Lixo oceânico nas praias de Fernando de Noronha

Como resíduos plásticos estão sujando as praias de um dos lugares de maior consciência ecológica do nosso País.

  
  

A primeira vez que fui à Fernando de Noronha, em 2001, fiquei tão fascinado pela beleza do lugar que fiquei "cego" às "mazelas" da ilha. Em 2004 quando fui morar lá, passei a explorar e conhecer melhor o ambiente, principalmente como fotógrafo.

Naquela época, Márcio Dumel, um guia local, me mostrou os lugares menos explorados e visitados de Noronha, principalmente as trilhas do “Mar-de-fora”. O que vi foi a forte presença de lixo na costa das enseadas daquele lado. Esse lixo, me explicou ele, é trazido pelas correntes marinhas de várias regiões do nosso globo, o que foi constatado, já que víamos que o rótulo das embalagens de plástico vêm de diferentes continentes e países.

Nesta semana eu e a Amélia, inspirados em dar continuidade à campanha contra o uso de sacolas e embalagens plásticas, resolvemos documentar o que o nosso comodismo e descaso estão causando ao meio ambiente, inclusive aqui no isolado arquipélago de Fernando de Noronha. As imagens foram coletadas em lugares de acesso proibido aos visitantes, tivemos autorização de um funcionário do IBAMA para coletarmos o lixo e documentarmos.

Há alguns meses atrás, lendo a Revista Veja, tomei conhecimento do que esse lixo de plástico que encontramos pode representar. Resolvi me aprofundar um pouco no assunto pra poder falar a respeito. No texto abaixo resumi um pouco daquilo que encontrei.

No Pacífico Norte, em lados opostos do arquipélago do Havaí, há dois enormes depósitos de lixo que são mantidos no local pelo movimento circular das correntes marítimas. Estima-se que sejam 100 milhões de toneladas de lixo e que aproximadamente 90% deste são resíduos de plástico. Esta “sopa de plástico”, como é chamada, só vem crescendo e estende-se por uma área o dobro do tamanho do Brasil.

Sopa de plástico

Alguns resíduos encontrados nesta "sopa" tem meio século de idade. São pedaços de redes de pesca, garrafas, tampas, bolas, bonecos, sapatos, sacos de plásticos, pequenos pedaços impossíveis de identificar e muito de tudo o que é possível de ser fabricado em plástico.

A presença de tanto plástico é extremamente problemática para a vida marinha. De acordo com o Programa Ambiental das Nações Unidas, é a causa da morte de mais de um milhão de aves marinhas todos os anos, bem como de mais de cem mil mamíferos marinhos. Rolhas, isqueiros, seringas, filtros de cigarros, escovas de dentes e muitos outros objetos já foram encontrados nos estômagos de aves mortas, que os engolem pensando tratar-se de comida.

tartaruga sufocada
Resíduos plásticos em albatroz

O Programa Ambiental das Nações Unidas estima ainda que cada milha quadrada de oceano contenha cerca de 46 mil pedaços de plástico. A mesma característica que torna o plástico útil para os consumidores, a durabilidade, transforma-se num sério problema ambiental. Cerca de 100 milhões de toneladas de plástico são produzidas todos os anos e 10% acabam no mar.

É possível que este fenômeno se repita em menor escala em outros oceanos.

A Grande "Sopa de Plástico" do Pacífico não está mais restrita a áreas de baixa produtividade, onde passou despercebida por décadas, mas agora já se alastra por águas de elevada riqueza biológica e de grande interesse comercial.

Está também nas nossas mãos evitar a utilização abusiva de produtos de plástico.

USE SACOLAS RETORNÁVEIS PARA CARREGAR COMPRAS DE SUPERMERCADO;

PREFIRA PRODUTOS SEM EMBALAGENS PLÁSTICAS;

CONSUMA REFRIGERANTES QUE UTILIZEM GARRAFAS DE VIDRO RETORNÁVEIS;

ENCAMINHE SEU LIXO PARA RECICLAGEM;
FAÇA A SUA PARTE!

  
  

Publicado por em

Amanda cristina

Amanda cristina

17/08/2010 19:44:49
eu estou com meu coraçao partido,de ver isso.Deus deixou isso tudo pra gente cuidar e nao desmata.Umas coisas lindas q so a natureza pode fazer.!

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Nós todos somos co-criadores disto, temos que repensar nosso estilo de vida hábitos de consumo...
Erica

Erica

26/07/2010 15:46:24
e otimo esse site

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Obrigado!
Carolina Thibau

Carolina Thibau

04/01/2010 16:23:26
concordo com tudo que foi exposto, tanto na sua matéria quanto nos comentários. Fala-se muito em consumo consciente - o que acredito que seja mesmo o caminho para um futuro melhor - mas acho que falta informação para os consumidores e, principalmente, opções de produtos que respeitem estes princípios. Eu tento fazer minha parte, mesmo sendo bem pequena, e sinto falta tanto de um "portal" com todas as informações de como escolher os produtos de empresas que prejudiquem menos o meio ambiente, quanto de maior quantidade de produtos "orgânicos" (principalmente com preços mais acessíveis). Queremos fazer mais, mas muitas vezes ficamos perdidos.. o quê e como consumir?

Pricila

Pricila

25/05/2009 08:46:56
adorei é muito interessante

Paulo da Luz

Paulo da Luz

12/05/2009 11:52:24
Moro em Florianópolis (sou natural daqui) e, assim como nos belos lugares citados acima, o problema do lixo tem sido, infelimente, uma constante.
A exemplo dos problemas ambientais enfrentados em Fernando de Noronha, posso citar a nossa Lagoa da Conceição, tão famosa mas infelizmente tão poluída, que não tem merecido de nossas autoridades e da população que reside à sua volta, a atenção - mais do que urgente - de que se faz merecedora.
Bares, restaurantes e residências teimam em jogar na pobre lagoa seus resíduos cloacais. São os mesmos que reclamam da falta de turistas, esquecendo que turista tem olfato, tem olhos e, principalmente, tem senso crítico.
Assim, nesse estado "hipnótico" coletivo, vamos todos remando contra a possibilidade de um futuro promissor para os que sobrevirão a nós.
Penso que a alternativa mais condizente para mudar essa lamentável realidade seria a de se estabelecer um programa de reeducação das CRIANÇAS, buscando incutir em suas mentes a necessidade mais do que urgente de mudar esse estado de coisas; conscientizá-las, já que seus pais se mostram irredutíveis em sua "santa" ignorância, da importância de a Mãe natureza ser preservada.
Temos de educar as crianças, nossos futuros adultos, e, claro, não perder a esperança na reeducação dos atuais adultos.
Insistir, perseverar, ensinar aprendendo e aprender ensinando, devem ser a tônica daqui para a frente.
Nosso planeta pede socorro, urgente!
O que temos feito e estamos fazendo em seu benefício?

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Olá Paulo, adorei esta colocação "Insistir, perseverar, ensinar aprendendo e aprender ensinando, devem ser a tônica daqui para a frente." Estamos juntos nessa!!! Abraço!
Cezário Aschar

Cezário Aschar

31/01/2009 19:23:15
Não adianta empurrar a culpa só para o governo. Enquanto não nos conscientizarmos do nosso fundamental papel para a presevação e manutenção do próprio meio em que vivemos, e no qual vivemos com outros seres, vivência essa que deveria ser harmônica, estaremos fadados ao nosso "the end".

Jasllane divina

Jasllane divina

19/01/2009 20:47:21
nao é o gorveno que ter que se procupa com o lixo nas ruase a falta de agua (como é que ele vai revolve um problema se formos nos que contruimos todos a queles que passa no banheiro 60 minutos,nao é ele que escova o denteco a torneira ligada .)quantos,aviso tenhe nao joge lixo nas ruas ,separem os lixos nas suas ordenm .na minha piniao cada um tem que fazer sua parte ,toma banho com na consiencia ,escova os dentes com a torneira desligada fazer as coisas com consiencias mostras paras todos que somos carpaz de ajuda a nos mesmos com o aquecimentos global (nao ta se preocupado quanto o gorveno ta gastado o dinheiro )sem dinheiro nos vivemos + sem agua nao.

Celeste aida gesteira paiva

Celeste aida gesteira paiva

14/11/2008 21:34:21
Bem , obrigada por retirar esta garrafa da beira da água pois os garis so retiram o lixo da areia. Acho que o povo deveria se conscientizar disso, pois ja se fala nisso a muito tempo, e ainda se vê adultos e crianças que sujam tudo pelo caminho. Fui educada vendo e fazendo o seguinte: Guardo na bolsa qualquer papel ou copinho descartavel ate encontrar uma lixeira. Viajei pela ilha do Marajó e via a as pessoas jogarm no Rio Amazonas ate fraldas descartáveis. Temos que continuar nosso trabalho. Não conheço a ilha de Fernando de Noronha, é um sonho de consumo meu, adoraria poder conheçê-la. Celeste Aida

Fábio de Almeida Metello

Fábio de Almeida Metello

13/11/2008 14:53:17
Olá João viana
Então vou comentar seu comentário sobre o meu!!rsr
Já faço tudo o que um cidadão "sustentável" pode fazer.. uso bicicleta, reciclo a água que consigo aqui na minha casa, tanto é que já estou na faixa minina de preço, compro produtos a granel, não lavo calçadas e questiono as pessoas que fazem isso,não como carne, uso lâmpadas econômicas, reciclo todo lixo doméstico etc etc...
Não aponto o dedo pro outro de jeito nenhum, mas vejo que na maioria das pessoas a questão ambiental só está em faláceas, atitude mesmo nenhuma, por isso digo que só um grande desajuste sentido na pele aflorá a necessidade de rever conceitos.
O governo mesmo junto com o CONAMA e as montadoras, adiaram por mais 3 anos a modificação de motores a diesel, pois em 2002 foi estabelecido que agora em 2008 essa modificação era pra ser feita. Pra quem não sabe nosso diesel emite 2000 PPM de enxofre, enquanto na europa e EUA essa emissão é de 10PPM...200 vezes menor.
Quanto ao lixo que é o foco de sua reportagem nem se fale, aqui em são paulo são pouquíssimas as pessoas que fazem essa reciclagem, incluindo-se ai residências, condominios e principalmente estabelecimentos comerciais...dai voce imagina quandoesse cidadão vai pra uma praia ou algum local de onde não reside.
abraços
Fábio

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Fábio, você tem toda razão e pelo que demonstrou aqui você realmente faz muita coisa e acabou dando ótimas dicas! Posso dizer que eu mesmo não tenho este cuidado todo e que eu mesmo acabo apontando o dedo em algumas situações - falava isso pra mim mesmo no comentário anterior - Acredito que este também seja um dos motivos de estarmos aqui, para superarmos o EGO. Nem percebemos que quando apontamos o dedo tem três apontatados pra nós mesmos! Parabéns por suas atitudes como cidadão. Grande abraço!
Jmes

Jmes

13/11/2008 13:55:34
Olá,
Reciclagem é um dos itens do momento no mundo, porque não, um navio com equipamento de prensa para coletar todo esse lixo e faturar muito ainda? Matéria prima de graça e em grande quantidade. Cadê as Ongs poderosas, não adianta só meter a boca no trombone, soluções existem e são mais faceis do que se imagina, mas é necessário iniciativa.

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Jmes, concordo. façamos cada um de nós o que está em nossa possibilidade. Abraço.
Jasiel Longuinho

Jasiel Longuinho

13/11/2008 12:51:08
Olá João,

Vi suas fotografias. Show de bola (estão muito lindas)! Vi uma foto na Cachoeira da Fumaça com o guia Van. Estava espetacular a Cachoeira.. Parabéns!!

Veja o site de nossa Pousada aqui em Lençóis. Vindo para cá dar um alô, Farei preço diferenciado para seres humanos especiais!

Jasiel,
www.pousada-lencois.com.br

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Jasiel, foi sem dúvida uma das melhores viagens que fiz. Recomendo à muitas pessoas que conheçam a Chapada! Ano que vem pretendo voltar. Entro em contato sim. Obrigado!
Fabio de Almeida Metello

Fabio de Almeida Metello

13/11/2008 11:38:10
sinceramente acho que somente uma catástrofe, um TILT na humanidade, faria que a massa humana entenderia que todos aqui somos todos terráqueos; plantas, animais, humanos, e que a harmonia de se viver neste rico planeta depende do bem-estar de toda espécie viva..assistam no you tube o filme "terráqueos" ou a "carne é fraca " do instituto Nina Rosa....estamos fora da sintonia do Criador

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Fábio, posso entender toda a sua indignação. Já senti o mesmo e estou tentando transformá-la em ação. Acredito que esta seja a melhor forma de ajudarmos ao invés de apontarmos o dedo pro outro. Todos somos responsáveis pela atual situação e também somos a solução. Temos que começar repensando os nossos hábitos de consumo e mudá-los. E para isso precisamos nos informar sobre o que podemos fazer para efetivar esta mudança positiva. Um bom começo é entender um pouco sobre Consumo consciente, sustentabilidade, Permacultura. Grande Abraço.
Sergio Ricardo Silva de Almeida

Sergio Ricardo Silva de Almeida

13/11/2008 10:41:27
Excelente matéria: simples, objetiva e transmite muito bem o recado. Já estive em FN e é deprimente ver o lixo nas praias. Eu e o Jarley, por onde passávamos, sempre recolhíamos o lixo que encontrávamos...não só lá como aqui em SP, sempre que passo, recolho o lixo plástico, mesmo que nao seja meu. Todos deveriam fazer isto e quem joga lixo na rua, não deveria jogar. O pior é que frequentemente vejo pessoas dentro de "carrões" (pessoas de bom/alto poder aquisitivo) descaradamente jogando lixo na rua. LAMENTÁVEL.

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Legal você ter essa consciência. Isso já é muito bom e com certeza um bom exemplo. Melhor ainda que não jogar lixo e tudo mais seria não produzí-lo. Ou melhor dizendo, optar por um consumo mais limpo onde produziremos menos lixo. Garrafas, rótulos, potes,etc. Isso é que se chama consumo consciente. Ex. Tomar um suco de laranja apenas espremendo ela num copo de vidro não polui, ao contrario de comprar um suco em embalagem TETRA PARK ou TETRA BRINK que são embalagens de difícil e alto custo para reciclagem. O importante é a partir das informações assumirmos uma postura de consumidores conscientes. Nós somos os consumidores finais. Portanto, nós produzimos um lixo de garrafa Pet quando tomamos um refrigerante. Nós devastamos parte da Amazônia quando consumimos o gado. Nós poluimos os rios quando usamos detergente. Mas o que é o consumo consciente? É levar em consideração as consequências geradas ao consumir determinado produto ou serviço. É entender como nossos atos de consumo irão
Jéssica Maria Afonso Silva

Jéssica Maria Afonso Silva

13/11/2008 07:35:39
Acho surpreendente essa campanha, gostaria de dizer que dou toda força a vocês. Seria uma boa idéia se fizéssemos um abaixo assinado, como fizeram para salvar a Amazônia, isso seria sugestivo e quem sabe eficaz. Um abraço pra todos e vamos juntos começar essa campanha, para que umas das, mas bonitas praias do mundo não acabem em sacolas ou dentro de garrafas.

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Jéssica, se você puder ajudar a divulgar essa infrmação estará ajudando muito. Grande abraço e obrigado!
MONICA F.SOUZA

MONICA F.SOUZA

13/11/2008 02:14:33
SOU TOTALMENTE A FAVOR DE UMA UNIÃO CONSCIENTE PARA AJUDAR NOSSO MUNDO...MAS,TENHO TIDO MUITAS DESILUSÃOES COM O POVO BRASILEIRO NA HORA QUE É PARA SE UNIR E LUTAR POR UMA CAUSA!!!!TUDO ACABA EM PIZZA...

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Monica, tenho percebido que muitos de nós estão desiludidos, amargurados, revoltados. Enfim, como já escrevi para outras pessoas antes, que tal transformarmos essa energia em coisas positivas. Todos nós podemos mudar o mundo a nossa volta positivamente. Temos que parar de valorizar o que é ruim em nossos pensamentos e palavras e agir positivamente afim de transformar. Essa é a verdadeira alquimia. Boa sorte!!!
Marcelo Lederman

Marcelo Lederman

12/11/2008 22:21:40
Parabens Joao
temos que mostrar a verdade por mais dura que seja. Chega de esconder as mazelas de Noronha para agradar ao turismo. Somente mostrando o que de ruim acontece na ilha e que teremos a chance de trasformar a ilha em um verdadeiro paraiso, para moradores e turistas.

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Marcelo, muito bom te encontrar por aqui. Estou inclusive montando um projeto pra apresentar na ilha em breve. Ia mesmo enviá-lo. Estaremos atrás de patrocínio e temos certeza que dará um ótimo retorno aos interessados. Te escreverei por e-mail. Grande Abraço! Acreditamos que se partirmos para ações desta natureza poderemos transformar todo o ambiente e mentes a nossa volta. Grande abraço.
Rodrigo

Rodrigo

12/11/2008 22:01:42
Muito boa matéria, gostaria de ver isso na capa do Estadão e Folha de São Paulo, Veja, Época, dentre outras, mas como fazer né!!!! O interesse em conservar é Utopia nesse país proletarizado, onde os "cleros e seus intelectos" cultivam apenas a individualidade para propósito próprio e nunca coletivo, mundo menos tratando do interesse do coletivo e ainda mais para proteger o meio ambiente.
Sabem o que falta no nosso país?
Terrorismo publico.

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Caro Rodrigo, entendo sua revolta. Entendo também que enquanto gastarmos energia para culpar os outros pouca energia nos restará para fazermos alguma coisa, falo isso pra mim mesmo. Acredito que o ideal é que façamos a nossa parte. O importante é a partir das informações - que temos fácil acesso hoje na internet - assumirmos uma postura de consumidores conscientes. Nós somos os consumidores finais. Portanto, nós produzimos um lixo de garrafa Pet quando tomamos um refrigerante. Nós devastamos parte da Amazônia quando consumimos o gado. Nós poluimos os rios quando usamos detergente. Mas o que é o consumo consciente? É levar em consideração as consequências geradas ao consumir determinado produto ou serviço. É entender como nossos atos de consumo irão repercurtir sobre as relações sociais, a economia, a natureza, e também a nós mesmos. O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta. Boa Sorte!!! Grande abraço!!!
Célio Cruz

Célio Cruz

12/11/2008 19:47:11
Aqui em Belo Horizonte o Vereador Arnaldo Godoy aprovou uma Lei, que será sancionada esta semana pelo Prefeito Fernando Pimentel, que determina que em três anos todo o comércio da cidade não poderá mais utilizar sacolas plásticas poluentes.
Mas temos que levar esta discussão para as escolas e mudar nossos hábitos em casa.
É isso, se cada um fizer a sua parte fica mais facil.
Célio Cruz

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

É uma ótima notícia para todos nós. Tomara que outros governantes façam o mesmo.
Fabiane Domingos

Fabiane Domingos

12/11/2008 10:36:53
Também retirei muito lixo da praia de Itapoá em SC.e em Antonina-PR .... Como profissional de turismo e prof de meio ambiente, chego a sentir dor no coração por tanto descaso....
Penso que não só as pessoas, mas principalmente os fabricantes deveriam ser responsabilizados...penalizados, sendo obrigados a desenvoler projetos nesse sentido. Temo que quando acordarmos para a real situação, será tarde demais....
Esse artigo trouxe informações muito importantes, principalmente sobre a origem dos lixos nos nossos mares.

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Fabiane, nós somos os consumidores finais. Se hoje os fabricantes que estão aí poluindo, destruindo... é porque nós aceitamos, a medida em que consumimos seus produtos. Nós é que temos que ter um consumo consciente. Vêm daí a grande virada. Grande abraço.
Carlos Reolon

Carlos Reolon

11/11/2008 23:27:21
Será que a mãe natureza vai dar tempo ao "bicho-homem"
de se conscientizar? Mas vale a pena sonhar!!!

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

É uma boa boa pergunta e acho que temos que correr! Abraço!!!
VERA MANTOVANI

VERA MANTOVANI

11/11/2008 19:25:06
ESTOU PASMA, É LAMENTAVEL VER ATE ONDE PODE CHEGAR O DESCASO COM A VIDA EM NOSSO PAIS. HOJE MAIS UMA VEZ PASSO A DIMIRAR MAIS OS ANIMAIS DITOS IRRACIONAIS. CERTAMENTE ELES NÃO SÃO TÃO IGNORANTES QUANTO O HOMEM.
QUERO MUITO CONHECER E PODER AJUDAR A RIQUEZA DE FERNANDO DE NORONHA. SOU MAIS UMA DOIDA APAIXONADA PELA NATUREZA, TRABALHO COM INCENTIVO A LEITURA ATRAVES DE FANTOCHES CONSTRUIDOS COM MATERIAIS REAPROVEITAVEIS, ESPERO PODER UM DIA CONTRIBUIR, ESTOU A DISPOSIÇÃO DE FERNANDO DE NORONHA. MUITOS BEIJOS .... VERA

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Muito bom saber que faz este trabalho de educação. Interessante também seria nas leituras passar esta informação de forma lúdica - que os bonecos são feitos de materiais reaproveitados, e que tal abordar o tema consumo consciente? Mas o que é o consumo consciente? É levar em consideração as consequências geradas ao consumir determinado produto ou serviço. É entender como nossos atos de consumo irão repercurtir sobre as relações sociais, a economia, a natureza, e também a nós mesmos. O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta. Boa Sorte!!!
Edson Caressato

Edson Caressato

11/11/2008 16:15:50
A iniciativa do amigo fotógrafo que mora na ilha desde 2004 e com a reportagem que lemos acima stá contribuindo não apenas para os cidadãos que moram em Fernando de Noronha este paraiso excepcional que o Brasil conhece, mais como exemplo vivenciados que todos NÓS SOMOS RESPONSÁVEIS pela manutenção e preservação da NATUREZA.
Temos sim que fazer a nossa parte e também denunciar na imprensa os abusos contra a flora e faunas.
Parabéns pela denuncia.

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Edson, na verdade não se trata de uma denúncia mas uma constatação, tudo bem! O importante é a partir das informações assumirmos uma postura de consumidores conscientes. Nós somos os consumidores finais. Portanto, nós produzimos um lixo de garrafa Pet quando tomamos um refrigerante. Nós devastamos parte da Amazônia quando consumimos o gado. Nós poluimos os rios quando usamos detergente. Mas o que é o consumo consciente? É levar em consideração as consequências geradas ao consumir determinado produto ou serviço. É entender como nossos atos de consumo irão repercurtir sobre as relações sociais, a economia, a natureza, e também a nós mesmos. O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta. Grande abraço!!!
Francisco Perez (Santos SP)

Francisco Perez (Santos SP)

11/11/2008 15:16:02
Ola
Caramba não estou soh!!!!!

Moro em Santos e pratico canoagem.
A anos venho observando o lixo no mar, costeiras e praias da região.
Tantos anos de observação me levou a pensar de onde vinha todo esse lixo pois não poderia estar vindo soh das praias.

Observando detalhadamente o tipo de lixo sólido flutuante percebi que se trata de lixo DOMÉSTICO e não lixo de produtos consumidos nas prais.
Na grande maioria das vezes o que encontro são garrafas pets, potes de margarina, sacos plásticos de pão, bolacha, arroz, feijão, etc, além de saquinhos de super mercado, fraudas, cordas, tábuas, caibros, bitucas de cigarros, isopor em pedaçõs ou em bolinhas, outros plásticos em pequenos pedaços, algumas garrafas de vidro e muitos pedaços de vidros (cacos).

Acredito que este lixo venha principalmente das moradias tipo favelas e palafitas espalhadas pela maioria dos rios que desaguam no estuario santista e em outras cidades do mundo.

Recentemente estive em Fortaleza e fique abismado com a quantidade de bairros sem infra estrutura nenhuma de frente para o mar.

Acredito que a unica maneira de corrigirmos isso seriam ações local com coordenação mundial para educação do Descarte de Lixo especifica para as comunidades ribeirinhas e caiçaras do mundo.

Mas ai envolve politica........

A ideia ta ai!!!!

abr
Fran

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Francisco, o maior problema na verdade não é o lixo e sim o consumo que gera este lixo. Já ouviu falar de consumo consciente? É levar em consideração as consequências geradas ao consumir determinado produto ou serviço. É entender como nossos atos de consumo irão repercurtir sobre as relações sociais, a economia, a natureza, e também a nós mesmos. O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta. Ou seja, somos nós que tomamos refrigerantes, que comemos carne vermelha, que usamos detergente. E tudo isso gera um impacto. temos que nos informar e a partir daí selecionar o que iremos consumir para minimizar o impacto ambiental. Grande abraço.
Erika Gaion

Erika Gaion

11/11/2008 13:33:39
A consciencia com o nosso lixo e a importancia da reciclagem contriibuem para um mundo muito melhor. Vivo em SP/SP e a cada dia vejo o descaso de tantas pessoas: jogam lixo no chao, trazem milhoes de sacolas para casa, gastam muita água (seja lavando calçadas, lavando a louça, etc. O que falta mesmo é a mídia insentivar: faltam mais programas informativos - como reciclar, como deixar de usar sacolas, o que fazer! Morando em SP admito que é muito dificil se livrar das sacolas plásticas, uma vez que saimos do trabalho e vamos direto para o mercado sem se quer lembrar de levar a sacola ecologica. Do meu lado, me compromento a observar mais minha rotina e me programar para que meu filho possa ter um planeta, um pais e uma cidade melhor! Tenho feito treinamentos na minha empresa e um deles é sobre reciclagem. Parabéns pelo trabalho!

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Erika, o problema não é só se livrar das sacolas e outros lixos. A origem do problema está no consumo.Nós somos os consumidores finais. Portanto, nós produzimos um lixo de garrafa Pet quando tomamos um refrigerante. Nós devastamos parte da Amazônia quando consumimos o gado. Nós poluimos os rios quando usamos detergente. Temos é que assumir uma postura de consumidores conscientes. Mas o que é o consumo consciente? É levar em consideração as consequências geradas ao consumir determinado produto ou serviço. É entender como nossos atos de consumo irão repercurtir sobre as relações sociais, a economia, a natureza, e também a nós mesmos. O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta. Grande abraço!!!
Jasiel Longuinho

Jasiel Longuinho

11/11/2008 13:04:26
Bom dia a todos!

Acho louvável o trabalho de vocês. Acho também que é preciso uma união grandiosa para mostrar os resultados dessa poluição na vida das pessoas. Acho que é uma das formas mais forte de introduzir a consciência ecológica nas vidas dos seres humanos.
Lembrando a essas pessoas, que nos alimentamos de todo o lixo que jogamos ou oferecemos á natureza. Ela é tão gentil conosco que nos dar tudo de volta com as melhores das intenções... Nós somos quem temos 4 intenções!!

Obrigado pela oportunidade de opinião!

Jasiel Longuinho
Chapada Diamantina BA

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi jasiel, obrigado você. Conheço a Chapada. Sou Fotógrafo, dá uma olhada nas fotos que tenho daí [[http://www.flickr.com/photos/joaovianna/sets/72157603815315712/detail/ grande|]] Abraço!
Darcio de Camargo

Darcio de Camargo

11/11/2008 11:51:38
Eu estive em Fernando de Noronha há pouco tempo e tive o prazer de conhecer este paraizo.Isto me levou a começar um curso e Ciências Biológicas e quero me especializar em ambientes marinhos. É com muita tristeza
que vejo esta notícia, mas também me encoraja ainda mais a continuar meus estudos para que eu possa de alguma forma contribuir para que isto não mais aconteça ou diminua.Deixo aqui expressa minha vontade de colaborar (dentro das minhas capacidades) para qualquer Órgão ou ONG que atue nesta área, por favor entrem em contato. Um grande abraço a todos.

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Darcio, Ficamos felizes em saber que você é mais um a encarar este desafio. Grande abraço e muita força!
Laudi

Laudi

11/11/2008 11:48:16
Já estou tentando fazer a minha parte.
Convoco meus amigos a fazer o mesmo.
Vou ao super com minha sacola retornável de pano.
Utilizo sacos reciclaveis para o lixo e caixas de papelão.
O que podemos fazer mais.
Quero contribuir com a saude de nosso planeta.
E deixar tudo limpo para nossos descendentes.
Laudicéia Braunling

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Laudi, o importante é adquirirmos a postura de consumidores conscientes. Mas o que é o consumo consciente? É levar em consideração as consequências geradas ao consumir determinado produto ou serviço. É entender como nossos atos de consumo irão repercurtir sobre as relações sociais, a economia, a natureza, e também a nós mesmos. O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta.
Suzana santos

Suzana santos

05/11/2008 11:46:11
Dou total apoio ao movimento, não só como nativa da ilha, mas como habitante do planeta e deste Brasil tão maravilhoso, acho até que deve ser oferecida a proibição da evolução dos materiais plásticos. Boa Sorte para nós terráqueos...

João Vianna e Amelia Clark

João Vianna e Amelia Clark

Oi Suzana. Obrigado pelo comentário.