Jomsom sem `teto` (Foto)

13 de setembro de 2002 - ainda moncao (le-se monssao) - o tempo nao poderia estar diferente: chuva fina, tempo nublado, nuvens cinzentas no ceu. Mesmo assim, acordamos as 5h da madrugada e fomos ao aeroporto, embarcar para Jomsom. Fernanda interrogan

  
  

13 de setembro de 2002 - ainda moncao (le-se monssao) - o tempo nao poderia estar diferente: chuva fina, tempo nublado, nuvens cinzentas no ceu. Mesmo assim, acordamos as 5h da madrugada e fomos ao aeroporto, embarcar para Jomsom.

Fernanda interrogando o piloto

Fernanda interrogando o piloto
Foto: Sandra Palma

Regras sao regras ! Temos que respeita-las ! Mas, algumas delas nos chamam mais a atencao do que outras: por exemplo, o taxi nao pode entrar no aeroporto se todos as pessoas do carro nao tiverem seu ticket. Uma vez no terraco (le-se terrasso) externo, nao podemos avancar se tivermos qualquer produto embalado em saco plastico. Temos que retira-los e deixa-los ali no chao. E por ai vai ...

Como Nigma, nossa sirdar, nos acompanha, fica sempre a frente facilitando as burocracias que nem mesmo ela entende. Mesmo assim, para cada pessoa ha uma regra diferente. Ha sempre um certo stress no ar...

Na sala de embarque, poucos estrangeiros, alguns nepaleses, e todos de olho no ceu, aguardando ansiosamente uma `janela de tempo bom`. Se ate as 10h o tempo nao abrir, tanto aqui como em Jomsom, o voo eh cancelado e so no dia seguinte ...

9h e finalmente temos confirmacao de embarque.

Acreditem se quiser, mas Fernanda, com um certo receio de voar, foi ate a janelinha do piloto e lhe perguntou se o tempo realmente estava bom para decolar. Sua resposta foi obvia: `Claro que sim, caso contrario, nao decolariamos`.

17 lugares, 17 passageiros. Um piloto e um co-piloto. Uma comissaria vestindo u lindo sari azul marinho. Uma fila de poltronas de cada lado, com um estreitissimo corredor central. Qualquer onibus da Serra Dourada com destino a Sao Manuel eh maior e mais confortavel. Tempo de voo: 20 minutos. Servico de bordo: chumacos de algodao e balas. Para barulho e pressurizacao.

O aviao levantou voo e aos poucos pudemos avistar os canteiros de arroz salpicadasa de casas brancas, e toda a formacao de pequenas colinas ao redor de Pokara. Aos poucos, atras das nuvens, a magnifica visao dop Nilguiri ! Finalemnte o Himalaya esta ao nosso alcance visual, pela primeira vez. Fernanda delirou e ate esqueceu o medo de voar. Em segundos estavamos com camera fotografica nas maos e binoculos. Mais 15 minutos e estariamos descendo em Jomsom.

Mas, se voces estao lendo este boletim, eh porque estamos em Pokara novamente. Por falta de teto em Jomsom, o piloto deu meia volta e nos deixou em Pokara novamente.

Nao preciso dizer que ficamos muito desapontadas !

Em terra firme outra vez, soubemos por um outro turista que hoje eh o terceiro dia `sem teto` em Jomsom.

Esperamos ter mais sorte amanha.

Ainda bem que planejamos nossa viagem com uma boa folga no calendario.

Namaste !

Nota: Aproveitei a tarde para atualizar e reescrever alguns boletins anteriores. Para voce que esta nos acompanhando, de uma conferida.

  
  

Publicado por em