Tangos, milongas e uma longa jornada a frente

Mais uma vez voltei a correr, desta vez saindo de Montevidéu e por dois dias corri 20 km por dia. No primeiro dia fiquei hiper otimista, pois a dor parecia que tinha realmente me abandonado, mas no dia seguinte lá estava ela novamente e após 20 km realmen

  
  

Mais uma vez voltei a correr, desta vez saindo de Montevidéu e por dois dias corri 20 km por dia. No primeiro dia fiquei hiper otimista, pois a dor parecia que tinha realmente me abandonado, mas no dia seguinte lá estava ela novamente e após 20 km realmente forte. Decidi de uma vez por todas voltar à bicicleta. Tinha feito no total 300 km de corrida, uma distância de qualquer forma bastante expressiva. Segui então pedalando a Buenos Aires.
O Uruguai é um país bastante pequeno e de bicicleta dá para atravessa-lo em 3 ou 4 dias. Como já tinha feito estes quilômetros correndo, só me restavam 140 km até Colônia de onde atravessamos o Rio da Prata para Buenos Aires.
Eu sou um dos poucos brasileiros que gosta da Argentina e dos argentinos e minha chegada neste país foi motivo de muita alegria. Durante os anos de faculdade viajei bastante pela América do Sul e vim para cá algumas vezes. Minhas primeiras experiências com montanhas nevadas e trekkings aconteceu na Argentina e na Bolívia e por isso guardo um carinho todo especial por esses paises. Além disso, acho Buenos Aires uma cidade linda e desta vez podia dividir tudo isso com a Celina que não conhecia Buenos Aires.
Aproveitamos nossa passada pela cidade para ver um espetáculo de tango maravilhoso chamado Tanguera. Recomendo a todos que possam assisti-lo caso vá para o Brasil ou caso vocês venham a Buenos Aires. Depois disso ainda tivemos fôlego para ir a um clube onde até a meia noite as pessoas tem aulas de tango e daí, até as 6 da manhã, dançam. Gente de todas as idades e habilidades curtindo essa música tão emotiva e sensual.
Na manhã seguinte estávamos novamente na estrada e daí com um perigo extra. Normalmente já é muito difícil para o motorista do carro de apoio não ficar com sono dirigindo por estradas retas e planas a 30 km/hora por horas a fio. Desta vez tínhamos tido muito poucas horas de sono e eu podia ver no rosto da Celina o quanto ela estava com o olhar fixo...e ela estava sempre atrás de mim.
Apesar de ser a saída de uma cidade grande desta vez tudo foi tranqüilo. Era um domingo e logo de cara pegamos uma via expressa e depois disso uma estrada sem muito movimento. Na estrada centenas de ciclistas treinando e por algumas vezes pedalei com alguns deles e foi bom ter companhia novamente no pedal. Os quilômetros passam muito mais rápido. Mas logo me afastei de Buenos Aires e novamente fiquei sozinho.
Esta parte da jornada tem 1100 km de extensão até Mendonza que pretendo fazer em uma semana. Já fiz isso no Brasil, de São Paulo a Porto Alegre, mas lá tinha alguns objetivos intermediários como Curitiba e Florianópolis, que quebravam a distância e “ diminuíam “ a viagem. Desta vez olho para frente e para o mapa e vejo a frente de mim um longo caminho, mas aos poucos chegarei lá.
No segundo dia de pedal desta etapa percorri mais 172 km e pela primeira vez um pequeno problema mecânico. Por uns 40 km a estrada estava em obras e devido a vibração um dos raios da bicicleta quebrou. Nada muito sério ainda mais considerando que já estou com mais de 2.000 km de bike e até agora nem um pneu furado eu tive.
O dia transcorreu tranqüilo, cansativo, claro, mas sem maiores dificuldades. Esta região é a mais rica da Argentina, com enormes plantações e um solo extremamente rico. Com isso as pequenas cidades do interior são super arrumadas e com um ar próspero apesar da crise. Ontem dormimos na agradável pequena cidade de Salto e hoje em uma com um curioso nome de Venado Tuerto.
Olhando para o mapa hoje já posso ver que pedalei um bom pedaço e Mendoza começa a se aproximar.

Correndo pelas ramblas de Montevidéu rumo a Buenos Aires

Correndo pelas ramblas de Montevidéu rumo a Buenos Aires
Foto: Celina Cezar

Lindas e tranqüilas estradas do Uruguai

Lindas e tranqüilas estradas do Uruguai
Foto: Celina Cezar

Pronto para cruzar o Rio da Prata entre Uruguai e Argentina

Pronto para cruzar o Rio da Prata entre Uruguai e Argentina
Foto: Celina Cezar

Buenos Aires na primavera

Buenos Aires na primavera
Foto: Celina Cezar

Pedalando com alguns ciclistas argentinos

Pedalando com alguns ciclistas argentinos
Foto: Celina Cezar

  
  

Publicado por em