O Dia Mais Difícil da Travessia!

A palavra mais presente na minha mente agora é dor, dor em todos os músculos das pernas. Dor tem sido uma companheira fiel dos meses de treino a este mês de travessia. Durante os treinos a carga sempre crescente fazia com que nunca estivesse sem dor em al

  
  

A palavra mais presente na minha mente agora é dor, dor em todos os músculos
das pernas. Dor tem sido uma companheira fiel dos meses de treino a este
mês de travessia. Durante os treinos a carga sempre crescente fazia com que
nunca estivesse sem dor em algum lugar. Quando nos acostumávamos com pedalar 100 km vinha o treino com 140 km e assim por diante.

Agora durante a travessia não é diferente; quando estamos nos acostumando com o pedal mudamos para o remo, dai os braços sofrem. Dai os braços ficam ok e começamos a correr. E é exatamente isso que ocorreu hoje... Depois de 35 dias sem correr, hoje fizemos a primeira maratona, longos 42.195 metros!

Bom, mas voltando ao ponto onde parei no último boletim...

Depois de 10 dias maravilhosos na Lagoa dos Patos chegamos a Rio Grande e
depois de um dia de descanso fui para Porto Alegre buscar carro de apoio
que tinha ficado lá e também receber o Robson, o nosso massagista que nos
acompanhará durante os próximos 20 dias de corrida. Sabíamos que esta fase
seria a mais difícil e por isso convidamos o Robson para nos acompanhar.

Porto Alegre estava uma festa no dia da eleição com milhões e bandeiras
vermelhas por toda a cidade.

Ontem arrumamos os pequenos detalhes que faltavam e hoje pela manhã, munidos de muita disposição saímos para os primeiros 42 km.
O dia estava perfeito, friozinho, nublado, mas sem chuva, ideal para correr.

Resolvemos fazer os 42 km divididos em 4 etapas de 10 km por causa do longo
período que estamos sem correr. Na última semana em São Paulo não treinamos
e depois vieram as etapas de ciclismo e de remo.

Os primeiros 10 km foram tranqüilos e fizemos em 1 hora, 10 km/hora, uma
média que consideramos boa para começar.
Paramos por uma hora para fazer a
primeira massagem que assim como as outras foi no acostamento da estrada.
Vieram até nos perguntar se a gente estava passando mal, se precisava de
ajuda. Imaginem, duas pessoas deitadas no acostamento com uma outra fazendo massagem. A pessoa que veio conversar conosco achou que era uma massagem cardíaca!

A partir da segunda etapa as dores apareceram e só pioraram nos quilômetros
seguintes. Mas após 4 horas e 40 minutos (com intervalos no meio) acabamos a
etapa e por falta de lugar para dormirmos voltamos com o carro para Rio
Grande. E, amanhã voltamos de carro até o ponto onde paramos e recomeçamos de lá.

Esta estrada para o Chui é completamente vazia e com pastos até perder de
vista dos dois lados. Os famosos pampas...

Ontem fomos entrevistados pela Globo local e quando estávamos jantando e
vendo o Jornal Nacional num intervalo entrou uma chamada para o jornal local
ao meio dia de hoje... Lá estávamos nós na TV remando na Lagoa! Hoje ao
rodarmos com o carro pela cidade todos apontavam e comentavam. Viramos
celebridades em Rio Grande...

Ahh sim! aguardem, estaremos enviando algumas fotos assim que possível!

  
  

Publicado por em