A rotina na trilha de Upper Mustang (Foto)

Ficamos 14 dias na montanha. Neste período, tínhamos uma rotina, acredite se quiser, bem determinada entre nós e a Sirdar, responsável pelo staff nepalês. Iveth e eu na trilha de Upper Mustang Foto: Fernanda Preto Era o seguinte: Nosso acampa

  
  

Ficamos 14 dias na montanha. Neste período, tínhamos uma rotina, acredite se quiser, bem determinada entre nós e a Sirdar, responsável pelo staff nepalês.

Iveth e eu na trilha de Upper Mustang

Iveth e eu na trilha de Upper Mustang
Foto: Fernanda Preto

Era o seguinte:

Nosso acampamento

Nosso acampamento
Foto: Fernanda Preto

6 horas da madrugada:

Higiene matinal, Upper Mustang

Higiene matinal, Upper Mustang
Foto: Fernanda Preto

Éramos acordadas pela Nigma, nossa Sirdar, que dizia ` - Good mornig Meronanda` (era assim que chamava a Fernanda) e ficava ali esperando até que ela respondesse ` - Good mornig Nigma`. Logo abria o ziper da barraca e recebia uma xícara de chá quente. O mesmo acontecia com a Iveth, que bem antes disso já havia acordado e se preparado para seus `afazeres matinais obrigatórios` ...

Tomando chá de manteiga com os Loba, Upper Mustang

Tomando chá de manteiga com os Loba, Upper Mustang
Foto: Fernanda Preto

Mas, posso garantir que comigo era um pouco diferente, pois sou muito lenta quando acordo ... para não dizer mal humorada ... (ainda mais as 6h da madrugada !). Neste caso, a insistência de Nigma tinha que ser redobrada, isto é, tinha que me chamar varias vezes até ouvir grunhido do tipo ` - Huumm`. Então, ela mesma abria o ziper da barraca, colocava minha xícara de chá do lado de dentro e saia.

6h15 da madrugada:

Uma das meninas sherpa nos trazia uma pequena bacia com água quente, para nossa higiene matinal: escovar os dentes, lavar o rosto e as mãos. Que prazer sentir o frescor da água escorrendo pelo rosto ! Vocês não imaginam o que é não ter uma torneira por perto ... Como eu estava `sem cabelo` , aproveitava e lavava a careca, um privilégio que a Iveth e Fernanda não tinham !

6h30 ainda da madrugada:

Iniciávamos a arrumação da `casa` colocando para dentro da mochila toda a tralha espalhada pela barraca: saco de dormir, roupas de frio, produtos Sanicorpore para higiene, filmes fotográficos, lanterna, cadernos, etc, etc, etc.

7h da manhã:

Ainda de `cara fechada` (eu), saíamos da barraca liberando para que as sherpas a desmontassem e guardassem tudo dentro de grandes sacos de lona amarelos. Enquanto isso, entrávamos na casa ao lado do acampamento (Hotel ?) e tomávamos nosso café da manhã: leite, chá, achocolatado, nescafé, mel, geleia da Shinobu, manteiga, e chapati (tipo de pão).

7h30 da manhã:

Recebíamos nosso `pack lanch`, isto é, lanche para o almoço e saímos para caminhar.

horário indefinido da tarde:

Chegávamos no local do acampamanto e éramos sempre recebidas com bolachas e chá. Em seguida, Nigma nos trazia o jantar - sopa, arroz com legumes ou spaguetti, ou pizza, ou momo, uma sobremesa e mais chá.

8h da noite:

Já estávamos em nossas barracas, limpas e prontas para dormir. Eu aproveitava para escrever meu diário, colocando as informações mais importantes e os sentimentos do dia, as surpresas, as novidades e logo me deixava levar pelo sono e dormia profundamente até as 6h da madrugada do dia seguinte.

Não foi dificil !.

Confesso que não tivemos dificuldade para nos adaptarmos a nova rotina.

Você teria ?

No próximo boletim, contarei como foi nosso encontro com o rei de Mustang.

Até lá,

Sandra

  
  

Publicado por em