazer. Mas não tente sentar-se nas mesas, a maioria colocada na calçada, você poderá ser enxotado. Elas são destinadas apenas a quem faz os pedidos aos “educados” garçons.

A rede rodoviária francesa é boa e bem sinalizada. É possível economizar em pedágios preferindo conhecer o país por rodovias menores. Provavelmente a viagem demorará mais tempo, já que o limite de velocidade é menor, mas o turista ganha ao desfrutar a paisagem interiorana da França.

A Lufthansa voa para Paris saindo de São Paulo. Para embarque até 12 de outubro na classe econômica, a passagem aérea custa US$ 815 durante a semana e US$ 842 de sexta a domingo, com conexão em Frankfurt. Para mais informações e reservas, basta ligar (11) 3048 5800 e no Rio (21) 3687 5000. Ou pela Internet www.lufthansa.com.br

  
  

Publicado por em