Vale do Loire (Parte II) – França

Aproveite para saber mais sobre a guerreira Joana d’Arc Casas na rocha a caminho do Clos-Lucé Além dos castelos, a Rota Histórica do Vale dos Reis, como também é conhecido o Vale do Loire, abriga ainda igrejas, pontes e relíquias do tempo e

  
  

Aproveite para saber mais sobre a guerreira Joana d’Arc

Casas na rocha a caminho do Clos-Lucé

Casas na rocha a caminho do Clos-Lucé

Além dos castelos, a Rota Histórica do Vale dos Reis, como também é conhecido o Vale do Loire, abriga ainda igrejas, pontes e relíquias do tempo em que a jovem Joana d´Arc, hoje padroeira da França, lutava pela soberania do território francês, tomado pelos ingleses no início do século XV. Questões políticas levaram a guerreira inspirada por Deus para a morte no fogo sob o julgo da Inquisição Católica. Encarcerada e julgada pelo inimigo em Rouen, Joana terminou na fogueira, acusada de bruxaria.

Em Rouen, a cruz indica o lugar onde Joana d’Arc foi queimada

Em Rouen, a cruz indica o lugar onde Joana d’Arc foi queimada

Em Orléans, capital da França Medieval, é possível conhecer a história da mais célebre batalha comandada por Joana e seu exército em 1429, durante a Guerra dos Cem Anos. Um museu foi construído na casa do então tesoureiro Jacques Boucher onde a jovem passou algumas noites até o tão esperado dia da expulsão dos ingleses. A armadura usada pela atriz que interpretou Joana d’Arc no cinema também pode ser vista na antiga residência.

A estátua da padroeira no museu de Órleans

A estátua da padroeira no museu de Órleans

O italiano da Vinci em terras francesas

Helicóptero no parque do Château de Clos-Lucé

Helicóptero no parque do Château de Clos-Lucé

No caminho para Chenonceau é possível cruzar com parte da história construída pelo italiano Leonardo da Vinci. Na verdade, o que se pode conhecer é a última morada do gênio, onde ele passou seus últimos três anos de vida trabalhando prazerosamente a serviço do rei Francisco I. O castelo de Clos-Lucé fica na cidade de Amboise, bem ao lado do palácio real, contornado por um parque que guarda réplicas de importantes invenções do mestre.

Réplicas das invenções do gênio da Vinci

Réplicas das invenções do gênio da Vinci

A cidade é simpaticíssima e além dos dois castelos que fazem parte do circuito cultural e histórico do Vale do Loire, ao longo da estrada estreita que leva ao Clos-Lucé, é possível observar várias casas habitadas construídas na rocha. De fora o que se vê são apenas as portas e as janelas das habitações, algumas antenas de televisão e chaminés. O vai-e-vem de moradores indica que viver ali não é tão diferente quanto parece, mas bastante interessante pra quem se depara com este tipo de moradia pela primeira vez.

Já no castelo, é possível passar pelas salas principais, pelo quarto onde viveu e morreu (1516-1519) o gênio italiano e de onde ele tinha a bela vista do castelo do rei Francisco I – seu protetor e amigo -, o escritório e as cozinhas. No subsolo, uma exposição mostra 40 máquinas projetadas por da Vinci. Para a abertura da exposição, elas foram construídas pela IBM - multinacional do ramo da informática - com materiais da época.

Além da habilidade com os pincéis, o pintor de Monalisa e da Santa Ceia explorou a engenharia civil e militar, a óptica, a hidráulica, a arquitetura, a aeronáutica e a mecânica, projetando instrumentos e métodos que só seriam “inventados” séculos mais tarde e que levaram o nome de outros autores. Da Vinci estudou ainda a anatomia humana e animal, a botânica e se aventurou pelo urbanismo, projetando “cidades ideais”.

Entre os magníficos trabalhos do italiano estão os esboços do primeiro avião, do pára-quedas, das pontes móveis, do automóvel, da metralhadora e do aeroplano. Isso tudo sem contar os estudos sobre a anatomia humana e animal. Conta-se que Leonardo chorou no leito da morte por considerar ter ofendido o Criador e os homens do mundo ao não ter trabalhado como convinha em sua arte.

Da Vinci tinha prazer em observar a natureza e seu “balé”, que segundo ele, guardam a explicação para tudo: “O movimento é a razão da vida. Quem não valoriza a vida não a merece.”

Para mais informações, acesse: www.monum.fr (site oficial dos monumentos históricos da França)

A Lufthansa voa para Paris saindo de São Paulo - para embarque até 12 de outubro na classe econômica, a passagem aérea custa US$ 815 durante a semana e US$ 842 de sexta a domingo, com conexão em Frankfurt. Para mais informações e reservas, basta ligar (11) 3048 5800 e no Rio (21) 3687 5000. Ou pela Internet www.lufthansa.com.br

  
  

Publicado por em