Viena – Áustria (parte II)

continuação... Karlskirche: promessa para o fim da peste negra Stephansdom (Catedral de São Estevão) - A catedral, com seu belo telhado de azulejos vitrificados e sua torre de 107 metros de altura, é considerada a alma e um dos símbolos de Viena.

  
  

continuação...

Karlskirche: promessa para o fim da peste negra

Karlskirche: promessa para o fim da peste negra

Stephansdom (Catedral de São Estevão) - A catedral, com seu belo telhado de azulejos vitrificados e sua torre de 107 metros de altura, é considerada a alma e um dos símbolos de Viena. Sob o altar-mor estão guardadas dezenas de urnas que preservam em álcool as vísceras de alguns dos Habsburgos. Uma das mais ricas obras guardadas sob o teto abobadado da Stephansdom é o túmulo de Frederico III. As imagens de santos que decoram as colunas também chamam a atenção dos que visitam a igreja. Ainda no subsolo da catedral estão amontoados os ossos de milhares de corpos de um antigo cemitério da igreja e de vítimas da peste negra, doença que assolou a capital austríaca no início do século 18.

A estatueta de 25 mil anos da Vênus de Willendorf

A estatueta de 25 mil anos da Vênus de Willendorf

Gaben e Kärntnerstrasse – Por esta avenida exclusiva para pedestres, o visitante de Viena pode passear pelo belo e convidativo centro comercial da cidade, conhecido como praça do mercado. Se preferir, entre em um dos tradicionais cafés e confeitarias e experimente os deliciosos doces e bolos de Viena. Estas ruas, localizadas logo atrás do Burghof levam também à Staatsoper (Ópera Nacional), um dos teatros de ópera mais ricos da Europa, reinaugurada em 1955 após ter sofrido vários bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial. Um espetáculo pode ser apreciado – em pé na parte superior do teatro, por apenas 2 euros. Estes ingressos são disponibilizados ao público poucos horas antes das apresentações começarem. Cadeiras numeradas e camarotes podem ser comprados com antecedência nos guichês ou com vendedores caracterizados que ficam nas proximidades da Ópera.

Esta é a sala de espera do antigo consultório de Sigmund Freud

Esta é a sala de espera do antigo consultório de Sigmund Freud

Karlskirche – Esta igreja foi construída após uma promessa feita por Carlos VI durante a epidemia de peste negra que quase dizimou todos os vienenses em 1713. Caso a cidade fosse livre da doença, deveria ser erguida uma igreja em homenagem a São Carlos Borromeo, antigo arcebispo de Milão e santo patrono da peste. A construção durou quase 25 anos. As duas colunas que adornam a parte externa na igreja contam a vida do santo “que salvou Viena”.
Ainda no centro de Viena, aproveite para conhecer a Igreja Votiv, construída entre 1856 e 1879 em lembrança ao atentado sofrido por Francisco José I.

Torres da Votivkirche, no centro de Viena

Torres da Votivkirche, no centro de Viena

Museus – Viena é uma capital rica em museus, entre os que se destacam estão o Kunsthistorisches Museum, o Museu de Artes Aplicadas e o Naturhistorisches Museum, com sua Vênus de Willendorf, uma estatueta que já conta com 25 mil anos.
A capital preserva ainda o Freud Museum, no número 19 da Bergasse. Neste endereço viveu e trabalhou de 1891 a 1938 Sigmund Freud, o pai da psicanálise. Entre os objetos em exposição estão cartas, livros, móveis, fotos e objetos que pertenceram ao estudioso da psique humana. O apartamento foi abandonado quando os nazistas obrigaram Freud a deixar a cidade, mas a sala de espera de seu consultório foi restaurada e os móveis postos nos lugares de origem.

Entrada principal do Palácio Schönbrunn

Entrada principal do Palácio Schönbrunn

Palácio e Jardins de Schönbrunn (do alemão ‘bela fonte’)– A residência de verão dos Habsburgos está hoje na lista dos Patrimônios Mundiais da Humanidade. A simetria da arquitetura é ornamentada no seu exterior por um belo jardim e sua série de fontes e estátuas interligadas por alamedas traçadas e ladeadas de árvores. No palácio podem ser vistos suntuosos salões (como o Millionem Zimmer) e outros mais simples, como os aposentos do imperador Francisco José e da imperatriz Sissi. Neste palácio viveram também o duque de Reichstadt, filho de Napoleão, e a princesa Maria Luísa. Depois da queda de seu pai, o duque foi mantido prisioneiro no palácio até morrer em 1832, aos 21 anos.
Estando no Schönbrunn, aproveite para visitar o Museu das Carruagens. Ali estão os carros oficiais dos Habsburgos e a carruagem fúnebre que levou em cortejo os caixões de Sissi e Francisco José, entre outros nobres. Outra usada por Napoleão também tem destaque no museu.

Existem dois roteiros para serem seguidos na visita ao Palácio Schönbrunn: o Imperial Tour (22 aposentos e duração de 35 minutos) e o Grand Tour (40 aposentos e duração de 50 minutos). Os guias acústicos estão disponíveis em 10 línguas, mas não incluem o português.

A Lufthansa voa diariamente para a Áustria, com conexão em Frankfurt, na Alemanha. Até 28 de julho, a passagem aérea em classe econômica, ida e volta, custa US$ 1.205 de segunda a quinta-feira e US$ 1.240, de sexta a domingo. Para mais informações e reservas, basta ligar (11) 3048 5800 e no Rio (21) 3687 5000. Ou pela Internet
www.lufthansa.com.br

  
  

Publicado por em