A camisa da seleção brasileira entregue ao Rei de Mustang (FOTO)

Pois acreditem se quiser, todos os nepaleses que vivem em Kathmandu adoram futebol, acompanham todos os jogos transmitidos e torcem pelo Brasil ! Rainha de Upper Mustang recebendo um presente Foto: Fernanda Preto Nem sempre conhecem a nossa locali

  
  

Pois acreditem se quiser, todos os nepaleses que vivem em Kathmandu adoram futebol, acompanham todos os jogos transmitidos e torcem pelo Brasil !

Rainha de Upper Mustang recebendo um presente

Rainha de Upper Mustang recebendo um presente
Foto: Fernanda Preto

Nem sempre conhecem a nossa localização geográfica, mas sabem o nome de todos os jogadores. Até saíram às ruas para comemorar a vitória sobre a Alemanha na final da Copa.

Vimos muitos nepaleses usando a camiseta nº 9 da seleção. Mas o mais incrível foi encontrar o recepcionista do Hotel em que ficamos em Kathmandu, usando o mesmo corte de cabelo que o Ronaldinho !! Foi muito divertido !

Não é demais ?

Isso é globalização ? É o poder das redes de televisão ? É cultura ?

Bem, questionamentos à parte, a verdade é que saímos daqui sabendo que o rei de Mustang tem o hábito de receber os estrangeiros que visitam Lo Mantang e a camiseta da seleção brasileira foi nossa primeira e acertada opção de presente para ele.

Estávamos ansiosas por vê-lo, pois não é sempre que temos a oportunidade de tomar um chá com uma figura tão ilustre. Além do que, já não existem tantos reis assim na face da terra. (Alguém sabe nos dizer quantos ?)

Tínhamos dois dias em Lo, e decidimos visitá-lo no 2º dia.

Mas, qual não foi a nossa surpresa e desespero, quando a Nigma nos procurou dizendo apressada, que o rei estava saindo para viajar naquele instante, que seu cavalo estava selado e que só voltaria depois de uma semana. Ela convenceu o assessor real de que tínhamos vindo de muito longe e que gostaríamos de vê-lo.

Pois não é que o rei atrasou sua partida e nos esperou ?

Saímos em disparada para o palácio e aguardamos a autorização para entrar. Diga-se de passagem que tivemos que comprar um ticket para entrar: 100 rupias.

O palácio foi construído no mesmo estilo de todas as casas da região, com a diferença de que é a mais alta de Lo Mantang. Subimos uma escada íngreme e com degraus muito estreitos, num salão escuro. Nossa primeira recepção foi a de cão acorrentado, que latia como doido !

Sustos a parte e mais alguns corredores e entramos na sala de visitas. Ele já estava nos aguardando. Um assessor traduzia nosso diálogo (do inglês para o tibetano e vice-versa). Como sabíamos que teríamos apenas 5 minutos, logo me identifiquei, bem como toda a equipe, e entreguei os presentes. Além da camiseta tínhamos também uma toalha de crochê feita pela minha mãe, para a rainha.

A rainha, que até então não estava na sala, foi chamada para receber pessoalmente o presente. Adorou !

Nosso diálogo foi muito rápido. Ele nos disse que era a primeira vez que recebia a visita de brasileiros, que agradecia os presentes, mas que precisava sair em seguida.

Que pena ! Mesmo assim, nos sentimos felizes e com a sorte ao nosso lado !

Tomamos rapidamente o chá e comemos as bolachinhas, que por sinal eram uma delícia. As melhores que já experimentamos no Nepal !

Mais tarde, soubemos pela Nigma que era a primeira vez que ela via a rainha, que só apareceu porque levamos um presente para ela também.

Quando voltamos para o local do nosso acampamento, reparamos que havíamos esquecido o Kit Caipirinha que havíamos também comprado para o rei ! Que pena ! Teremos que voltar lá no ano que vem para entregá-lo pessoalmente.

Acreditem foi uma experiência maravilhosa !

Para você que nos acompanha, no próximo boletim contarei sobre o casamento arranjado que assistimos.

Não percam.

Abraços,

Sandra

  
  

Publicado por em