PN da Ilha Grande - PR

Ao contrário do que muitos possam pensar, o parque não é apenas uma ilha e também não tem nenhuma relação com a Ilha Grande, na baía de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Na verdade o parque está localizado no oeste do estado do Paraná.

  
  

Ao contrário do que muitos possam pensar, o parque não é apenas uma ilha e também não tem nenhuma relação com a Ilha Grande, na baía de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Na verdade o parque está localizado no oeste do estado do Paraná, divisa com o Mato Grosso do Sul, e é formado por um conjunto de ilhas que compõem o Arquipélago Fluvial de Ilha Grande. Alguns locais desta região estão inseridos no último trecho do Rio Paraná (Paranazão) livre de barragens.

Praias Fluviais

Praias Fluviais
Foto: Eduardo Issa

Podemos dizer que o Parque de Ilha Grande é um resgate ao antigo Parque Nacional das Sete Quedas, que foi criminalmente apagado do mapa, com a inundação do Lago de Itaipu, ocorrido na época do regime militar. Segundo alguns moradores da cidade de Guaíra, que viviam em função do turismo das quedas, relatam com lágrimas nos olhos, o dia em que o lago foi enchendo e calando aos poucos o som dos memoráveis saltos das Sete Quedas. Uma perda irreparável da natureza, tanto em relação à beleza quanto ao seu ecossistema, matando milhares de espécies da fauna e da flora do parque.

Ilha na Lagoa Saraiva

Ilha na Lagoa Saraiva
Foto: Eduardo Issa

Contudo, a submersão das Sete Quedas revelou uma face que até então estaria ofuscada pelos saltos e acabou vindo a tona, surgindo como um oásis neste trágico episódio. Um maravilhoso labirinto de canais, lagoas, ilhas salpicadas com praias e uma enorme diversidade de vegetação e animais silvestres, que deram origem ao Parque Nacional de Ilha Grande.

O parque é habitado por diversos animais silvestres

O parque é habitado por diversos animais silvestres
Foto: Eduardo Issa

A criação do parque, em 1997, teve como principal objetivo, a proteção de um ecossistema complexo de extrema importância e fragilidade ambiental, conhecido como Varjão do Rio Paraná. Como ainda está em fase de implantação, as visitas devem ser feitas após autorização prévia da diretoria da unidade. Os acessos são feitos pelo rio e, em alguns locais, de carro pelo continente, por estradas precárias. Segundo alguns arqueólogos, que realizam estudos no parque, a região é repleta de sítios arqueológicos que apresentam registros da antiga ocupação de índios e espanhóis nesta área.

Pôr do sol no parque

Pôr do sol no parque
Foto: Eduardo Issa

Vale a pena conhecer a Lagoa Saraiva, navegar por entre as ilhas e canais e ficar atento nas margens, pois bugios (espécie de macaco), capivaras, veados e muitas aves, circulam livremente nas redondezas. A melhor época para conhecer o parque é no inverno, no verão o calor e os mosquitos são terríveis. No Porto Figueira, uma das extremidades do parque, as paisagens são ricas e estão intactas e diferem das outras localidades.

O parque é repleto de garças e outras aves

O parque é repleto de garças e outras aves
Foto: Eduardo Issa

Seguindo para PN da Serra da Bodoquena - MS

  
  

Publicado por em