O GRANDE DIA CHEGOU!!!

Poucas vezes na vida tive tantas e tão intensas emoções em um único dia. Nossa largada foi simplesmente fantástica! Lá estavam nossos amigos, família, toda a nossa equipe, esses dedicados profissionais que por todos esses meses nos apoiaram. Carro e

  
  

Poucas vezes na vida tive tantas e tão intensas emoções em um único dia.
Nossa largada foi simplesmente fantástica! Lá estavam nossos amigos, família, toda a nossa equipe, esses dedicados profissionais que por todos esses meses nos apoiaram.

Carro e equipamentos prontos para a largada

Carro e equipamentos prontos para a largada
Foto: Guilherme Samel

Ao chegar no Qualyfruit nossa primeira surpresa, o Fleury tinha feito e instalado um enorme banner de 11 metros de comprimento com uma foto nossa correndo, o nome da travessia e todos os logos dos patrocinadores e apoios. De repente ao olhar aquele banner, o palco e os microfones realizei que meu sonho estava materializado.
Realmente eu estava prestes a concretizar aquilo tudo que eu tinha sonhado. Durante estes oito meses sempre e mesmo que por poucos instantes, pensei neste momento, de como seria, quem estaria lá, o que sentiria. E, finalmente chegou!

Morgado e Kubi no entusiasmado discurso de despedida

Morgado e Kubi no entusiasmado discurso de despedida
Foto: Guilherme Samel

O Dr Ewaldo, presidente do Fleury, falou lindas palavras, eu e o Kubi também falamos um pouco e daí já era hora de largarmos.
Eu estava inundado de adrenalina e mal consegui tomar o café da manhã mesmo sabendo que eu precisava comer. Eu falava com uma pessoa e daí ia falar com outra e então corria para o carro para checar um último detalhe, não consegui me concentrar em nada.

Comemoração junto à Equipe Fleury

Comemoração junto à Equipe Fleury
Foto: Guilherme Samel

Na hora de me despedir de todos, mil palavras gostosas de cada um, mil incentivos. Sentia que as lágrimas estavam prontas para sair. Daí a Celina, minha esposa e o Guilherme Samel, grande amigo e nosso fotografo na travessia fizeram uma homenagem nos oferecendo uma kata; lenço de seda budista que no Nepal se entrega para desejar boa viagem e proteção ou para receber a benção especial de um monge. Toda a emoção que estava no meu coração saiu e as lágrimas correram soltas. Abracei o Kubi e ele também começou a chorar.

Emocionada homenagem e desejos de sucesso!

Emocionada homenagem e desejos de sucesso!
Foto: Guilherme Samel

Saímos acompanhados por duas motos e um carro da polícia estadual e seguimos pelas ruas de São Paulo em uma grande comitiva, a polícia, o nosso carro de apoio e outro carro com a Celina que foi me acompanhar neste primeiro dia.
Não preciso dizer que por onde passamos chamávamos muito a atenção de todos.
Os primeiros 50 km foram super tranqüilos com estrada boa e plana e escolta policial. No Embu a escolta se despediu de nós, pois daí em diante era jurisdição da policia rodoviária federal. O policial então nos disse que seguíamos por nossa conta e risco.

Pedaladas iniciais rumo à BR116

Pedaladas iniciais rumo à BR116
Foto: Guilherme Samel

Com toda a emoção do dia e tudo o que tivemos que fazer nas últimas semanas, logo me senti cansado principalmente quando começamos a subir uma serra que se extendeu por vários quilômetros. Daí veio uma garoa que logo se transformou em uma chuva bastante forte e também veio o pior inimigo dos ciclistas, um forte vento contra. A pista que até então era dupla ficou simples com muitos caminhões.

Foi então que apareceu nosso anjo da guarda na figura do Policial Rodoviário Sandro Castanho do 4o. Batalhão da 6a.Superintendência da Policia Rodoviária Federal. Tínhamos conversado com ele no Embu e apesar de ter dito que iríamos seguir sozinhos ficou preocupado conosco na serra e resolveu vir nos acompanhar, o que foi fundamental para garantir nossa segurança nesta descida.

Após pedalarmos 130 km resolvemos parar, pois já eram 4 da tarde, estávamos molhados e cansados. Paramos no Hotel Fazendeiro, nos abraçamos e comemoramos o final do primeiro dia e seguimos para o hotel. Ao chegarmos, surpresa, o hotel fechava aos domingos. Seria muito difícil voltar a pedalar então pusemos as bicicletas no carro e seguimos até Miracatu aonde dormimos.

Amanhã vamos voltar ao hotel Fazendeiro e da quilometragem marcada, seguiremos nossa viagem.

Causo do dia: paramos em um posto de gasolina e um senhor ao ver nossas camisetas com todos os logos perguntou se o tal do Fleury era um político...Coisas do Brasil!

  
  

Publicado por em