Descobrindo a nossa história - Salvador

Chegamos a Salvador debaixo de chuva

  
  

Chegamos a Salvador debaixo de chuva. Novidade!
A Frente Fria que nos alcançou em Santos tem nos acompanhado durante toda a viagem, exceto quando estamos em alto mar. Nestas horas o tempo melhora e até pinta um solzinho.

Apesar do mal tempo, não desistimos do nosso programa de conhecer um pouco da cidade. A jornalista Aritta da Bahiatursa estava nos esperando no porto e nos acompanhou durante todo o dia. Primeiro fomos conhecer o Mercado Modelo (ao lado do porto), um dos pontos mais tradicionais da cidade. Ali se encontra representado um pouco de todo artesanato produzido em Salvador. É um local amplo, seguro e bem organizado. Um lugar interessante para ser visitado é o porão do mercado, onde ficavam guardados os escravos antes de serem vendidos.

Depois de algumas “comprinhas” seguimos andando pela beira do cais até o Elevador Lacerda, construído a mais de 1000 anos. Este elevador liga a cidade baixa, como é chamada a parte que está à beira do mar, com a parte alta. A passagem custa 15 centavos e muita gente usa este meio de transporte para ganhar tempo e evitar uma boa caminhada pelas ladeiras da cidade.

O elevador nos deixou na frente da prefeitura da cidade, bem no meio do centro histórico. A partir daí foi fácil. Caminhamos por diversas ruas e ladeiras repletas de casarões, palácios, casas antigas e igrejas. Na verdade, igreja é o que mais tem por aqui. Dizem que são mais de 365 igrejas católicas somente em Salvador, uma para cada dia do ano. Haja devoção. A religião é um fator importante no dia a dia do baiano. Há um grande sincretismo entre a religião católica e o Candomblé, trazido da África pelos escravos. Todavia o numero de Evangélicos tem crescido rapidamente, disputando espaço com as religiões principais.

Enquanto a chuva deixou, passeamos pela região do pelourinho, um complexo de ruas e ladeiras repleto de construções da época colonial. Toda a região é tombada pela UNESCO com Patrimônio da Humanidade. Foi aqui que a cidade praticamente nasceu. Por falar nisto, Salvador não nasceu, estreou! A cidade não era nem uma vila quando foi escolhida para ser a primeira capital da colônia. De Portugal foram enviadas pessoas, material e dinheiro para que a cidade fosse erguida. Isto aconteceu em 1536.

Uma história curiosa aconteceu com relação à fuga da Família Real Portuguesa para o Brasil em 1808. Depois de mais de 30 dias no mar, em navios abarrotados de gente, bagagens e com uma higiene precária, todas as mulheres da corte foram acometidas por uma praga de piolhos. Para amenizar a infestação, as mulheres cortaram seus cabelos, ficando praticamente carecas. Na chegada a Salvador, a primeira parada da esquadra fugitiva, a rainha e as princesas desceram para terra com as cabeças enroladas turbantes. No dia seguinte grande parte das mulheres baianas, acreditando que se tratava de uma nova moda européia, então, saíram as ruas com seus turbantes imitando a família real.

Apesar de ser uma das capitais mais importantes o Brasil, Salvador é relativamente pequena (3 milhões de habitantes) e todo mundo aqui conhece ou é vizinho de alguém famoso. É muito comum ver artistas e atores caminhando pelas ruas, especialmente no centro histórico. Enquanto estávamos no pelourinho, encontramos o ator Lázaro Ramos, que praticamente nos implorou por uma foto (ou será o contrário?).

No meio da tarde a chuva apertou, mas antes de voltar ao navio demos uma passada pelo Farol da Barra. Ali encontramos uma réplica de um Padrão Português, marcos de pedra ou madeira deixados pelos navegadores nas terras descobertas para mostrar aos “concorrentes” que aquele pedaço do mundo já havia sido reclamado para o rei de Portugal.

Do Farol da Barra, olhamos para o mar na direção nordeste. Ali, a cerca de 6 mil quilômetros está nossa próxima parada, as ilhas Canária, na costa africana. Serão seis dias de navegação continua através do Atlântico. Escreverei para vocês durante o trajeto. Adeus Salvador! Adeus Brasil! Olá Europa!

Peter Goldschmidt
Membro da Família Goldschmidt e consultor de turismo. Peter dirige a Gold Trip, uma agencia de viagem especializada em América Latina.

  • Agradecemos a Bahiatursa pelo apoio que nos deram em Salvador. Parabéns pelo trabalho que realizam na divulgação do turismo na Bahia.
  • Este diário faz parte de um relato sobre a viagem de travessia de Santos a Lisboa no navio Vision of the Sea em Abril de 2010.
  • Fotos Família Goldschmidt e Eduardo Bovo Junior
Chegando em Salvador
Elevador Lacerda e Mercado Modelo
Elevador Lacerda
Autênticos baianos
Prefeitura de Salvador
Centro Histórico de Salvador
Fitas do Senhor do Bonfim
Família Goldschmidt e Aritta e Bovo
  
  

Publicado por em

Ana

Ana

14/05/2010 20:58:43
Também estávamos neste cruzeiro, Foi fantástico não é?

Vera

Vera

15/04/2010 11:48:00
Cara Família, Sempre tive vontade de fazer estas aventuras, mas dia chego là. Boa viagem e vão com Deus. Aproveitem muito Lisboa simplesmente é maravilhosa.
Mandem notícias, Vera