Aconcagua – A última etapa!

Depois dos inesperados 10 dias de descanso, me sinto mais preparado do que nunca para esta última etapa. De agora em diante, é contar com a ajuda dos ventos e do clima de uma forma geral! Minha motivação é grande, já que esta fase não realizarei sozinh

  
  

Depois dos inesperados 10 dias de descanso, me sinto mais preparado do que nunca para esta última etapa. De agora em diante, é contar com a ajuda dos ventos e do clima de uma forma geral!

Minha motivação é grande, já que esta fase não realizarei sozinho! Além do amigo e ótimo companheiro de escalada, Fernando Cruz, estarão conosco os amigos; José Pedro Silva, Neco e Silvia Stickel, Jorge Guimarães e Fernando Rocco.

Será uma agradável aventura estar na montanha com este grupo tão especial e animado. Finalmente, depois dos muitos momentos difíceis e solitários das fases anteriores desta travessia me sinto feliz por novamente poder estar em equipe.

Estes últimos 3 dias foram de muita agitação em Mendoza com a chegada do grupo e todos os preparativos finais. A final, serão 20 dias auto-suficientes na montanha!
Fernando e eu acamparemos todos os dias e os demais ficarão nos alojamentos e hotéis disponíveis pelo caminho.
Esperamos que a neve realmente tenha baixado e parece mesmo que sim, já que o tempo está bem melhor do que há uma semana atrás. Os ventos já não estão fortes e a neve já baixou ao nível que deveria estar nesta época do ano; assim as mulas já puderam subir e os acampamentos e hostels já puderam ser abertos.
Apesar disso, todos sabemos que na montanha em apenas questão de minutos pode surgir uma mudança repentina nos ventos e o tempo mudar totalmente...então, vamos torcer para que continue bom assim!

Serão ao todo 20 dias na montanha (subida e descida), teremos 6 pontos de parada com até 3 dias de aclimatação para cada ganho significativo de altitude.

O ponto de partida para o início do trekking é Puente Del Inca (2800 mts), próximo à entrada do Parque Nacional do Aconcagua.
Como o ganho de altitude desde Mendoza até Puente Del Inca é de 2100 mts, dormimos lá esta primeira noite (01/12) antes de iniciarmos a caminhada, de forma que pudéssemos nos aclimatar a este primeiro ganho de altitude.

Já iniciamos nosso primeiro dia (02/12) de caminhada rumo a Confluência (3400 mts), nosso segundo ponto de aclimatação. Hoje dormiremos em Confluência e faremos 2 dias de caminhadas para aclimatação, com ganho de altitude de 800 mts até Plaza de Mulas (4280 mts) .

Então, nossos dias de trekking serão desta maneira, com ganhos de altitude em média de 600 mts a cada 2 dias. A Silvia nos acompanhará até Plaza de Mulas, o final do trekking, fazendo conosco a caminhada de aclimatação até o campo 1 – Canadá, retornando a Mendoza em seguida. Daí em diante, eu e os demais continuaremos rumo ao cume.

Os 3 acampamentos bases de ataque ao cume propriamente ditos, são: campo 1-Canadá (4900 mts ), campo 2- Nido de Condores (5400 mts ), campo 3- Berlim (6000 mts ) e finalmente o ataque ao cume (6962 mts).

Além do vento, sempre característico nesta parte da montanha, serão longos dias de caminhadas quando todos faremos o transporte das coisas de um acampamento ao outro. Esta etapa é sempre dura, já que o grupo não mais poderá contar com as mulas que já não podem subir para fazer o transporte, isso sem contar com o vento que sempre pode estar presente! O fato de fazermos o transporte a cada dia, também funciona como forma de aclimatação. Sendo assim, subiremos um tanto por dia transportando nossas coisas e deixando-as no acampamento seguinte, voltamos ao acampamento anterior para dormirmos. No dia seguinte subimos novamente até o acampamento onde deixamos nossas coisas e aonde dormiremos esta noite seguinte.... E assim será consecutivamente até o campo 3 – Berlim.
A partir daí, teremos 3 dias para o ataque ao cume. Apesar desta subida ser feita em um dia de 10 horas, nós dependemos totalmente das condições climáticas no momento da subida, por isso reservamos 3 dias no cronograma exclusivos de ataque ao cume para que possamos lidar com a provável instabilidade climática característica desta montanha.

Bem, acho que agora vocês já tem uma idéia de como transcorrerão estes nossos dias na montanha! Torçam por nós!
Daqui alguns dias, de Plaza de Mulas, se for possível tentarei ligar para a Celina e mandar mais notícias, mas ainda não sabemos se isso será possível! Ah, sim... para a volta prometo lindas fotos aqui para vocês!

É! Agora aqui estou eu...
...na contagem regressiva para o final da travessia!

  
  

Publicado por em